Giordano Bruno

GiordanoBruno1973-2

Existe o mito que Giordano Bruno foi condenado e queimado na fogueira devido às suas ideias astronómicas, em que ele imaginava incontáveis mundos e que era a Terra a orbitar o Sol (defendia o heliocentrismo).
Essas ideias realmente não o ajudaram, mas não foi essa a razão para ele ser condenado.

Bruno foi condenado por seguir o Hermetismo, ligado à magia negra, por negar a divindade de Cristo, por negar a Santíssima Trindade, por negar a virgindade de Maria, por negar a existência do inferno, por acreditar que Deus estava em todas as coisas e em todos nós e não no céu, por entre várias outras acusações que atentavam contra os dogmas da Igreja.
Ou seja, ele foi condenado por atentar contra os princípios mais sagrados da Igreja naquela altura.

Aliás, mais do que as suas ideias científicas influenciarem as suas ideias religiosas, o que se passou foi o oposto: o facto de ele seguir o hermetismo fez com que ele assumisse que era o Sol no centro.

Vejam este filme franco-italiano de 1973 que tem como foco o processo movido pela Inquisição contra Giordano Bruno.

3 comentários

1 ping

  1. Mesmo que ele só defendesse o heliocentrismo, isso chegava para o queimar vivo!
    Mas diga-se que pelo que li no post, esse Sr. estava muito à frente da “canalha” do vaticano na época em que ele foi acusado.
    O conceito de Deus, esse então é muito mais à frente e “funde” Deus com o próprio Universo, escapando da ideia do Deus patriarca que zela pelos seus filhos na Terra.
    No fim o conceito não traz qualquer vantagem sobre o clássico da religião, simplesmente reporta um pouco mais de sabedoria, mas não o bom senso necessário para tentar morrer velho…
    .

  2. Muda o fato de que a Igreja Católica foi responsável pela morte dele ?
    Aqui no Brasil temos diversos APOLOJEGUES que dizem que não foi a IGREJA quem o matou 😀

    • Telmo Almeida on 17/09/2013 at 10:01
    • Responder

    Desconheço as reais causas para ele ser queimado mas sem duvida que a principal era a de ser um incómodo para a igreja. Ele foi condenado por uma série de crimes, entre eles o de reivindicar, a existência de uma pluralidade de mundos e suas eternidades; (Wikipédia e Infopédia) e ainda defender que não era a Terra o centro do “Universo” mas sim o Sol, só por si estes factos eram suficientes para o enquadrar como herético.
    A heresia, atentado contra os princípios mais “sagrados” da igreja, era sem dúvida, o motivo que se tornava mais abrangente, para o enquadramento de crimes.
    Pode não ter sido por isto, mas também.

  1. […] Equação. Galileu. Copérnico. Newton (documentário). Hawking (documentário). Jovem de 15 anos. Giordano Bruno. Conferência Solvay. Lei de Titius-Bode. Ovo de […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.