Exterminador Implacável

Terminator

Terminator (Exterminador Implacável / Exterminador do Futuro) foi uma saga que começou em 1984 e que marcou uma época.

Terminator1984movieposter

O primeiro filme, Terminator, saiu em 1984 e teve como realizador o famoso James Cameron.

A 19 de Abril de 2011, um sistema de inteligência artificial ligado a todo o mundo, chamado Skynet, ganha consciência.
A 21 de Abril de 2011, quinta-feira, a Skynet tenta exterminar toda a humanidade.

O super-computador Skynet considera a Humanidade como uma ameaça ao planeta e a si próprio.
Assim, com o poder que tem sobre tudo que é comandado eletronicamente, decide lançar todas as bombas nucleares americanas contra a União Soviética e vice-versa.
A guerra nuclear arrasa com o planeta. Os humanos ficam muito perto da extinção.

Os poucos sobreviventes humanos são caçados por máquinas e levados para campos de extermínio.
No entanto, como sempre, existem alguns sobreviventes humanos que formam pequenos grupos de resistência.
O líder da resistência humana chama-se John Connor.

John Connor consegue arranjar uma forma de enganar as máquinas, dando uma vantagem aos humanos que deverá aniquilar a superioridade das máquinas.

Em 2029, Skynet envia um cyborg – organismo cibernético, androide com esqueleto coberto por tecido vivo (pele humana, sangue, etc), que se parece com um humano e que detém inteligência artificial – designado Cyberdyne Systems Model 101 – 800 Series Terminator (T-800 Model 101), para o passado. O Terminator é enviado até ao dia 12 de maio de 1984. O seu objetivo é matar Sarah Connor, mãe de John Connor, de modo a prevenir o nascimento de John, e assim alterar o curso da História, e consequentemente alterar o futuro – sem John Connor, as máquinas exterminarão facilmente a Humanidade.

Os Humanos descobrem os planos da Skynet, e John Connor decide enviar o sargento Kyle Reese para o passado (1984) de modo a proteger Sarah Connor e travar os planos do Terminator.

Kyle encontra e salva Sarah Connor. Kyle apaixona-se por Sarah.
Sarah fica grávida de John Connor. Kyle Reese é o pai de John Connor.

Entretanto, o Exterminador encontra-os.
Após uma intensa luta, Reese coloca uma bomba no exterminador. Como resultado da explosão dessa bomba, Kyle morre, Sarah fica ferida na perna, e o exterminador fica sem metade do corpo (mas ainda vivo, arrasta-se para continuar na perseguição a Sarah).
Sarah destrói o exterminador.

Este filme é excelente!
Adorei esta saga Terminator.

Os filmes marcaram uma época e uma geração.

A premissa é muito simples: dois seres são enviados para o passado: um é enviado para proteger e outro para destruir.
E, claro, o filme baseia-se em dois medos humanos: guerra nuclear e as máquinas ficarem com demasiado poder.

Arnold Schwarzenegger esteve brilhante no papel de exterminador.

Provavelmente a citação mais conhecida do filme é: I’ll be back.

É muito interessante a ideia de que John Connor envia o seu pai para morrer no passado (sem Kyle saber que era o seu pai). Mas tem mesmo que o enviar, senão John nem sequer existia.

Ainda mais interessante é que se as máquinas não tivessem tentado exterminar a Humanidade, Kyle não era enviado para o passado. Assim, John não existiria e por isso não poderia ser o líder da resistência. Desta forma, as máquinas teriam “luz verde” para exterminar toda a Humanidade (mas se o fizerem, então Kyle poderá ser enviado para o passado, e John poderá passar a existir).

Também interessante, embora de forma infeliz, é que o inicio o filme retrata bem a facilidade com que se consegue comprar armas nos EUA. 🙁

terminator-2-1991-28-g

O segundo filme, Terminator 2 – O Dia do Julgamento, saiu em 1991 e teve igualmente como realizador o famoso James Cameron.

Como na primeira tentativa, a Skynet falhou em matar Sarah Connor, a Skynet envia um novo assassino cibernético para matar John Connor quando este é um jovem rapaz de 10 anos (aparenta cerca de 13 ou 14 anos). O objetivo é prevenir que ele se torne o líder da resistência humana no futuro.

O novo cyborg é o modelo T-1000, que é constituído por liga polivalente mimética, ou seja, metal liquido. Ele muda facilmente de forma, adquirindo a aparência de outras pessoas. Ele também transforma qualquer parte do seu corpo em lâminas e armas cortantes. É incrivelmente difícil destrui-lo, porque, sendo metal líquido, consegue sempre refazer-se.
Enquanto isso, a resistência envia o modelo T-800 (o mesmo do primeiro filme – Arnold Schwarzenegger), reprogramado, para proteger o jovem John Connor.

O filme começa praticamente com o T-800 e o T-1000 numa espantosa perseguição a John Connor pelas ruas de Los Angeles. O primeiro visa protegê-lo e o segundo visa exterminá-lo.

O T-800 consegue salvar John nessa primeira aventura.
John Connor percebe que consegue mandar/controlar o antigo exterminador. Assim, John decide que ambos devem ir salvar a sua mãe, que foi internada num hospital psiquiátrico – porque ninguém acredita nela, quando fala de exterminadores do futuro, e pensam que ela está louca.

Entretanto, Sarah Connor consegue fugir do hospital psiquiátrico. Mas quando ia para sair do hospital, quem entra é o T-800 (Arnold Schwarzenegger). Obviamente, ela pensa que ele entrou lá para a matar (como no primeiro filme).
John tranquiliza-a, dizendo que o T-800 está lá para os proteger.
Mas Sarah só aceita isso quando o T-1000 aparece para os matar.

Os três (John, Sarah e T-800) vão atrás de Miles Dyson, o cientista/engenheiro que trabalha para a empresa Cyberdine, que está a desenvolver componentes com base no braço e chip do primeiro T-800 (do primeiro filme). Com base nessa tecnologia do futuro, consegue-se desenvolver enormemente a tecnologia computacional e, no futuro, Miles Dyson irá ser o principal responsável pelo desenvolvimento do sistema de software conhecido como Skynet. Sarah vai a casa de Miles para o matar.

Sarah não consegue matar Miles.
Os quatro vão agora à empresa Cyberdine para destruir o chip e o braço do primeiro exterminador.

O alarme da empresa chama a polícia e o T-1000 – que está “disfarçado” de polícia.
Miles Dyson é morto pela polícia.
As bombas que eles foram colocando pelo prédio da empresa, explodem, destruindo a pesquisa que um dia daria “vida” à Skynet.

John, Sarah e o T-800 fogem, e o T-1000 vai em perseguição deles.
A perseguição é fenomenal, culminando no acidente de um camião com azoto/nitrogênio líquido, congelando o T-1000. O T-800 dispara sobre a “estátua” congelada do T-1000, e o T-1000 fica em pedacinhos. No entanto, devido ao calor da explosão, a liga mimética torna-se líquida novamente, os pedacinhos passam a encontrar-se, e o T-1000 reconstroi-se novamente.

Quando os 4 entram numa fábrica de fundição, dá-se mais uma batalha épica.
Sarah e o T-800 atiram o T-1000 para um tanque de chumbo líquido, exterminando-o.
A seguir, atiram o chip e o braço do primeiro exterminador.
Por último, de livre vontade, o T-800 entra no tanque para se auto-destruir.

Se o primeiro filme é excelente, este é brilhante!
É sem dúvida uma das melhores – senão mesmo, a melhor – sequência de um filme.
E é certamente um dos melhores filmes de ficção científica/acção de sempre.

Na época, tinha efeitos especiais soberbos.
Ainda hoje, eles são certamente assombrosos.

As cenas de acção são excelentes!

Este novo filme “antecipa” o Dia do Julgamento.
No primeiro filme, ele tinha sido a 21 de Abril de 2011.
Neste segundo filme, devido aos desenvolvimentos conseguidos com a investigação sobre o chip e braço do primeiro exterminador, a Skynet ganha consciência mais cedo, a 29 de Agosto de 1997. Nesse dia, 3 mil milhões (bilhões, no Brasil) de pessoas morrem devido ao holocausto nuclear provocado pela Skynet.

E, claro, devido aos avanços tecnológicos existentes no novo ano de 2029, nessa altura, a Skynet envia um exterminador muito mais avançado.

O novo cyborg – T-1000 – é espetacular!
Provavelmente é um dos melhores “aliens” de sempre, sendo na verdade um visitante “mecânico” do futuro.

Foi muito interessante para o filme, a resistência enviar o mesmo modelo T-800 (Arnold Schwarzenegger).
Isso permitiu que os personagens do filme se sentissem confusos durante um tempo, e permitiu que a audiência transformasse um vilão num herói.

Também foi interessante John ter sentido que o T-800 se tinha tornado um pai para ele.

O filme combate vários estereótipos:
– existe uma heroína: Sarah Connor.
– o ser que mais se assemelha a um pai para John é… uma máquina.
– o vilão passa a herói.

A mensagem do filme – dada por Sarah no final – é que se deve dar valor à vida humana.
Durante o filme, John explica ao T-800 que não deve matar pessoas.
Sarah diz mesmo que se uma máquina aprendeu o valor da vida humana, talvez os humanos também a compreendam.

Claro que existem alguns “problemas” com o filme, como em todos os filmes. Exemplos:
– como Sarah Connor podia saber o novo Dia do Julgamento?
– porque os Terminator não são enviados para a mesma data dos antecessores?
– com este metal líquido é possível fazer tudo o que se imaginar. Porque então ele decide ser humano quando poderia ser qualquer coisa muito mais eficaz?
– … etc…
No entanto, estas “limitações” não colocam em causa a excelência do filme.

Terminator-3-Rise-of-the-Machines-2003-Poster-Images-Wallpaper-HD

O terceiro filme desta saga, Terminator 3 – Ascensão/Rebelião das Máquinas, trouxe em 2003 uma exterminadora bastante sexy.

No último filme, a empresa Cyberdyne foi destruída.
A ascensão da Skynet foi adiada… mas não foi evitada.

Sarah Connor já morreu há uns anos, de leucemia.
John Connor vive nas ruas, sendo um sem-abrigo e sem quaisquer registos da sua existência (sem emprego, sem cartões de crédito, etc) de modo a que não possa ser rastreado.

A Skynet do futuro não consegue localizar John.
Como não conseguiu exterminar a mãe de John e John quando era criança, então decide exterminar os futuros tenentes de John na resistência.

Do futuro, vem uma exterminadora, T-X, bela e altamente mortífera. Ela é mais perigosa do que o T-1000, já que além de ser feita de metal líquido, tem artilharia incorporada e consegue controlar outras máquinas. O seu objetivo é encontrar e exterminar os futuros colaboradores mais próximos de John na resistência. Ela encontra John “por sorte”.
Do futuro, é também enviado um exterminador para proteger John e a sua futura esposa Kate Brewster, um T-850, ligeiramente mais evoluído que o seu antecessor, mas também interpretado por Arnold Schwarzenegger.
Os exterminadores chegam no dia 24 de Julho de 2004.

A T-X encontra Kate e John num hospital veterinário, mas eles conseguem fugir com a ajuda do T-850.
Após conseguirem escapar da perseguição movida pela T-X, vão até um cemitério, onde no suposto caixão de Sarah Connor encontram inúmeras armas que vão usar para se protegerem.

De seguida, o T-850 tenta levá-los para o México, para escaparem das bombas atómicas que cairão nos EUA nesse dia às 18h18m. Essa era a nova data do Dia do Julgamento.
O T-850 explica que após a empresa Cyberdyne ser destruída, a Força Aérea dos EUA apoderou-se do programa Skynet.
John não quer fugir, mas quer sim ir ter com o pai de Kate que é o responsável pela secção da Skynet na Força Aérea. O objetivo é convencê-lo a não ligar a Skynet.

No entanto, o T-850 não acata as suas ordens.
Mas quando Kate ordena o exterminador a fazer isso, ele então é obrigado a ir até à Força Aérea dos EUA.

John fica surpreso de já não conseguir mandar no exterminador como fazia no 2º filme.
O exterminador explica que foi Kate quem o reprogramou e foi ela que o enviou para o passado.
Isto passou-se após o T-850 matar John Connor no ano 2032.

Na base da Força Aérea, o General Brewster liga a Skynet para parar um vírus que se tinha propagado pelos computadores.
O vírus tinha sido colocado pela Skynet, de modo a que os humanos fossem impelidos a ativá-la e a dar-lhe o controlo de toda a rede de computadores pelo mundo.

John e Kate chegam tarde demais: a Skynet já foi ativada, já controla todos os computadores, e já começou a matar os militares que se encontram na base… incluindo o General Brewster (que é morto pela T-X).

Antes de morrer, o General dá a John e Kate um livro com códigos e com a localização de uma base, Crystal Peak. John assume que é o centro nevrálgico da Skynet, onde ela poderá ser destruída.
A T-X persegue Kate e John, mas eles conseguem escapar.

Metem-se então numa avioneta e chegam a Crystal Peak, uma base militar construída dentro de uma montanha e que pode resistir a tudo, incluindo a um ataque nuclear.
Eles inserem os códigos e conseguem entrar na base. A T-X chega de helicóptero e tenta apanhá-los antes de entrarem, mas o T-850 destroi a T-X e a si próprio numa pequena explosão nuclear (da sua bateria nuclear).

Já lá dentro, Kate e John percebem que aquilo não é o centro da Skynet (que não tem centro), mas é um abrigo nuclear.
O objetivo do general não era que eles destruíssem a Skynet, mas sim que se salvassem.

Lá fora, os mísseis nucleares começam a cair e centenas de milhões de pessoas morrem rapidamente.
Os poucos sobreviventes, noutros abrigos, começam a pedir ajuda via rádio. John assume o comando da resistência e responde a esses pedidos.

No final, John diz que finalmente percebeu que a guerra com as máquinas nunca poderia ser evitada.

Pessoalmente gostei do filme. É muito bom, mas considero que é pior que os dois primeiros.

As cenas de ação são excelentes.
A perseguição de carro está ao nível do 2º filme.

A capacidade do exterminador, T-X, é muito semelhante ao do 2º filme, por isso nesta característica não existiu evolução.

No entanto, claro, ajuda bastante o exterminador ser agora uma exterminadora bastante sexy.

Print

Em 2009, saiu o quarto filme desta saga: Terminator 4 – A Salvação.

A história do filme passa-se no ano 2018, mostrando como o T-800 surgiu durante a guerra entre a Humanidade e a Skynet.

Em 2003, a Dra. Serena Kogan, que trabalha para a Cyberdyne Systems, convenceu um prisioneiro no Corredor da Morte (Marcus Wright) a doar o seu corpo para pesquisas médicas após a sua execução.
Um ano depois, em 2004, como vimos no último filme, a Skynet foi ativada.

Em 2018, John Connor lidera um ataque da Resistência a uma base da Skynet. John encontra prisioneiros humanos e descobre os planos para o desenvolvimento de um novo tipo de exterminador com tecido vivo incorporado.”

Uma explosão nuclear destrói a base. John Connor sobrevive. Quem também sobrevive é o corpo de Marcus Wright.

“John viaja até ao quartel general da Resistência localizado a bordo de um submarino nuclear e revela ao General Ashdown a sua descoberta.”
Entretanto, a resistência descobre uma frequência de rádio capaz de desativar qualquer máquina da Skynet. Assim, os humanos planeiam lançar uma ofensiva contra a base da Skynet.

Enquanto isso, Marcus quase é morto por um Exterminador T-600. Mas é salvo por Humanos.
Os Humanos contam-lhe sobre o Dia do Julgamento e a subsequente guerra entre Humanos e Máquinas.

Quando Marcus é ferido por uma mina terrestre, os Humanos ficam a saber que ele é um cyborg e prendem-no. O objetivo é executá-lo. Mas Marcus acredita que é Humano.
Com a ajuda de humanos, ele escapa da prisão. John vai na sua perseguição. Hydrobots da Skynet quase matam John – Marcus salva-o. Nessa altura, eles formam uma aliança: Marcus vai entrar no quartel general da Skynet e vai desligar as suas defesas, para que John possa lá entrar e libertar Kyle Reese, que está lá preso e irá ser o seu pai (no primeiro filme).

“Marcus descobre que foi criado pela Skynet e que inconscientemente cumpriu com a missão programada de atrair John para a base da Skynet para ser morto. Ele destrói o hardware que o ligava à Skynet e tenta ajudar John na luta contra o T-800.”
John consegue destruir a base da Skynet. Mas o T-800 quase mata John (como é dito no terceiro filme).

Kate continua a querer salvar John, mas o coração de John está a morrer. “Marcus oferece o seu coração para transplante, sacrificando-se para salvar a vida de John.”

Não gostei deste filme.
Para mim, este é sem dúvida o pior filme de toda a saga.
Os Terminators perdem a graça, quando a ação não se centra em torno de Arnold Schwarzenegger.

terminator-genisys-logo

Terminator: Genisys é o próximo filme desta saga.
Este quinto filme sairá em 2015.

Arnold Schwarzenegger irá voltar a ser o Terminator.
O facto de Schwarzenegger ser agora 30 anos mais velho não parece ser problema.

Mas desenganem-se se pensam que esta saga será como a do filme Species, com mais uma sequela para estragar os primeiros filmes.
Na verdade, vai ser como Star Wars: vai existir mais uma trilogia para estragar os originais!
Além do filme em 2015, irá existir mais duas sequelas, em 2017 e 2018.

Quem está entusiasmado com isto? E quem está cínico, a pensar Star Wars, como eu? 😛

8 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Dinis Ribeiro on 29/12/2014 at 06:32
    • Responder

    Para mim, todos estes filmes alertam para algo que se pode (perfeitamente?) evitar ou controlar, mas que poderá requerer que se acabe por usar o fogo para combater o fogo… o que se chama um “contra-fogo” quando se trata de incêndios florestais…

    Backfire…a small, controlled fire set in the path of a larger uncontrolled fire, in order to limit the spread of the large fire by removing its fuel. http://en.wikipedia.org/wiki/Controlled_burn

    Artigos:

    1) Fear artificial stupidity, not artificial intelligence
    http://www.newscientist.com/article/dn26716-fear-artificial-stupidity-not-artificial-intelligence.html#.VKDkxMDAA

    Citação:

    In my role as an AI expert on the International Committee for Robot Arms Control, ( http://icrac.net/ ) I am particularly concerned by the potential deployment of robotic weapons systems that can militarily engage without human intervention.

    This is precisely because current AI is not akin to human intelligence, and poorly designed autonomous systems have the potential to rapidly escalate dangerous situations to catastrophic conclusions when pitted against each other.

    Such systems can exhibit genuine artificial stupidity.

    It is possible to agree that AI may pose an existential threat to humanity, but without ever having to imagine that it will become more intelligent than us.

    2) Can AI save us from AI?
    http://www.huffingtonpost.com/2014/12/15/ai-save-from-ai_n_6326454.html?utm_hp_ref=technology&ir=Technology&utm_medium=twitter&utm_source=twitterfeed

    Nick Bostrom’s book Superintelligence might just be the most debated technology book of the year.

    Since its release, big names in tech and science, including Stephen Hawking and Elon Musk, have warned of the dangers of artificial intelligence.

    Bostrom says that while we don’t know exactly when artificial intelligence will rival human intelligence, many experts believe there is a good chance it will happen at some point during the 21st century.

    3) Artificial Intelligence May Doom The Human Race Within A Century, Oxford Professor Says
    http://www.huffingtonpost.com/2014/08/22/artificial-intelligence-oxford_n_5689858.html

    Livro que originou o recente debate nos media:

    Superintelligence: Paths, Dangers, Strategies
    http://en.wikipedia.org/wiki/Superintelligence:_Paths,_Dangers,_Strategies

    Autor:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Nick_Bostrom

    • Nuno José Almeida on 24/10/2014 at 01:03
    • Responder

    Faltou um pormenor importantíssimo, a máquina de viagem no tempo só permite “trasportar” tecido vivo e mais tarde liga polimimética, por isso eles vêm nus. Não perguntes qual a ideia de só por terb pele exterior a máquina do tempo já funciona!!!!

    1. Bem, se estivermos a falar no Terminator 3, até posso concordar bastante com a ideia 😛 ehehehehe 😛

      Skynet is kinky? 😛

    • Flávio Silva on 23/10/2014 at 22:20
    • Responder

    Não sei se falou o Dr, Silbermen, conselheiro de stress pós-traumático em casos de rapto…ele aparece nas três primeiras series na 3º ele ainda estava traumatizado anos depois do acontecimentos no hospital psiquiátrico.

    1. Não falei nele por não ter grande papel na história… mas realmente tem razão: ele aparece no 3º, mas ainda confuso com o que lhe tinha acontecido… ele estava a precisar de aconselhamento psicológico 😉

  1. No caso do Star Wars, já vamos para a Terceira Trilogia!!! E até tenho algumas expectativas para a 3.ª!!!

    E ainda existiu a série: The Sarah Connor Chronicles… que por acaso, não começou nada mal.

    Os dois primeiros serão sempre recordados como os ‘grandes’… mas concordo contigo, o 3.º filme, é bom. Acabou por levar com a crítica em cima, mas está ao nível dos primeiros…
    O problema muitas vezes nestas coisas, é a saturação pelo género, deixa de ser novidade… Por isso, estes remakes, ou reboots, se forem bem feitos, até podem resultar, porque as novas gerações não tem as nossas ‘memórias’!!!

    Abraços

    1. Tem toda a razão 😉
      Nós somos mais críticos porque temos as memórias dos dois primeiros… que marcaram a nossa geração 😉

      Se o 3º fosse único – se não existissem os 2 primeiros – estou em crer que o 3º seria considerado excelente 😉

      abraços!

      • Nuno José Almeida on 24/10/2014 at 00:56
      • Responder

      Convém explicar que a história (Star wars) está escrita assim desde o início, esta trilogia que vem estava planeada desde o princiopio mas depois geroge lucas decidiu não filmar. Não vou contar o que se passa.

  1. […] Já falei dos outros filmes Terminator (Exterminador Implacável / Exterminador do Futuro), aqui. […]

  2. […] Fonte da imagem: AstroPT […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.