Um retrato de família em fulldome

Créditos: P. Horálek / ESO

Esta imagem fulldome do Very Large Telescope (VLT), no Observatório do Paranal do ESO, mostra quase todos os constituintes deste telescópio num único retrato de família!

O VLT do ESO é composto por quatro enormes Telescópios Principais de 8,2 metros, que podemos ver na imagem facilmente reconhecíveis pela sua aparência em forma de caixa, e quatro Telescópios Auxiliares de 1,8 metros, três dos quais podemos ver na imagem com as cúpulas redondas abertas. Para além das suas designações standard, cada um dos quatro telescópios gigantes tem o seu próprio nome na língua indígena local, o mapuche: Antu (O Sol), Kueyen (A Lua), Melipal (O Cruzeiro do Sul) e Yepun (Vénus).

O raio laser amarelo que corta o céu noturno lançado por um dos telescópios, cria uma estrela artificial no cimo da atmosfera, a chamada Estrela Guia Laser. Esta “estrela” faz parte do sistema de óptica adaptativa do telescópio, o qual permite aos astrónomos compensar os efeitos da turbulência atmosférica e obter imagens muito mais nítidas.

Esta imagem foi criada pelo Embaixador Fotográfico do ESO Petr Horálek e trata-se na realidade de um puzzle composto por diferentes imagens que formam este panorama de alta resolução.

Fonte (transcrição): ESO

Créditos: P. Horálek / ESO

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.