As nuvens de Orion, o Caçador – APOD

OrionClouds_Andreo_2048

Créditos da imagem e Copyright: Rogelio Bernal Andreo.

Embalados em poeira cósmica e hidrogénio incandescente, os berçários estelares em Orion, o Caçador, se encontram na borda de nuvens moleculares gigantes a cerca de 1.500 anos-luz de distância. Abrangendo cerca de 30 graus, esta vista de tirar o fôlego se estende por toda a constelação bem conhecida da cabeça aos pés (da esquerda para a direita) e mais além.

A 1.500 anos-luz de distância, a Grande Nebulosa de Orion é a grande região de nascimento de estrelas mais próxima, aqui visível logo à direita e abaixo do centro. À sua esquerda estão a Nebulosa Cabeça de Cavalo, M78 e as estrelas da cintura de Orion. Observando bem a imagem, também encontrará a supergigante vermelha Betelgeuse no ombro do caçador, a azul e brilhante Rigel no seu pé, a Nebulosa Cabeça de Bruxa acima – e iluminada por Rigel – e a brilhante Nebulosa Lambda Orionis (Meissa) à esquerda, perto da cabeça de Orion.

A Nebulosa de Orion e as estrelas brilhantes são fáceis de se ver a olho nu, mas as nuvens de poeira e de emissões do vasto gás interestelar neste complexo rico em nebulosas são muito fracas e mais difíceis de registrar. Neste mosaico de imagens telescópicas em banda larga, os dados de imagem adicionais adquiridos com um filtro de hidrogénio-alfa em banda estreita foram usados para realçar os tentáculos penetrantes do gás hidrogénio atómico energizado, como no arco gigante conhecido por Loop de Barnard.

andreo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.