Alvorecer cataclísmico – APOD

novadawn_garlick_643

Créditos da ilustração e Copyright: Mark A. Garlick (Space-art.co.uk).

Será que neste alvorecer ocorrerá outra nova? Tais dilemas podem ser pensados um dia por futuros humanos vivendo num planeta que orbita um sistema estelar binário variável cataclísmico. As variáveis cataclísmicas ocorrem quando o gás de uma grande estrela é capturado para o disco de acreção em torno de uma estrela anã branca maciça, porém compacta.

Eventos cataclísmicos explosivos, como uma nova anã, podem ocorrer quando um amontoado de gás no interior do disco de acreção aquece após uma determinada temperatura. Nesse ponto, a amontoado cairá mais rapidamente sobre a anã branca e chega nela com um clarão brilhante. Tais novas anãs não destruirão as estrelas, e podem ocorrer de forma irregular em escalas de tempo de alguns dias até dezenas de anos.

Mesmo que uma nova seja muito menos energética do que uma supernova, se as novas recorrentes não são violentas o suficiente para expelir mais gás do que está acrescendo, a massa vai se acumulando na estrela anã branca até que passe o seu limite de Chandrasekhar. Nesse ponto, uma caverna em primeiro plano pode fornecer pouca proteção, pois toda a estrela anã branca vai explodir numa supernova tremenda.

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Olá!
    Li a matéria, pelo que entendi, isso já ocorreu, mas não nos prejudica, apenas os satélites que orbitam a Terra.

    – Seria isso mesmo?

    – Mas, há a possibilidade de ocorrer algo maior do que isso, e se nos atingir pode nos prejudicar?

    Obrigado!

    1. Até há possibilidade de os unicórnios viverem todos dentro do Sol, e saírem todos de lá quando uma grande explosão ocorrer.

      A questão não é se é possível, mas sim qual a probabilidade disso ocorrer. E a resposta é: o que tem acontecido durante a história da Humanidade, nos últimos 200 mil anos, é suficiente para perceber o que o Sol vai fazendo… sem precisarmos recorrer a cenários apocalípticos sem sentido. 😉

      abraços

  2. Olá!
    Estava lendo uma matéria no Yahoo á uns dias atrás, parecia sobre isso.
    Falava sobre estrelas de nossa Galáxia se tornarem uma Super-Nova, ou colisões entre elas, que formaria um raio de energia que poderia destruir a Terra.
    Nos comentários, alguém disse que isso seria em escala de tempo de milhões de anos, e não de uma hora para outra.

    – Bom, isso realmente é possível? E seria em escala de tempo de milhões de anos mesmo? E destruiria a Terra?

    Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.