Uma Galáxia com um Segredo

O aspecto majestoso e sereno da galáxia espiral NGC6814, situada a 75 milhões de anos-luz na direcção da constelação da Águia, é muito enganador. Na década de 40 do século XX, o astrónomo americano Carl Keenan Seyfert descobriu que se passava algo de bizarro com a galáxia. O seu núcleo era extremamente brilhante e compacto e apresentava linhas espectrais de emissão (indicando a presença de nuvens de gás muito quente) muito largas (indicando que as nuvens se deslocavam a grande velocidade). Observações subsequentes mostraram que o núcleo de NGC6814 emitia grande quantidade de raios ultravioleta e raios X, um sinal inequívoco da presença de um objecto altamente energético — um quasar.

A galáxia de Seyfert NGC6814 fotografada com a câmara WFC3 do Telescópio Espacial Hubble. Crédito: ESA/Hubble, NASA, Judy Schmidt.

A galáxia de Seyfert NGC6814 fotografada com a câmara WFC3 do Telescópio Espacial Hubble.
Crédito: ESA/Hubble, NASA, Judy Schmidt.

Um quasar é composto por um buraco negro super-maciço e a sua região circundante, normalmente localizado no núcleo de uma galáxia. Quando um quasar está activo, o gás da galáxia (ou de outra galáxia durante uma colisão) é capturado pelo campo gravitacional do buraco negro e forma um disco de acreção em torno dele. O gás nesse disco orbita o buraco negro a alta velocidade e a fricção e o intenso campo electromagnético aquecem-no a temperaturas muito elevadas, ionizando-o e provocando a emissão de radiação muito energética como raios X e raios ultravioleta. Na periferia do disco movem-se as nuvens, mais frias, que dão origem às linhas de emissão observadas no espectro visível e previamente referidas. No caso da NGC6814, o buraco negro tem cerca de 18 milhões de massas solares.

O espectro visível de uma galáxia de Seyfert típica. As linhas de emissão devidas ao hidrogénio (H), nitrogénio (N), oxigénio (O), enxofre (S), entre outros elementos, são evidentes como linhas escuras verticais. Fonte: skyserver

O espectro visível de uma galáxia de Seyfert típica. As linhas de emissão devidas ao hidrogénio (H), nitrogénio (N), oxigénio (O), enxofre (S), entre outros elementos, são evidentes como linhas escuras verticais.
Fonte: skyserver

Actualmente conhecem-se milhares de galáxias com características semelhantes às de NGC6814 que são alvos frequentes de escrutínio pelos astrónomos. São designadas por “Galáxias de Seyfert”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.