Descobertas galáxias gigantescas

Crédito: SDSS

Crédito: SDSS

Foram descobertas 53 gigantescas galáxias espirais: super-galáxias.

Na imagem vemos 3 exemplos:
– na esquerda vemos a 2MASX J08542169+0449308, que contém dois núcleos galácticos;
– no meio vemos a 2MASX J16014061+2718161, que também contém dois núcleos galácticos;
– na direita, vemos a SDSS J094700.08+254045.7 que é uma das maiores e mais luminosas super-galáxias espirais, com um diâmetro de cerca de 320.000 anos-luz, ou seja, mais de 3 vezes o tamanho da nossa Via Láctea. (a maior super-galáxia tem um diâmetro de cerca de 440.000 anos-luz)

Dois núcleos galácticos quer dizer que recentemente duas galáxias colidiram e estão na fase final da fusão. 4 das 53 super-galáxias têm dois núcleos.
Provavelmente é devido a isto que temos super-galáxias: consequência da colisão de duas grandes galáxias espirais.

As super-galáxias espirais brilham 8 a 14 vezes mais que a Via Láctea, têm 10 vezes mais massa que a Via Láctea, são entre 2 e 4 vezes maiores que a nossa Galáxia, e têm uma formação estelar 30 vezes superior à nossa Galáxia.

Elas encontram-se longe: mais de 1,2 mil milhões de anos-luz de distância de nós.

Previamente a este estudo, este tipo de galáxias – super-galáxias espirais – eram desconhecidas.
Daí que o astrofísico e principal investigador deste estudo, Patrick Ogle, tenha dito: “É como se tivéssemos descoberto um novo animal na superfície terrestre, do tamanho de um elefante, e surpreendentemente ele nunca tivesse sido visto por zoólogos.”

Fontes: NASA, NASA, artigo científico.

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. carlos voçe acredita em vida inteligente fora do planeta terra?

    1. O que eu acredito é irrelevante 😉

      Quanto a esse assunto, está na categoria de astrobiologia:
      http://www.astropt.org/category/astrobiologia/

      abraços

  2. Aparentemente os dois núcleos, na mesma galáxia, que acabou de se formar estão distantes. Eu gostaria de saber: 1. Existe um buraco supermassivo em cada um deles, certo? 2. É certo que os núcleos irão se fundir, tornando-se um só, ou a galáxia pode se estabilizar com dois buracos negros supermassivos naquela região?

    Se a pergunta não fizer sentido eu gostaria de saber por que não faz. Obrigada. (=

    1. São excelentes perguntas 😉

      1. Assume-se que sim. Note que não se pode ir “algumas centenas de milhões de anos atrás” e confirmar 😉

      2. Mais uma vez, assume-se a fusão. Mas só “esperando”… 😉
      Para estabilizarem, precisariam de condições muito específicas, quer individuais quer de órbita entre eles. O mais “normal” será a colisão.

      O “certo” em ciência, é uma probabilidade.
      Essa probabilidade é-nos dados por “snapshots”, momentos no tempo.
      É como tirar fotos individuais a cada membro da sua família. Se não os conhecer, mas se tiver um modelo de evolução dos indivíduos humanos, só olhando para as fotos, deverá poder dizer quais os mais velhos, quais os mais novos, quiçá até poderá ter uma ideia geral das relações de parentesco, etc. (ex: se vir uma fotografia de um bebé, não vai dizer que esse bebé deverá ser o pai de outro indivíduo em que vê a fotografia dele e tem 70 anos)
      No entanto, pode ter dúvidas entre alguns dos membros, e sobre as suas relações.
      Por isso, há coisas que assume, tendo em conta o modelo de evolução que conhece. Há outras coisas em que poderá estar levemente errada.

      Neste caso das galáxias, tendo em conta o que se sabe até ao momento e os modelos que se criaram de evolução das galáxias, olhando para este snapshot (momento no tempo), então os núcleos acabam por se unir e anteriormente pertenciam a duas galáxias diferentes.

      abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.