Missão chinesa Chang’E-3: novidades e novas imagens do primeiro dia lunar

A Chang’E-3 e o pequeno Yutu foram reactivados após um longo período de hibernação, que coincidiu com a primeira noite lunar da missão. De acordo com a agência noticiosa Xinhua, o Yutu “acordou” de forma autónoma anteontem, pelas 21:09 (hora de Lisboa), reiniciando a exploração da superfície lunar pouco depois de ter estabelecido contacto com o Centro de Controlo Aeroespacial de Pequim (CCAP), na China. A Chang’E-3 reactivou-se no início da madrugada de hoje, pelas 00:21 (hora de Lisboa), e encontra-se, neste momento, em condições normais de funcionamento.

“Durante a noite lunar, a sonda e o rover estiveram desligados, e as comunicações com a Terra foram também interrompidas”, afirmou à agência Xinhua Zhou Jianliang, engenheiro-chefe da CCAP. “Quando a noite termina, a sonda e o rover reiniciam com a energia providenciada pela luz solar, e retomam as operações e comunicações seguindo uma sequência pré-programada.”

Entretanto, a equipa da missão publicou novas imagens em alta-resolução obtidas durante o primeiro dia lunar. Apreciem:

descida_Mare_Imbrium_ChangE_3_141213A superfície lunar em duas imagens obtidas a 14 de Dezembro de 2013, pela câmara de descida da Chang’E-3, quando esta se encontrava, respectivamente, a 99 e a 7,9 metros de altitude.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

Mare_Imbrium_ChangE_3_151213Primeira imagem do local de alunagem, obtida pela Chang’E-3, a 15 de Dezembro de 2013.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

ChangE-3_Mare_Imbrium_Yutu_151213A Chang’E-3 vista pelo Yutu, a 15 de Dezembro de 2013.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

ChangE-3_Mare_Imbrium_Yutu_161213Chang’E-3 vista pelo Yutu, a 16 de Dezembro de 2013.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

Yutu_Mare_Imbrium_ChangE_3_161213O rover Yutu visto da Chang’E-3, a 16 de Dezembro de 2013.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

Mare_Imbrium_ChangE_3_171213A paisagem de Mare Imbrium, numa imagem obtida a 17 de Dezembro de 2013, pela sonda Chang’E-3.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

Terra_UV_ChangE_3_241213Cinturas de radiação em redor da Terra, vistas pela câmara de ultravioleta extremo da Chang’E-3, a 24 de Dezembro de 2013, através de um filtro para a banda dos 63 nm.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

Terra_ChangE_3_241213A Terra vista da superfície lunar. Imagem obtida pela Chang’E-3, a 24 de Dezembro de 2013.
Crédito: Academia Chinesa de Ciências.

19 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. E as estrelas da lua?

    1. São como as da Terra.

  2. Alterei a imagem que mostra a cintura de radiação em redor da Terra. A anterior era, afinal, uma simulação do que a Chang’E-3 observou. A actual é uma imagem real obtida pela sonda chinesa a 24 de Dezembro (25 na hora de Pequim). 😉

  3. Muito legal.
    Será que eles irão tentar encontrar os objetos deixados pelo americanos que pisaram lá?
    Seria legal para desmentir esta história de uma vez por todas.

    1. Não, estão muito longe deles.

      Quem quer acreditar (crença) em conspirações, continuará a acreditar, independentemente das evidências existentes.

      abraços!

      1. Além disso, Carlos, a NASA pede que futuras missões/visitantes não se aproximem muito (em alguns casos, pedem distâncias de 200 metros) dos locais das apolos, para preservar os sítios históricos. Veja:

        http://www.nasa.gov/home/hqnews/2012/may/HQ_12-168_Lunar_Protection_Guidelines.html
        http://www.nasa.gov/pdf/617743main_NASA-USG_LUNAR_HISTORIC_SITES_RevA-508.pdf

        Abraço,

      2. Vou incluir esta informação num novo artigo que estou a escrever 😉

        Obrigado 🙂

    • Jomar Oliveira on 13/01/2014 at 17:39
    • Responder

    uma coisa que não entendo, é porque o céu da lua não possui estrelas, digo… era pra ter varias estrelas, não era?

    1. O céu da Lua possui estrelas. Não tem nada a ver com o céu per se, mas sim com a forma como tira fotos. Tire uma foto ao céu na Terra como tira ao seu amigo. Veja se aparece as estrelas.

      abraços

        • Jomar Oliveira on 13/01/2014 at 17:55

        muito bem explicado, obrigado amigo.

        Abraços.

      1. Note que ninguém vai à Lua para tirar fotos às estrelas. Porque as estrelas são as mesmas que vistas da Terra.
        O interesse de ir à Lua é tirar fotos ao ambiente lunar. Nesse caso, é a mesma coisa de quando se tira fotos noturnas aos nossos amigos na Terra (as estrelas atrás deles não aparecem).

        abraços

  4. A sombra projetada pela sonda é devido a luz solar?

    1. Sim 😉

  5. Não querendo levantar discussão boba aqui, mas essas fotos são idênticas às das missões Apollo.

    Não consigo entender como alguém tem coragem de dizer que aquilo tudo foi conspiração.
    Acho que falta muita ciência básica no Brasil ainda 🙁

    No main, parabéns pelo blog.

    1. Exato.

      A discussão desse tema tem fundamento.

      A missão chinesa acabou com a empáfia dos que dão valor desmedido e irracional às teorias conspiratórias.

      Ou essas pessoas tomam vergonha de vez e param com essas estórias ou vão ter de se colocar o “chapéu de burrinho” da turma, a partir de agora.

  6. aquela foto verde é um OVNI? :p

  7. Porque o céu da lua é mais escuro que o da terra em uma noite clara?

    1. Devido à atmosfera terrestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.