InSight estudará os terramotos marcianos

Crédito: NASA/JPL-Caltech

A melhor maneira de se entender o interior de um planeta é através de métodos geofísicos.
Entre eles está a sismologia, que através do estudo dos sismos que geram ondas sísmicas e que se propagam pelo interior da Terra, é possível entender como o nosso planeta é estruturado.

Como a Terra é um planeta ativo, então nós conseguimos estudar como ele está agora, e ir monitorando as mudanças internas que acontecem.
Mas já pensou se pudéssemos estudar o interior de um planeta que não é geologicamente ativo? Seria possível entender muito bem como ele se formou, pois estaríamos estudando algo como se fosse um fóssil geológico.

E é isso que vai acontecer, assim que o lander InSight chegar em Marte.
Ele está levando um sismógrafo que irá estudar o interior do planeta Marte, pela primeira vez.
Mas como a sonda vai estudar a sismologia marciana, se Marte é um planeta morto geologicamente?

Marte é castigado por queda de asteroides, e quando esses asteroides caírem na superfície marciana eles irão gerar o impacto necessário para gerar as ondas sísmicas que então irão se propagar pelo interior do planeta, permitindo que o sismógrafo da InSight faça as medidas necessárias.

Os pesquisadores estimam que a InSight consiga registar algumas centenas de sismos no decorrer da missão.

Um desafio será fazer um estudo sismológico usando somente uma estação, no caso a InSight, já que na Terra esses estudos são feitos com estações espalhadas por todo o globo.

Mas para isso existem técnicas.
Já que diferentes ondas atingirão o sismógrafo em tempos diferentes, então os geofísicos poderão entender bem o interior de Marte.

Não é a primeira vez que se medem sismos em outros objetos.
Na Lua existem 4 sismógrafos deixados lá pelos astronautas da Apollo que conseguiram investigar até 100 metros abaixo da superfície, usando os estágios que partiram da Lua como fonte, e também o impacto de asteroides com a Lua.
E em Marte já se tentou fazer isso com as Vikings, mas os sismógrafos estavam localizados no topo dos landers e o experimento não deu muito certo, pois eles ficavam balançando com o vento e não estavam fixos na superfície.

Agora, a partir de Novembro, começa uma nova fase de entendimento do planeta Marte: vamos entender o interior do Planeta Vermelho e desvendar muitos dos seus mistérios.

Fonte: NASA

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.