Nuvens em Titã

Brilhantes nuvens de metano podem ser vistas sobre Titã, lua de Saturno. Crédito: NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute

Brilhantes nuvens de metano podem ser vistas sobre Titã, lua de Saturno.
Crédito: NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute

Além de estudarem a geologia e a química dos planetas e objetos do Sistema Solar, as nossas observações também estudam o clima.

Nós sabemos que tão complexo quanto a geologia da Terra, é o nosso clima: prever onde ocorrerão eventos extremos, como se comportam as nuvens, ventos e outros fenômenos, etc.

Mas além da Terra, onde mais no Sistema Solar podemos encontrar padrões climáticos interessantes?
Os gigantes gasosos apresentam sistemas climáticos particulares e muito complexos.
Vénus tem uma atmosfera carregada de nuvens.
Já foram observadas nuvens em Marte, que mesmo com uma atmosfera rarefeita, apresenta fenômenos interessantes e intrigantes que são estudados por rovers e sondas que exploram o planeta.
A sonda New Horizons também registou formação de nuvens em Plutão.
E mais recentemente, no final do mês de Outubro de 2016, a sonda Cassini registou nuvens se desenvolvendo em Titã.

As nuvens em Titã não são muito extensas: são nuvens relativamente pequenas e que se formam em áreas dominadas pelos lagos e mares de etano e metano.

Essas nuvens em Titã não são surpresa para os pesquisadores, que usaram modelos climáticos que previram seus aparecimentos.
Mas de acordo com os modelos, deveriam aparecer muito mais nuvens do que essas pequenas formações registadas.

Isso mostra que o entendimento que se tem do padrão climático existente em Titã é incompleto, como é na maior parte dos demais objetos, e para isso a sonda Cassini continuará vigiando o satélite durante 2017, para que os cientistas possam entender cada vez melhor o clima de Titã.

Fonte: NASA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.