Pequenas maravilhas nos anéis de Saturno

Atlas, Dáfnis e Pã numa montagem de imagens recentemente obtidas pela sonda Cassini.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute.

A imagem de cima permite comparar os tamanhos e morfologia de 3 das pequenas luas pastoras dos anéis de Saturno, recentemente observadas pela sonda Cassini.

Em cima podemos ver a lua Atlas, um objecto em forma de disco com aproximadamente 41 km de comprimento. Atlas é o satélite mais próximo do limite exterior do anel A e é aparentemente constituído por uma pequena massa central esférica rodeada por um espesso disco equatorial provavelmente criado pela acumulação de finas partículas de poeira provenientes dos anéis.

Em baixo temos Pã, a segunda lua mais interior de Saturno. Pã tem aproximadamente 35 km de comprimento e é responsável por manter a divisão de Encke, no interior do anel A, livre de partículas dos anéis. A banda equatorial de Pã é mais fina e mais bem definida que a da lua Atlas, e rodeia uma massa central comparativamente maior e mais rugosa.

O pequeno objeto no meio é Dáfnis, uma lua com aproximadamente 8 km de comprimento. A órbita de Dáfnis localiza-se no interior da divisão de Keeler, um rasgo no anel A com aproximadamente 42 km de largura. Tal como as outras duas luas, Dáfnis parece possuir uma estreita banda na sua região equatorial, provavelmente formada por material dos anéis.

2 comentários

    • Francisco de Assis Dorneles on 30/06/2017 at 12:49
    • Responder

    Carlos, bom dia , aproveitando esse espaço quero lhe perguntar .
    Dentro do meu desconhecimento vejo estas luas de Saturno, e me parece mais ,se lá, asteróides por não ter uma forma mais esférica.
    Sei que estão no campo gravitacional de Saturno, então luas e planetas não são necessariamente circulares ?
    Fechando , porque vemos apenas uma face da lua ? Ela tem rotação e translação ?

    1. Sim, várias destas luas seriam asteroides que foram capturados pelo campo gravitacional de Saturno.
      Muitos mais asteroides foram capturados por Júpiter e agora são a maioria das mais de 60 luas.
      Marte tem duas luas, em que ambas são asteroides capturados 😉

      Sim, a rotação da Lua em volta do seu próprio eixo demora sensivelmente o mesmo tempo que a órbita da Lua à volta da Terra. Daí só vermos um dos lados.
      O mesmo acontece com as grandes luas de outros planetas (como as luas Galileanas em Júpiter) e com os Hot Jupiters (grandes planetas em órbitas próximas das suas estrelas).

      abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.