Duas Frentes em Climatologia

Em ciência é frequente haver 2 ou mais lados da mesma realidade. Contudo este caso tem dado que falar desde 2005. Existem os cientistas que fazem previsões científicas que culminam num aquecimento global e há outros que acham que não será tão desastroso. Outros há, ainda, que acham que será bem pior.

Judith Curry é directora da Escola de Ciências da Terra e da Atmosfera, do Georgia Institute of Technology. Esta cientista critica duramente o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

Para a maior parte dos cientistas, os relatórios do IPCC, divulgados a cada 5 anos, são consensuais. Contudo, Curry acusa o painel de corrupção. Desde a segunda metade de 2009 detonou o escândalo “climagate”, que conferiu a Curry o apelido de traidora por ter divulgado tais acusações via mail e em diversos sites e blogs.

Tudo começou com um artigo de 2005 na revista Science. Este trabalho científico concluía um aumento violento dos ciclones tropicais e do aquecimento global. Obviamente que foi bastante atacado em blogs de céticos. De início Curry entrou, no blog de Roger Pielke, Jr., professor na Universidade do Colorado, que critica o estabelecimento das ciências climáticas.

Judith Curry continua convicta de que o planeta está a aquecer e que os gases de efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono, é o principal componente. Felizmente não acredita que os relatórios do IPCC sejam fraude ou que haja uma conspiração internacional.

Foram levadas a cabo investigações sobre conflitos de interesse entre o IPCC e Universidades independentes. No fim, não foram encontradas provas de ciência fraudulenta. Mesmo o Conselho InterAcademias (IAC) não encontrou qualquer evidência de fraude.

O público pretende saber se o clima está a mudar e quais os efeitos. No entanto as respostas dos cientistas são baseadas em intervalos de confiança e probabilidades, o que parece política para os leigos. Tudo o que tenha “incerteza” carrega um teor político e de engano.

A incerteza está presente nos dados referentes ao passado e aos do futuro. A crítica de Curry é que essas incertezas não foram bem aplicadas aos cálculos e que falta, nas equações, o efeito do CO2.

Stephen H. Schneider, da Standford University, frisou que “a falta de precisão é admitida pelo IPCC” e que “as acusações de Curry são enganosas”. Referiu ainda que “vimos muitos argumentos falaciosos de Judy ultimamente” e que “é chocante ver uma cientista tão boa mudar de tal modo rumo a um pensamento desleixado”.

A ignorância é o não saber, enquanto que a incerteza é o quantificar o desconhecido. O estatístico Chris E. Forest refere que “se não podemos falar de linguagem da teoria da probabilidade e distribuição de probabilidades, então temos de recorrer a conceitos como probabilidades”.

O Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, de 2007, destaca um aumento do nível do mar entre 0,18 e 0,59 m até ao final deste século.

Já aqui escrevemos algumas vezes sobre este tema.

2 comentários

    • Agostinho Magalhães on 29/07/2011 at 19:09
    • Responder

    E enquanto eles discutem as estatísticas, as médias, os estudos, as probabilidades, as incertezas, o globo aquece, as regiões desertificam-se, os cancros de pele aumentam…

    • Manuel Rosa Martins on 29/07/2011 at 11:50
    • Responder

    Revisão científica é sempre bem-vinda, aliás é parte integrante do processo científico. Acusações falsas de fraude pertencem mais ao foro dos Tribunais, pois nunca é demais realçar que calúnia é crime em Portugal e em todo o mundo onde há o primado da Lei.

    Advogar o fim da Climatologia é exactamente o mesmo que advogar o fim da Astronomia para se estudarem os astros.

    Neste caso do aquecimento global não deixa de ser curiosa a evolução da posição da gigante petrolífera Exxon. Começou por negar as evidências, mas perante as centenas de milhar de trabalhos científicos – os revistos pelos pares – hoje prefere admitir os factos como factos numa tentativa de limpar a sua imagem e poder continuar a poluir em todo o mundo a seu bel-prazer. Os anglo-saxónicos designam esta atitude por “lip-service.”

    O aquecimento global é um facto, não é um debate. O debate centra-se, e é acalorado, nos factores de ponderação.

    Sobre este assunto, a Nasa providencia um website dedicado que é bastante completo sobre os achados e a situação actual.

    Poderão navegar pelo menu à esquerda da página web para verificarem diversos aspectos relevantes, incluindo a aqui mencionada Incerteza.

    É este o link:

    http://climate.nasa.gov/evidence/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.