Páscoa em … Lua Cheia

Porque é que a Lua está sempre em fase cheia na semana Pascal?

Desde os primórdios da cristandade que a data da Páscoa, dia em que se celebra a ressurreição de Cristo, é fundamental para a estruturação de todo o calendário litúrgico cristão.

A determinação inequívoca do dia da Páscoa para que esta seja celebrada no mesmo dia do calendário por toda a cristandade, independentemente da sua localização geográfica, constituiu um problema que só foi normalizado no primeiro concílio de Nicéia em 325 d.C.

Nesse concílio, convocado pelo imperador romano Constantino, foi determinado que o dia da Páscoa fosse celebrado no primeiro Domingo depois da primeira Lua Cheia que ocorra em ou logo a seguir ao equinócio da primavera, no hemisfério norte (21 de Março).

Mas a determinação do equinócio, através do calendário então seguido, não garantia uma “coincidência” entre a previsão e a realidade, por imperfeição contida no mesmo. O calendário Juliano (assim designado em honra a Júlio César) em vigor ao tempo do primeiro concílio de Nicéia continha em si uma imprecisão de cerca de 11 minutos e 14 segundos em excesso em cada ano.

Por volta de 1582, a inexactidão do calendário Juliano teve como resultado que o equinócio da primavera ocorreu no dia 11 em vez de 21 de Março como se esperaria. Este desfasamento, introduzia erros no calendário religioso cristão e, na prática, o dia de Páscoa era celebrado em dias diferentes em diversos pontos do hemisfério. Era preciso fazer alguma coisa para reacertar o calendário oficial.

O Papa Gregório XIII (1502 – 1585) criou uma comissão liderada pelo jesuíta matemático e astrónomo Christoph Clavius (1537-1612) para resolver o problema. É de referir que este Papa terá convidado previamente o matemático português Pedro Nunes (1502 – 1578) para solucionar o problema, mas este morreria antes de acabar a tarefa.

Na sua bula Inter Gravissimas, o Papa Gregório XIII consagra o trabalho matemático e institucionaliza o calendário que ainda hoje seguimos no ocidente e que tem o seu nome (calendário gregoriano). Resulta de um muito satisfatório conjunto de regras de acertos regulares nos anos ditos bissextos, o que assegura um compromisso no calendário aceitável na predição dos movimentos relativos de translação da Terra ao redor do Sol e da Lua em redor da Terra.

Acrescente-se, contudo, que a determinação do dia de Lua Cheia, para a determinação do domingo Pascoal, não faz uso das tabelas astronómicas, mas sim o definido nas Tabelas Eclesiásticas que, apesar de não incluírem com rigor o movimento complexo da órbita Lua, são suficientes para permitir uma regular e uniforme determinação de um mesmo momento por toda a cristandade, independentemente da sua latitude e longitude.

 

6 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. porque que a pascoa calha sempre no mesmo dia?

    1. A Páscoa calha sempre em dias diferentes… calha é no mesmo dia da semana.
      http://www.astropt.org/2012/03/21/comecou-a-contagem-para-a-pascoa/

      abraços

    • joana andrade on 20/04/2011 at 18:44
    • Responder

    Na verdade ha um motivo para a escolha do domingo de Pascoa pelo Imperador Constantino e o concilio de Niceia: segundo os evangelhos, Jesus morre e ressuscita durante a pascoa hebraica, e dai, a igreja ter tentado fazer coincidir a Pascoa com a celebracao da Pascoa judaica. Entretanto ha o ajustamento do calendario juliano para o gregoriano e o facto de o nosso calendario ser solar e o judaico lunar, o que faz que ja nao coincidam minimamente. Este link explica melhor:
    http://www.webexhibits.org/calendars/calendar-christian-easter.html
    .
    Ja agora, tambem encontram la uma nota sobre o numero de ouro e porque e que a Pascoa calha sempre entre 22 de Marco e 25 de Abril

    • Ana Guerreiro Pereira on 20/04/2011 at 17:14
    • Responder

    E o q dizer, agora, do dito estudo que afiança que a última ceia não ocorreu na data que tem vindo a ser celebrada?

    http://www.publico.pt/Sociedade/ultima-ceia-de-jesus-pode-ter-sido-numa-quartafeira-e-nao-na-quintafeira-santa_1490362

    (tudo isto, partindo do princípio que Jesus existiu enquanto figura histórica; mas isso é outro pano para outras mangas :D)

      • Rodolfo Penteado on 20/04/2014 at 13:28
      • Responder

      Ana, não consegui ler esse texto, mas posso especular qual o argumento usado: o dia em que se celebra Pessach não cai no dia da semana estabelecido.

      Isso é um argumento possível, mas não há como comprovar.

      Atualmente o calendário judaico é fixado e dentro das suas regras, duas geram isso: 10 de Tishrei, o dia do Perdão, Yom Kipur, não pode cair em uma sexta ou domingo para não coincidir dois shabatot (plural de shabath) seguidos e o dia 21 de Tishrei não pode cair em um shabath já que isso criaria algumas complicações para a celebração de Hosana Rabá. Desse modo, Rosh HaShanah, o ano novo judaico, em 1 de Tishrei não cai em uma quarta, sexta ou domingo.

      Isso atualmente faz com que quase todo o calendário judaico tenha seus dias caindo sempre em 4 determinados dias da semana e nunca nos demais 3.

      Porém ele foi fixado dessa maneira por Hillel III, sábio dos tempos talmúdicos ao redor do ano 360 da presente devido a necessidade criada pela ausência do San’hedrim que fazia a definição do calendário judaico anteriormente.

      No período do San’hedrim os meses não eram fixados em 29 ou 30 dias alternadamente ou havia o uso do calendário metonico para estabelecer quando se usaria um mês adicional para equiparar o ciclo solar e lunar. Tudo dependia da observação. No 29º dia do mês se era observada a lua nova o San’hedrim declarava o início do novo mês, caso contrário isso era feito no dia seguinte. Assim, os meses seguiam estritamente o período lunar.

      Assim, afirmar que antes da fixação do calendário tal dia do calendário judaico caiu em determinado dia da semana dificilmente poderá ser verificado.

      Ah sim, atualmente, 15 de Nissan, o dia de Pessach, nunca cai em uma segunda, quarta ou sexta. A ceia, o seder, é feito na noite anterior, ou seja, nunca é atualmente em uma noite de domingo, terça ou quinta.

  2. Deixo 3 pequenas achegas.
    1 – Para efeitos de cálculo litúrgico, o equinócio da Primavera é sempre 21 de Março, mesmo que o equinócio ocorra nos dias 20 ou 22 e a Páscoa será sempre após o equinócio.
    2 – O dia 21 nunca será domingo de Páscoa.
    3 – A Páscoa será entre 22 de Março e 25 de Abril.

    Alberto

  1. […] Niceia, realizado no ano 325, que o Imperador Constantino estipulou esta regra (leiam aqui, aqui, aqui, […]

  2. […] Halo Solar em Fátima. Ignorantes. Richard Dawkins. Super-Humanos. Ciência vs. Religião. Páscoa (aqui). Crenças […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.