Será que posso comer mel com 5000 anos?

O mel é um óptimo produto: para além de ser doce, tem algumas propriedades terapêuticas.

Como tenho andado um pouco adoentado – e confesso que sou ligeiramente guloso -, resolvi ir ao armário procurar mel. Por sinal, encontrei um frasco de mel antigo, com cerca de 20 anos. Provei e estava delicioso.

giphy

E não é de espantar que, decorridas duas dezenas de anos, o mel ainda estivesse delicioso. É que o mel tem mais esta propriedade: é o único alimento que não se estraga (embora, como veremos, é necessário que se verifique uma condição essencial).

Porquê? Compound Interest explica-nos com mais uma excelente imagem

Imagem daqui.

Imagem daqui.

O mel dificilmente se estraga porque constitui, ele próprio, um ambiente muito hostil para os microorganismos:

  1. Tem uma concentração em água muito baixa e liberta a água para fora, desidratando os microorganismos.
  2. Tem um pH ácido devido ao ácido glucónico e tem uma pequena presença de peróxido de hidrogénio (H2O2), o que dificulta o crescimento de microorganismos.

No entanto, para garantirmos que, efetivamente, o mel não se degrada é fundamental proceder ao seu correto armazenamento em recipiente devidamente fechado e guardado em local seco. Isto porque, apesar de o mel possuir pouca água na sua composição, pode estragar-se facilmente se entrar em contacto com este elemento.

Por isso, em resposta à pergunta que dá o título ao post: sim, posso comer mel com 5000 anos, desde que devidamente armazenado.

Para mais informações também podem ler aqui.

1 comentário

  1. As melhoras! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.