Plasma do Sol vai provocar uma catástrofe na Terra em 10 anos? NÃO!

sol e tal

Um dos nossos leitores, fez-nos esta pergunta:

É verdade, como dizem alguns websites, que existe o perigo do fim-do-mundo em 10 anos devido a uma nuvem de plasma vinda do Sol?

O texto original diz isto:

Fique atento: Em dez anos poderemos presenciar uma catástrofe na Terra!
Segundo um estudo colaborativo entre a Universidade do Colorado, a NASA e outras importantes universidades norte-americanas, existe 12% de probabilidade que uma nuvem de plasma, procedente de uma tempestade solar extrema, atinja a Terra em cheio dentro dos próximos 10 anos. Trata-se de um fenômeno parecido ao que aconteceu em 2012, pelo qual a Terra quase foi atingida (com o desvio de tempo de uma semana).
“Se tivesse nos atingido, estaríamos recolhendo os pedaços”, afirma Daniel Baker, coautor da pesquisa publicada na revista Clima Espacial. Os especialistas dizem que uma tempestade solar extrema começa com uma explosão ou labareda solar no dossel magnético de uma mancha solar. Os raios X e a radiação ultravioleta expelidos em grau extremo se chocam contra a Terra à velocidade da luz, ionizam as camadas superiores da atmosfera e provocam falhas graves em satélites, como os que alimentam o sistema GPS, e apagões de rádio generalizados. Apenas alguns segundos depois, aparecem partículas energéticas que eletrificam os componentes eletrônicos que estiverem ao alcance, podendo danificá-los. Depois, a ejeção de massa coronal, formada por nuvens de plasma magnetizado, poderia causar apagões massivos, desabilitando dispositivos conectados a fontes de alimentação.
“A princípio, me surpreendeu bastante o fato de as probabilidades serem tão altas, mas as estatísticas parecem corretas. É um número preocupante”, afirma Pete Riley, físico da Predictive Science, sobre os resultados da pesquisa.

Obviamente que o nosso leitor fez bem em perguntar. Se não sabe, deve perguntar. Isso demonstra literacia funcional.

No entanto, surpreende-me que as pessoas continuem a ler o lixo que é transmitido pelo website Seu History.
Já temos alguns artigos sobre esse lixo.

Como já escrevi: o Seu History é um website que qualquer pessoa pode inventar tretas e enviar para ser publicado. Se quiserem inventar uma história a afirmar que o Pai Natal / Papai Noel nos vai matar a todos, podem fazê-lo. Não é fonte credível para ninguém.

Quanto à história em si, do estudo científico, está aqui (website da NASA).

E o que diz o artigo original?

Diz que isto é um “seminal study”, ou seja, é uma crença do investigador baseado em alguma estatística (sobre a tempestade solar de 23 de Julho de 2012). É somente algo que um investigador se lembrou e que espera que alguém estude. Não é uma investigação profunda, com evidências.

Por outro lado, convém realçar que este artigo NADA tem a ver com consequências para os humanos ou com catástrofes ou com fim-do-mundo!
Simplesmente o “seminal study” diz-nos que uma tempestade solar daquele género, fritaria alguns satélites, o que faria que tivéssemos alguns problemas de velocidade na internet e problemas de ligação a GPS.
Além disto, prevê-se (sem evidências) que uma enorme tempestade solar poderia provocar falhas elétricas a nível planetário.
E, acrescento eu, teríamos belíssimas auroras no nosso céu. O que seria fantástico!

É somente isto. Nada mais.

Não existe qualquer efeito direto nos Humanos, só em dispositivos elétricos, que temporariamente poderiam ficar lentos ou deixar de funcionar.
(já agora, existem inúmeros artigos sobre isto, sempre no mesmo journal)

Para saber isto, basta ler o artigo no site da NASA!

Note-se que mesmo os “piores cenários na rede elétrica” é somente extrapolação baseada… em nada.
Nestes artigos, compara-se sempre ao chamado Evento de Carrington, uma tempestade solar a 1 de Setembro de 1859 que enviou várias e massivas CMEs (Ejeção de Massa Coronal) na direção da Terra. Foi a tempestade solar mais poderosa alguma vez registada na história da Humanidade! E que efeitos teve? Somente belíssimas e brilhantes auroras, falhas no serviço de telégrafo que existia na altura e interrupções nas emissões de rádio. 99,9% da população mundial não deu por nada.
E estamos a falar da pior tempestade solar…
Efeito direto nos Humanos? 0.

Note-se também que a tempestade solar de 23 de Julho de 2012 não atingiu a Terra, mas atingiu a sonda/satélite STEREO-A, que estuda o Sol.
E o que lhe aconteceu? A tempestade solar fritou os componentes elétricos desta sonda que orbita o Sol? Não! Não só este satélite sobreviveu, mas continuou a operar perfeitamente, sem falhas, sem problemas (a razão é dada no final do artigo).

Achei também curioso o título sensacionalista sobre um evento catastrófico nos próximos 10 anos.
O físico Pete Riley, contratado pela empresa privada Predictive Science, publicou um artigo onde obviamente tinha todo o interesse em prever catástrofes, porque é disso que o patrão dele vive (vender “soluções” aos clientes por catástrofes que não ocorreram mas que eles dizem que vão ocorrer). Mesmo assim, o estudo (que não sei se tem validade científica, porque não o li) concluiu que nos próximos 10 anos há 88% de hipóteses de esta questão nem se colocar, porque não existirá quaisquer eventos desde género.

Também é preciso realçar que estas “super-tempestades” geomagnéticas com causa solar, se devem não a uma CME mas a várias (pelos menos duas), que chegam à Terra praticamente em simultâneo. O que obviamente, aumenta a probabilidade disto não acontecer frequentemente, numa década. Mas isto, que é referido no artigo da NASA, não foi considerado nem no tal estudo (porque diminuiria o poder da conclusão que eles queriam) nem obviamente nos artigos sensacionalistas de websites que não estão interessados na verdade dos factos.

E, note-se, nem sequer se considera o facto de que o Sol está tranquilo e prevê-se até um bastante calmo mínimo solar. Tendo isto em consideração (as evidências, os factos da observação solar), então essa probabilidade de nada existir na próxima década, aumenta consideravelmente!

Por fim, notem que o “seminal study” do Daniel Baker e o artigo do Peter Riley financiado pela empresa privada, são estudos diferentes. No entanto, são apresentados pelos sensacionalistas como se fosse tudo a mesma coisa.

Obviamente que os factos, as evidências solares, não interessam para o Seu History

Por isso, a pergunta que deixo é: porque as pessoas que gostam de astronomia continuam a ler as MENTIRAS sensacionalistas, contrárias ao conhecimento astronómico, difundidas por alguns websites com o simples intuito de se aproveitarem da ignorância dos seus visitantes?

6 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • luis fernando duarte on 13/01/2015 at 12:14
    • Responder

    os coronários solares vão abalar as comunicações e os sistemas integrados de disttribuição de energia elètrica
    isso se deve a emissão de radiação afla e beta pela reaçôes nucleares mais fortes que o normal que estão ocorrendo no Sol.
    qualquer dúvida sobre esse tema , poderei tentar resolver via meu email lfd7654321@gmail.com.
    sds

    1. Pelos vistos, a história não é suficiente… e os alarmismos continuam na crença de muita gente.

      Flash News: não há quaisquer “reacções nucleares mais fortes”. Há o que sempre existiu.

  1. Olá!
    – Caso não haja uma calmaria do Sol na próxima década, e se houver uma forte ejeção de massa, e se atingir a Terra, o que pode nos ocorrer?

    – E se houver a possibilidade de várias CME atingirem a Terra, uma atrás da outra, ou em simultâneo, também seria prejudicial, e seria possível?

    – Pode haver esse plasma do Sol mesmo, e nos atingir?
    – E o plasma pode ficar parado perto do Sol, sem se mexer? vi algo escrito sobre isso numa matéria.

    Obrigado!

    1. O que acontece é o que tem acontecido: auroras 😉

      abraços

    • Nuno José Almeida on 19/08/2014 at 00:57
    • Responder

    Carlos, o último documento que vi no trabalho sobre tempestades solares falava em que uma tempestade igual à de 1859 teria como consequência no mínimo a destruição de 15% dos transformadores de alta tensão, sendo que não se estudava mais nenhuma consequência. A destruição de 7% dos transformadores mundiais tinha como consequência vários meses de troca dos mesmo isto porque as construtoras todas juntas em funcionamento pleno só o conseguiram em cerca do um ano e fazer novas fábricas é uma coisa que também demora. Tenho ideia que se propunha haver investigação na área (protecção dos transformadores) mas acredito que não estão a aplicar muito tempo nem dinheiro no mesmo, afinal não me parece que seja um característica muito procurada pelo mercado e o mercado é que manda. Quando acabar as férias vou procurar na LAN.

    1. Olá,

      Sinceramente, não conheço 😉

      De qualquer modo, isso é uma previsão para um efeito na rede elétrica…. e bastante limitado 🙂
      Não seria uma consequência direta nos humanos nem levaria à nossa destruição 😉

      Tenho algumas perguntas:
      Porque levaria tanto tempo para substituir os transformadores?
      Como esse efeito se compara a grandes tornados ou a tempestades de neve?

      Estou a pensar nos exemplos atuais, que quando existe um desastre natural desse género, por exemplo, parte do Canadá (ou EUA) ficam sem rede elétrica durante algum tempo (por vezes semanas).
      Nessas alturas, a rede elétrica é consertada.
      Mas é tudo feito relativamente rápido porque as áreas são consideradas de desastre, e por isso as outras áreas ajudam com dinheiro, mão-de-obra e equipamento.

      Vamos então supor que o Canadá fica todo sem transformadores. Nesse caso, penso que EUA e outros países iriam ajudar, o que apressaria as coisas.

      Estou-me a lembrar por exemplo, da devastação no Haiti, em que a comunidade internacional ajudou 😉

      abraços!

  1. […] as normais auroras e também falhas pontuais e locais no telégrafo da altura. Como eu referi neste artigo: “99,9% da população mundial não deu por nada. E estamos a falar da pior tempestade […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.