Conhecimento Científico vs Alusões Erradas e Crenças Metafísicas

Ao ler um conjunto imaginativo de comentários tentei responder de uma forma séria, científica e ponderada. Assim, surgiu um post.

O tema é a fraude óbvia da Terra Ôca. Alguém faz algumas alusões deliciosamente erradas. E eu teço comentários deliciosamente à altura.

Vou apresentar excertos do comentário intercalados com as minhas respostas.

“como não sou cientista exponho meus próprios pontos de vista utilizando uma linguagem simples começando por comparar a Terra como um corpo fisico que também é ‘oco’ como o nosso”

Por aqui se vê que não é cientista. Pois, porque qualquer cientista sabe que o corpo não é ôco. Atenção, não me refiro a pseudo-cientistas que tiraram licenciaturas em conventos.

 

“com uma energia vital que o sustenta e no caso é seu “Sol Central” que a ciência chama de núcleo julgando que vem daí o magma dos vulcões.”

Então qual é essa energia vital? Como a caracteriza? É composta de que elementos? Como se mede? De facto, aqui mostra o seu espírito ao afirmar que não é cientista, não percebe nada de ciência mas, mesmo assim, a ciência está errada.

 

“o magna da Terra não se forma no seu Centro ou “Sol Central” mas sim nas camadas internas sob a crosta.”

Entendo o esforço dessa comparação mas não a compreendo. No nosso corpo, vivo, temos células que formam o pus e a infeção. A infeção vem de um patogénico, de um corpo estranho. Agora quero que me diga quais os corpos estranhos, quais as “proteínas” que reconhecem os corpos estranhos, quais os mecanismos de reconhecimento, quais as células que “papam” os corpos estranhos, etc. Enfim, tal como o processo inflamatório é bem explicado pela Biologia, a tua deverá, também, ser bem explicada.

 

“extração desenfreada do petróleo nas últimas décadas (mais de 8 milhões de barris por dia) das entranhas da Terra onde ficam gigantescas ‘bolsas’ subterrâneas por baixo das placas continentais onde se dão grandes desmoronamentos”

Então referes na “tua tese” que as perfurações chegam, pelo menos, aos 35 km (isto na crosta marítima, porque na terrestre é o dobro)! Já que a crosta tem uma profundidade dessa magnitude então achas que o recorde mundial não está nos 7 km. O Guinness está a tapar-nos os olhos? Pensas, então, que há uma grande conspiração e há buracos muito maiores. Ou acreditas que há uma conspiração e a geologia está errada, querem-nos enganar e que o manto encontra-se muito mais perto de nós. Ou achas que há uma conspiração e a física está errada e que a gravidade não é como nos ensinaram. As experiências que fizemos na faculdade eram fraude? (Eu bem achei que aquele prego tinha um fio que o puxava para baixo…)

 

“terramotos, (…) estão a aumentar de frequência e intensidade devido (…) onde se dão grandes desmoronamentos de terras ou rochas com ondas sismicas.”

Aumentam? Então explica-me este gráfico:

Eu próprio “saquei” listas dos piores terramotos dos últimos 100 anos e coloquei-os numa tabela. Com ela fiz um gráfico. Reparamos que a média das magnitudes diminui. Coloquei uma reta de regressão linear e… tcharam(!) de facto diminui a intensidade média dos terramotos. Isto é, como direi, CIÊNCIA!

E, já agora, como se explica a ausência de terramotos na década de 50? E se, são por motivo da exploração petrolífera porque há intervalos de 2 anos sem grandes terramotos atualmente e porque havia grandes terramotos há mais de 100 anos? Eram os ETs a explorar o nosso petróleo?

 

“Por fim, a questão da gravidade e pressão é mantida de igual modo de dentro para fora como de fora para dentro tal como sucede no nosso corpo onde se mantêm estáveis liquidos, fluidos, órgãos de várias densidades, etc. A diferença é que tudo isso se passa num nível macrocósmico. Certo?”

Errado, erradíssimo. Não compares com corpo biológico que é atraído para o centro gravítico da Terra com a própria Terra. O centro gravítico da Terra é o seu centro geológico e, como tal, tudo, mas mesmo tudo é atraído para lá, mesmo o nosso corpo. Sabes como se calculou a gravidade que usas na tua explicação?

 

“O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima”

Começo a ter medo que haja pombos debaixo dos meus pés…

 

Resumindo, foi apenas demagogia e sem qualquer referência a artigos científicos. Sem cálculos e sem explicações científicas. Foram apenas crenças camufladas com comparações falaciosas. Imagina só eu dizer que o banco onde estou dá para colocar no meu carro, em vez da roda. Assim, nunca furo os pneus e poupo dinheiro. “Mas não funciona porque não tem a mesma forma!” Isso não interessa nada. É quadrado, têm área, tal como a roda tem área. Então dá para andar, porque também há tratores com rodas muito esquisitas… lagartas e andam bem. Estás a entender esta comparação? Certo?

Houve até uma ideia de um grande cientista que tirou a licenciatura não certificada num apartamento em New York que disse que podíamos ter rodas quadradas e andar bem. Isto porque as estradas têm buracos. Assim, o vértice do quadrado caía para o buraco a impulsionava o carro para a frente. Ou seja, como se o chão fosse composto por semi-círculos convexos. Assim:


No entanto, mesmo aqui há ciência. Não há apenas ilusões.

Já agora, a imagem inicial explica as rochas encontradas nas respetivas zonas vulcânicas e está de acordo com os conhecimentos referentes às placas tectónicas. Bem, suplantar conhecimento deste género com apenas um “a minha tese é que o magma é pûs e está a 2kms dos nossos pés” e que “vivem homenzinhos roxos do outro lado” epah…

26 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Olá,

    Acho estranho não se apresentar… mas não deve fazer parte da Sociedade da Terra Ôca, porque está a dar uma “versão moderada” da coisa, quando essa Sociedade segue as ideias loucas do Rui Palmela.

    Quanto às grandes cavernas com potenciais civilizações lá dentro, gostei desta frase:
    http://www.answers.com/topic/hollow-earth
    “A persistent variant of the hollow Earth cosmology is the idea that the Earth is honeycombed with a network of secret subterranean cities and caverns, the home of underground kingdoms. Such notions have been articulated by Richard Shaver. These are modern versions of older folklore about fairies and gnomes.”

    Já agora, Richard Shaver era um escritor de ficção científica…

    Há séculos atrás pensava-se que fadas, gnomos, etc, viviam em grandes cavernas na Terra, e depois a ficção científica mudou isso para humanos… e alguns passaram a seguir essas ideias.
    A Igreja da Cientologia baseia-se também em escritos da ficção científica…
    E muita gente é fanática por Star Trek ao ponto de pensar que existem federações galácticas de extraterrestres…

    Sinceramente, ao ler o seu comentário, fez-me lembrar o filme Super Mario Bros. Também só temos modelo de dimensões, por isso posso também imaginar grupos de pessoas “escondidas” noutras dimensões…

    Por outro lado, não estou a ver quem seja Essasser, mas a ideia da Terra Ôca nasceu “cientificamente” dos cálculos errados de Newton, que fez Halley acreditar numa Terra Ôca.
    De resto acho estranho que não fale das evidências científicas, ou até de dados em termos de gravidade, ondas sísmicas, etc.

    Por último, penso que está a fazer um salto de pensamento, ou seja a dar um argumento falacioso, em termos de escalas.
    As Lombrives têm 39 kms no total (por total entenda-se que nem sempre têm por exemplo a altura desejável para um humano). A distância de Austin a Houston é pertinho e são mais de 200 kms.
    Se as tais Lombrives podem conter 1200 pessoas, então é certo e sabido que não podem conter pessoas durante muito tempo… por exemplo, “civilizações escondidas” durante milhares de anos.

    “Ora a questão da Terra Oca parte de saber se é possível ao nível da crosta ou da litosfera a existência de cavernas de tal modo grandes que pudessem albergar cidades auto-suficientes. A teoria da Terra Oca o que advoga é a existência de um conjunto de aglomerados habitacionais em determinados pontos do planeta”
    <--- segundo tudo o que sabemos atualmente... a resposta é não. Grupos relativamente pequenos de pessoas esconderem-se temporariamente nessas grandes cavernas devido a forças sociais/políticas do momento.... sim. Grupos enormes ("cidades auto-suficientes") de pessoas que se escondam durante milhares de anos... não. É pura ficção científica - pendente para a fantasia / ficção.

  1. […] ideias fantásticas pseudo-religiosas, de um certo visitante que veio só dizer disparates? Leiam aqui e aqui. Os comentários foram posteriormente vedados, como eu disse nos comentários, porque o […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.