A Nebulosa Trífida, um “must have”

A Nebulosa Trífida (Messier 20, NGC 6514) é um alvo de eleição para a generalidade dos astrofotografos devido à sua extraordinária beleza, localização privilegiada (constelação de Sagitário) a partir dos dois hemisférios e possibilidade de ser observada com telescópios de pequena dimensão.

A sua distância não é conhecida com precisão devido às estrelas mais jovens que a compõe interferirem no processo de medição, existindo cálculos que vão de 2.000 a 9.000 anos-luz de distância; por outro lado, o seu diâmetro é estimado com maior precisão em 42 anos-luz.

M20 tem uma idade de ~300.000 anos, o que a torna uma das mais novas nebulosas de emissão conhecidas.

A Nebulosa Trífida, cujo nome significa “dividido em três lóbulos”, é um objeto composto por um aglomerado estelar aberto, uma nebulosa de emissão (tons avermelhados), uma nebulosa de reflexão (tons azuis) e uma nebulosa escura (estruturas que trissectam o coração da nebulosa).

As estrelas jovens do aglomerado aberto estão envolvidas por uma nebulosa de emissão vermelha; a nebulosa de reflexão, mais pronunciada do lado esquerdo da imagem, não está fisicamente associada, aparecendo somente ao longo da mesma linha de visão.

Os processos energéticos da formação estelar são responsáveis pelas cores que observamos. O gás vermelho incandescente resulta da radiação emitida pelas estrelas mais maciças que ionizam o hidrogénio do meio interestelar e os filamentos de poeira escura foram criados pelos remanescentes das explosões de supernovas.

O filme seguinte mostra a nebulosa na banda do visível e termina no infravermelho (telescópio espacial Spitzer), revelando filamentos de nuvens de poeira brilhantes e estrelas recém formadas só possíveis de observar neste comprimento de onda.

As observações do telescópio espacial Spitzer resultaram na descoberta de 30 estrelas maciças e outras 120 de menor massa, recentemente formadas e não observadas na banda do espectro de luz visível.

Recordo a visão panorâmica da região M8 (já mostrada no artigo anterior sobre a Nebulosa da Lagoa):

Região M8 (HD). Aquisição: Jim Misti/Steven Mazlin; processamento (LRGB): Ruben Barbosa.

e ainda um grande plano da M20:

Nebulosa Trífida (HD). Aquisição: Christopher Gomez/LTA; processamento: Ruben Barbosa.

Plataforma “O Universo em Fotografia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.