Revelando os mistérios do lado noturno de Vênus

Créditos: ESA, JAXA, J. Peralta e R. Hueso

Vênus é um mundo estranho:
– tem temperaturas na ordem dos 500 graus,
– tem chuvas de ácido sulfúrico castigando a superfície,
– a pressão na superfície é 90 vezes superior à pressão na Terra,
– e o planeta é único no sistema solar, por ter o dia maior que o ano. O dia em Vênus dura 243 dias terrestres e seu ano dura 225 dias terrestres.

Como resultado dessa característica única, Vênus tem um lado que podemos chamar de lado diurno – em que recebe uma grande quantidade de luz solar -, e outro lado que é o chamado lado noturno – que recebe pouca luz do Sol.

O lado diurno de Vênus é relativamente bem entendido, bem estudado e os pesquisadores sabem os processos que ocorrem com as nuvens ali.
E o lado noturno? Esse é um mistério, ou pelo menos era até agora.

Pela primeira vez na história, pesquisadores usaram dados da sonda Venus Express para estudar em detalhe o lado noturno de Vênus e o que eles descobriram foi surpreendente.
A atmosfera de Vênus é tão espessa, que ela tem quase que vida própria e características bem únicas.

Em Vênus existe a chamada super rotação, ou seja, os ventos na alta atmosfera venusiana tem uma velocidade 60 vezes maior do que os ventos que sopram perto da superfície do planeta.
Essa super rotação é verificada em altitudes de 65 a 72 km da superfície.

Como o lado noturno de Vênus nunca tinha sido explorado de forma detalhada até então, os modelos de circulação atmosférica do planeta previam que a super rotação acontecia de maneira uniforme pela atmosfera do planeta.
Mas ao investigar o lado noturno de Vênus com o instrumento chamado VIRTIS, um Espectrômetro Térmico Infravermelho, os pesquisadores descobriram que a atmosfera de Vênus é bem mais complexa do que eles pensavam antes – o lado noturno de Vênus tem as suas próprias características atmosféricas.

Os dados da sonda Venus Express mostraram que as nuvens do lado noturno de Vênus geram diferentes formas, morfologias.
No lado noturno de Vênus os pesquisadores encontraram grandes ondulações, nuvens despedaçadas, nuvens irregulares e padrões de filamentos que eles nunca tinham visto antes no lado diurno de Vênus.

Além disso os pesquisadores identificaram que o lado noturno é dominado por um fenômeno conhecido como ondas estacionárias, ou as chamadas ondas de gravidade. Essas ondas são misteriosas, pois não se movem juntamente com a atmosfera.

No lado diurno de Vênus, os pesquisadores já tinham identificado uma relação forte entre as feições topográficas do planeta e os movimentos atmosféricos. E os modelos de circulação atmosférica levavam isso em consideração.
Mas isso não acontece com as ondas estacionárias. Elas foram observadas no hemisfério sul do planeta, que tem feições topográficas baixas, e elas estão ausentes em níveis intermediários como os 50 km de altura.
Isso faz com que essas ondas estacionárias desafiem todos os modelos climáticos para Vênus e se transformam num grande mistério, pois os pesquisadores não sabem de onde elas vêm.

Fontes: ESA, Popular Mechanics.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.