Explosão Câmbrica teve causa terrestre ou extraterrestre?

Nos últimos 600 milhões de anos, existiram 6 enormes extinções em massa.
A última delas está a decorrer, e tem como causa primária os efeitos que os Humanos provocam no ecossistema.
A mais famosa de todas deu-se há cerca de 65 milhões de anos. Das extinções antigas, esta é a única em que se sabe com elevado grau de certeza a causa principal: a colisão de um asteroide com cerca de 10 quilómetros de diâmetro.

Não se sabe a causa das outras extinções.
No entanto, sabe-se que após uma extinção em massa, abrem-se nichos que permitem uma explosão posterior de biodiversidade.

Há cerca de 550 milhões de anos deu-se a Explosão Câmbrica, o chamado Big Bang Biológico.
Durante milhares de milhões (bilhões, no Brasil) de anos, existiram somente organismos unicelulares na Terra. Depois, evoluíram para multicelulares. Mas eram em pequeno número.
No entanto, há cerca de 550 milhões de anos deu-se um súbito aumento de organismos multicelulares, e sobretudo deu-se uma enorme explosão em biodiversidade.
(por “súbito”, em termos geológicos, entenda-se um período de dezenas de milhões de anos)
De um momento para o outro (em termos geológicos), a Terra estava cheia de organismos multicelulares e muito diferentes entre si.

O que causou isto?
Não se sabe.

Têm sido publicados alguns artigos com algumas hipóteses.
Mas não existe consenso de causa primária.

Agora, foi publicado um artigo na revista científica Progress in Biophysics and Molecular Biology que defende uma causa extraterrestre. Na verdade, defende a hipótese da panspermia aplicada não só à origem da vida e a algumas extinções em massa, mas também ao porquê de ter existido uma explosão de diversidade há 550 milhões de anos (e a outros saltos evolutivos). Segundo os autores, vírus, bactérias resistentes, e até organismos mais complexos poderão ter semeado a vida na Terra, permitindo que a vida tenha se desenvolvido aqui inicialmente, mas também permitiu alguns saltos evolutivos ao longo dos tempos. Eles defendem inclusivé que uma constante e repetida panspermia permitiu a existência de uma diversidade genética que, posteriormente, levou à emergência da Humanidade.

O artigo é bastante interessante, daí eu o sugerir.
No entanto, o artigo faz sobretudo uma revisão da literatura científica. Não traz nada de novo. Nem sequer expõe evidências conclusivas. Aliás, se o lerem, veem que por vezes especula e faz ligações com uma direção pré-determinada.
Por isso, leiam o artigo, que é interessante, mas deem um “desconto” em algumas secções.

O artigo está aqui.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.