Google+

«

»

Ago 20

NASA avisa: ETs vão atacar a Terra para prevenir o Aquecimento Global !

Seth Baum, Jacob Haqq-Misra, e Shawn Domagal-Goldman são 3 investigadores.
Seth e Jacob pertencem à Penn State, e Shawn trabalha para a NASA.
São todos jovens, e por isso têm algumas “ideias malucas” que aplicam nos tempos livres (só para se divertirem). As “ideias malucas” são do género discutirem e até escreverem artigos onde divagam sobre um conjunto de coisas que à primeira vista parece uma perda de tempo. Mas como é no tempo livre (e não no emprego), então estão à-vontade.
Na verdade, um deles conheci-o há uns anos numa conferência de astrobiologia, e desde aí que nos temos encontrado noutras conferências e trocado mensagens e ideias sobre projectos do mesmo género – em que vamos discutindo ideias mais “out there” só para nos divertirmos um bocado com a especulação de ideias.
É só.
Nada de especial. Nada de extraordinário. Tudo normal.

Ora, recentemente Seth Baum, Jacob Haqq-Misra, e Shawn Domagal-Goldman decidiram publicar um artigo especulativo sobre diferentes cenários em que os ETs contactassem a Humanidade, e sobre se cada um desses cenários seria benéfico ou prejudicial para a Humanidade. Podem ler o artigo, aqui.

Ou seja, deixem-me repetir os factos:
– 3 amigos juntaram-se.
– apesar de eles pertencerem a instituições (como a NASA), nada do que eles dizem tem a ver com estudos, investigações, ou sequer aprovação por parte dessas instituições. Isto foi feito nos tempos livres só por brincadeira (ex: tal como este blog não é aprovado pela Universidade do Texas, apesar de eu pertencer a essa Universidade. Isto é um blog que escrevo nos meus tempos livres, e a Universidade não tem nada a ver com o que eu faço nos meus tempos livres).
– decidiram colocar diferentes cenários e imaginar qual seria o resultado para os Humanos da chegada de ETs.
– existem assim vários cenários. Um deles (falado nas páginas 20 e 21… de 33 páginas) é sobre a atmosfera terrestre.
– nada disto é ciência, mas sim meramente especulações divertidas que nós, desta área, gostamos de fazer e discutir.

Entretanto, o jornal satirico Weekly World News decidiu escrever um artigo sobre esta temática.
O Weekly World News é como o The Onion, ou o Inimigo Público. É para a gente se rir, mas não levar a sério.
No entanto, de vez em quando, os péssimos jornalistas e os seguidores crentes assumem que notícias nesses jornais satíricos têm que ser verdade. Vejam por exemplo os casos da Nuvem do Caos, ou da Rapariga grávida de chimpanzé.
Desta vez, este jornal decidiu dizer que a NASA tinha confirmado que os ETs nos vão invadir, e tudo devido ao Aquecimento Global! Nas palavras desse jornal satírico: “NASA confirmed today that aliens are invading earth – and they are attacking us because of global warming!”
Como podem ler no artigo, há pequenas partes que são verdade, como ao referirem cientistas da Penn State, mas a grande maioria das coisas são mentira, como trocarem o nome dos investigadores, como dizerem que a NASA está envolvida, como dizerem que houve confirmação de invasão, como escreverem que tem a ver com Aquecimento Global, ou como escreverem frases destas: “the U.N. Panel on Extraterrestrials has confirmed that aliens from Planet Zeeba began invading our planet”.
Ou seja, obviamente, tendo em conta que o jornal é satírico, eles criam toda uma história fantasiosa em volta do artigo, de modo a fazer as pessoas rir e se divertirem.

Toda a gente percebe sobre que foi o artigo inicial e toda a gente percebe o que é um jornal satírico, certo?

Não!

Se forem ao Google vêem já 500 mil páginas sobre isto!!! A dizerem que a NASA criou um relatório onde confirma que os ETs nos vão invadir!
Se alguém quiser saber a quantidade de conspiradores acéfalos ligados à internet, basta contar quantos divulgam esta notícia satírica como se fosse verdadeira!
Mesmo jornais como o The Guardian ou televisões como a FOXnews, apesar de referirem os vários cenários, assumem que isto é um relatório (quando não é!), que é feito pela NASA (quando não é!), e que o Aquecimento Global é o principal problema que vai levar os ETs a invadir-nos (quando nada disso se passa!).

Apesar do Shawn, que trabalha na NASA, já ter vindo a público dizer que este artigo são simples especulações feitas nos tempos livres por 3 amigos e que nada tem a ver com ciência ou com a NASA, o certo é que as críticas já apareceram, dizendo que a NASA não pode deixar que a sua imagem seja assim tão mal-tratada publicamente – não se pode continuar a subestimar a burrice acéfala dos conspiradores, porque essa burrice parece não ter limites!

Como diria Albert Einstein: “Só 2 coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana, e eu não estou certo quanto ao Universo.”

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
Foi Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

15 comentários

4 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Carlos Oliveira

    Eu próprio, ao discutir diferentes cenários com uma miríade de pessoas da área, consegui criar para a minha dissertação de doutoramento cerca de 300 cenários como resposta ao Paradoxo de Fermi (Onde estão os Extraterrestres?).

    Quando resolver publicar isso, já estou a ver os títulos nos jornais no dia seguinte:

    “Português encontra extraterrestres!”
    ou
    “Portugueses unem-se a extraterrestres para acabar com o mundo!”

    enfim… 😛

    1. Marco Filipe

      Depois vais à Júlia 😛

      1. Ana Guerreiro Pereira

        E à Fátinha! E ia à Oprah se esta não tivesse já terminado, entretanto.

  2. Marco Filipe

    Que teoria da conspiração irão inventar a partir deste episódio do Doctor Who? 😀 http://www.youtube.com/watch?v=NZElCcyypY4

  3. José Gonçalves

    Não sei, mas fez-me lembrar este post http://www.astropt.org/2011/04/21/hoje-e-o-dia-do-julgamento-final/ (por causa do comentário que lá deixei, eles que venham que levam com os tugas).

  4. Carlos Oliveira

    Há poucos dias atrás, o mundo acabou.
    Não notaram? Andam distraídos.
    http://www.astropt.org/2011/08/16/cometa-honda-matou-nos-a-todos/

    Entretanto a Júlia Pinheiro faz um programa na TV sobre o fim do mundo:
    http://www.astropt.org/2011/08/20/julia-acaba-com-o-mundo/
    Em que ficam a faltar muitos pontos de interesse:
    http://www.astropt.org/2008/08/22/2012/

    Agora, supostamente a NASA diz que existe uma invasão extraterrestre:
    http://www.astropt.org/2011/08/20/nasa-avisa-ets-vao-atacar-a-terra-para-prevenir-o-aquecimento-global/

    Para quando o reconhecimento por parte das pessoas que são cidadãos-cientistas diariamente?
    http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

    E quando a comunicação social utilizará a sua plataforma para ajudar as pessoas a separar o conhecimento das vigarices?
    http://www.astropt.org/2011/08/11/elenin-nao-e-uma-ana-castanha-nem-o-nibiru/

  5. Paulo

    Bom, se os Ets chegarem e não começarem a desatinar com o povo, o que lhes podemos dizer é:
    Bem vindos Cavalheiros/Damas!
    Tomam conosco uma cervejinha gelada?
    Como podem verificar, o aquecimento não é tão global como parece!
    Por chance, não tem convosco os projectos de uns geradores…
    Entendem que com o aumento do IVA para 23%, de alguns bens essenciais, para suportar as novas secretarias do estado, vamos ficar um bom bocado mais pobres…

  6. Dinis Ribeiro

    Penso que esta situação levanta várias questões interessantes:

    1) Penso que a evolução da NASA e a “poderosa” influência dessa “imagem de marca” é um fenómeno muito interessante, em si mesmo, como objecto de estudo da ciência política, economia (marketing), e também de outras disciplinas.

    Concordo que “a NASA” se deve defender de lhe atribuírem “tudo e mais alguma coisa” nos assuntos relacionados com a exploração espacial.

    No âmbito da actual aceleração da degradação da qualidade do jornalismo, ( ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Atrofia) receio que, de uma certa forma a “Marca NASA” começa a funcionar (involuntáriamente?) como um buraco negro, sempre a atrair mais máteria com o seu enorme campo gravítico, o que faz com que tudo o que é “espacial” tenha obrigatóriamente que ficar de algum modo ligado á NASA.

    Tudo isto lembra-me (de novo) este filme: http://en.wikipedia.org/wiki/Idiocracy e nessa lógica, daqui a 500 anos, a maioria “esmagadora” das pessoas poderão acreditar que a toda a tecnologia que existe, incluíndo os computadores, foi inventada pela NASA (com ajuda dos extraterrestres, claro).

    Quando em doses demasiado elevadas, até a (pura e refrescante) água se pode tornar tóxica para o organismo:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Water_overdose

    2) Na minha opinião, é uma pena que a existência da Academia Intrernacional de Astronáutica http://en.wikipedia.org/wiki/Acta_Astronautica saia “desvalorizada” no meio de todas estas notícias, por ter sido em “termos informativos” vítima duma espécie de http://en.wikipedia.org/wiki/Hostile_take_over pela “marca” NASA, devido á “moda” de atribuir tudo á NASA, e que as suas actividades ( A Acta Astronautica é um Journal publicado pela http://en.wikipedia.org/wiki/Elsevier) sejam apresentadas como sendo 100% especulativas. Além disso, conheço bem algumas pessoas que fazem parte do “Active SETI study Group” da AAI (site oficial: http://www.iaaweb.org/ ) e penso que a frase seguinte é talvez um bocado exagerada e apenas (muito) parcialmente verdadeira: “São todos jovens, e por isso têm algumas “ideias malucas” que aplicam nos tempos livres (só para se divertirem)”

    3) O mundo é relativamente grande e nem toda a gente funcionará na lógica “Espacial = NASA”. Por exemplo, uma outra “marca” de “conteúdos culturais” (TimTim) oriunda da Europa, optou por se referir á Federação Internacional de Astronáutica http://www.iafastro.com/index.html?title=Main_Page e de omitir completamente a existência da NASA no âmbito do album de banda desenhada “Voo 714 para Sydney” que apresenta uma (subtil?) crítica socio-económica ao “mundo dos negócios aeroespaciais”.

    Ando também á procura dum livro (If the sun dies / Se il sole muore de 1965) – desta autora: http://fr.wikipedia.org/wiki/Oriana_Fallaci, pois (li noutro artigo) terá havido um técnico da NASA que terá dito (quero confirmar se é verdade) em entrevista nesse livro, que no “futuro” que se deveriam “fechar” todos os museus de arte antiga da europa, porque eram completamente inúteis para o progresso da ciência e da técnica.

    4) Gosto muito do Onion http://en.wikipedia.org/wiki/The_Onion e comento que em termos de ciência política, há um grande interesse na análise de conteúdos “satíricos”:

    O bobo da corte divertia o rei e os áulicos. Declamava poesias, dançava, tocava algum instrumento e era o cerimoniário das festas. De maneira geral era inteligente, atrevido e sagaz. Dizia o que o povo gostaria de dizer ao rei e zombava da corte. Com ironia mostrava as duas faces da realidade, revelando as discordâncias íntimas e expondo as ambições do rei. Muitas vezes eram as únicas pessoas que podiam criticar o rei sem correr riscos. http://pt.wikipedia.org/wiki/Bobo_da_corte / http://en.wikipedia.org/wiki/Jester

    A caricatura escolhida (2011) para as “ideias malucas” lembram-me estes bonecos animados: http://en.wikipedia.org/wiki/Dexter%27s_Laboratory num primeiro nível de análise.

    Contudo, começando a “mergulhar no tema”, penso que o desenho é fortemente “inspirado” (digamos) por um filme de outra época (1963) que teve uma forte influência no modo de se ver os cientistas e que é este: http://en.wikipedia.org/wiki/The_Nutty_Professor

    Um cientista que acaba a trabalhar em Brasília num álbum de banda desenhada de 1970, “A cidade das águas movediças”, e que também terá sido inspirado pelo Jerry Lewis é a curiosa personagem do Dr. Schroeder:

    (Se tiverem o álbum, sugiro uma vista de olhos a esta parte): Searching the lab, Valérian is astonished to discover what appears to be a prototype space-time machine. Schroeder informs him that he and some colleagues built it but couldn’t get it to work. Examining the machine, Valérian realizes that he can make it operational with a few modifications. Before departure, he and Laureline knock Schroeder and Sun Rae unconscious so that they can’t see what happens next. http://en.wikipedia.org/wiki/The_City_of_Shifting_Waters

    5) Para tentar fazer um “zoom in” a esta dinâmica, eu proponho duas divisões:

    – A primeira separa os aspectos de pseudo-ciência dos de proto-ciência

    – A segunda separa as “fantasias” entre as que são “brincadeiras” dos actuais “bobos da corte” dum outro tipo fenómeno que são os “labirintos obsessivo-compulsivos” dos que se “agarram” ás teorias da conspiração do mesmo modo que um toxico-dependente se “agarra” á droga.

    Penso que isto pode ter a ver com a “força” das ideias pseudo-cientícias e o modo como se propagam tão eficazmente. Nem toda a gente gosta de ser sóbria ou de se manter sóbria: http://en.wikipedia.org/wiki/Sobriety

    Quanto á estupidez humana ser infinita…

    Penso que é um http://pt.wikipedia.org/wiki/Clich%C3%AA mas que pode ser um antídoto http://en.wikipedia.org/wiki/Antidote potencialmente muito eficaz: http://en.wikipedia.org/wiki/Reverse_psychology
    Reverse psychology is often used on children

    Penso que os “abismos” da mente, serão quase tão profundos quanto os abismos do espaço.

    E também nesta actividade, há que tentar separar com firmeza “o trigo do joio”, porque há muita variedades de “Psiconautas”: Ver http://en.wikipedia.org/wiki/Psychonaut e em particular http://en.wikipedia.org/wiki/Mind_machines e http://en.wikipedia.org/wiki/Photosensitive_epilepsy

    De qualquer modo, concordo totalmente com esta afirmação: “… não se pode continuar a subestimar a burrice acéfala dos conspiradores, porque essa burrice parece não ter limites! …. e tenho a comentar que (mais uma vez) me lembro do filme Idiocracy.

    Por vezes, chego mesmo a pensar que uma invasão de “extraterrestres” comparada com a invasão demográfica dos “imbecis” (que já estará em curso?) pode ser (irónicamente) um problema secundário.

    Aliás, creio que se não tivermos “outra eficácia”, podemos mesmo vir a perder esta “guerra” do mesmo modo que isso acontece nesta inquietante história sobre a Superioridade Técnica:

    “Superiority” is a science fiction short story by Arthur C. Clarke, first published in 1951.

    It depicts an arms race, and shows how the side which is more technologically advanced can be defeated, despite its apparent superiority, because of its own organizational flaws and its willingness to discard old technology without having fully perfected the new.

    The story was at one point required reading for an industrial design course at the Massachusetts Institute of Technology.

    Mais info: http://bestsciencefictionstories.com/2009/05/24/superiority-by-arthur-c-clarke/

    6) Nesta mesma linha, vou comentar neste local http://www.astropt.org/2011/08/19/colbert-entrevista-tripulacao-do-atlantis/ as interessantes críticas á NASA e á nossa sociedade (na “excessiva” separação entre factos e ficção, por exemplo) que um verdadeiro “Jester” http://en.wikipedia.org/wiki/Stephen_Colbert que se profissionalizou completamente, faz relativamente a vários assuntos.

    1. Carlos Oliveira

      Olá Dinis,

      Em relação ao seu ponto 2, só 3 considerações 😉
      – a NASA aparece “metida ao barulho” porque um dos autores trabalha na NASA.
      – o artigo é sobre cenários especulativos, sem quaisquer evidências, obviamente. Note que eu pessoalmente gosto do artigo, mas é só sobre cenários especulativos. Isso nada tem a ver com o journal.
      – não me parece que a minha frase seja exagerada. Eles são jovens? São. Eles têm “ideias malucas” (sublinho o entre aspas) nos tempos livres? Têm. Eu próprio faço o mesmo, e já em Inglaterra o fazia. Não percebo qual o problema ou o exagero 😉

      abraços

      1. Dinis Ribeiro

        Olá,

        Aproveito para agradecer o texo inicial com os vários links que me permitiram uma rápida familiarização com a situação, e sobretudo me apreceber do alastramento dos rumores, que é um fenómeno que vou rever de novo: http://en.wikipedia.org/wiki/Rumor

        É fantástico ver como a brincadeira de crianças em que, estando várias sentadas numa roda, quando contam sussurando http://en.wikipedia.org/wiki/Whispering uma história á criança do lado, e assim por diante, quando se dá a volta completa, frequentemente já existem várias mutações http://pt.wikipedia.org/wiki/Muta%C3%A7%C3%A3o no conteúdo da história que está a circular pela net. Creio que o ditado é: “Quem conta um conto, acrescenta um ponto”

        Relativamente ás 3 considerações:

        1) – Tudo bem, não terá sido a NASA que procurou a polémica e o aproveitamento. Aceito.

        Mas por outro lado, se um dos co-autores não trabalhasse na NASA, será que o artigo teria tido o impacto que teve? Esta possível “hipóstese” dum buraco negro informativo, não implica nenhum juízo de valor (positivo ou negativo) sobre nenhuma das partes envolvidas, e tem a ver com a economia, com a psicologia e a sociologia das “marcas.

        Há calças de Jeans que custam 8 euros e noutras lojas outros Jeans práticamente idênticos, só por serem “de marca” já custam 48 euros… As pessoas não compram “Jeans”, compram “prestígio” para fazer inveja aos vizinhos http://en.wikipedia.org/wiki/Occupational_prestige e (também?) talvez porque muitos ricos e famosos gostam da astrologia que “misteriosamente” lhes trouxe “sorte” é que é tão difícil erradicar as ideias irracionais.

        Um exemplo: As profundas limitações da “Marca Portugal”
        http://www.meiosepublicidade.pt/2007/10/10/82684/ e um link para um livro sobre o assunto: http://www.bubok.pt/libros/886/A-Marca-Portugal

        2) Também gosto do artigo. Li agora “na diagonal” e julgo que não há dados novos, apenas uma boa organização (com clareza) das várias ideias sobre o assunto, com uma bibliografia interessante.

        Citando do link para o pdf já para o fim do texto, nas Conclusões:

        “A complete quantitative assessment of risk from an encounter with extraterrestrials may be difficult to complete in the near future, but even
        incremental progress will help us choose an optimal strategy if and when we make actual contact with ETI.

        Even if contact with extraterrestrials never occurs, our scenario analysis still acts as a set of future trajectories for human civilization.

        Our thinking about the nature of extraterrestrials and intelligent life in general is really an exercise in imagining the ways that future humans could exist under different circumstances or in different environments.”

        Quanto a não ter “nada a ver” com a Acta Astronautica, suponho que não concordo, porque o artigo terá sido publicado nesse Journal:

        Acta Astronautica
        Volume 68, Issues 11-12, June-July 2011, Pages 2114-2129
        doi:10.1016/j.actaastro.2010.10.012

        O que penso é que deveria haver “algumas ondas” por causa de ter sido aceite pelo Journal, e não porque causa dum dos co-autores trabalhar na NASA. Mas todos conhecem a NASA e muito pouca gente sabe que existe a IAA. Apenas isso.

        Julgo até compreender a necessidade de se deitar alguma “água na fervura” para evitar raciocínios do tipo:

        Bem.. agora é que é! Se foi publicado num “Journal” então é porque devem ter descoberto “alguma coisa nova” e estão lá muitas equações esquisitas e números indiscutíveis, que são a prova que faltava de que a ideia x, y, z, etc, etc, afinal era tudo verdade!!!

        O que aconteceu com estas bactérias (justamente) foi negativo para a NASA
        a) http://www.astropt.org/2010/12/02/nasa-descobre/
        b) http://www.astropt.org/2011/08/13/arsenio-continua-a-dar-que-falar/

        De facto, concordo que a possibilidade de que o aumento de gases de estufa na nossa atmosfera poder atrair atenções indesejadas por parte de seres ameaçadores é apenas parte de uma série de cenários especulativos. Nada mais.

        A propagação destes rumores é talvez devida a sentimentos de culpa sobre os problemas ambientais, e parece-me ligada a uma certa influência na opinião pública que ainda possa existir, causada por este filme: http://en.wikipedia.org/wiki/The_Day_the_Earth_Stood_Still_(2008_film)

        Aliás a imagem que o site da NASA Watch usa para criticar os exageros, é justamente da primeira versão dessa história: http://en.wikipedia.org/wiki/The_Day_the_Earth_Stood_Still_(1951_film)

        Mas, enfim, nem tanto ao mar nem tanto á terra.

        O meu receio é que demasiadas pessoas (tipo passar de Bestial a Besta) pensem (agora) que afinal era tudo mentira, afinal “essas cenas” é tudo “treta” e que são algo do tipo de “conversa de café” que qualquer um pode fazer um “cenário especulativo” pelo menos tão bom e tão profundo como os da NASA, (frequentemente) depois duns copos para vir a inspiração, do género “É lá, aqui o chico manel acha que que os gajos dos OVNIS são muita traiçoeiros, hips, são tipo minhocas mal-cheirosas gigantes, e já se entranharam “muita fundo” na terra, e que continuam “muita bem” escondidos debaixo do chão, hips, e são “eles” que causam todos os terramotos e os tsunamis”.

        Gostaria apenas de relembrar que o “Scenario Planning” é algo um pouco mais sério e trabalhoso do que muitos ainda pensam:

        Sugiro: http://en.wikipedia.org/wiki/Scenario_planning (ver gráficos na página em alemão http://de.wikipedia.org/wiki/Szenariotechnik e em particular os “Alternativer Szenariotrichter”)

        Quantas pessoas ainda dizem com grande orgulho (em Portugal) “Eu cá não faço futurologia” para mostrar que são pessoas realistas e fiáveis, com os “pés bem assentes na terra”?

        Para elas, se um artigo científico qualquer sobre um assunto “espacial” não tiver a “etiqueta” da marca NASA, então, muito provávelmente o texto “é lixo”.

        A mesma lógica ocorre na Europa, e (por exemplo) embora o DLR, o CNES e a ASI tenham investigação própria extremamente sofisticada, para os investidores europeus, o que conta é se tem ou não o “rótulo ESA”.

        E (para mim) é relativamente deprimente que a “futurologia” http://pt.wikipedia.org/wiki/Futurologia ainda seja entendida demasiadas vezes como algo “básicamente idêntico” e tão pseudo-científico como a astrologia, até talvez com mais “aldrabices” pois (ao menos) a astrologia “dá bom dinheiro” e os cientistas estão sempre a contradizer-se e a mudar de ideias. Por isso mesmo “não inspiram a mesma confiança” que as velhas tradições, que sobreviveram ao passar dos séculos.

        Ver a lista de centros de investigação existentes neste link:
        http://en.wikipedia.org/wiki/Future_studies

        Um exemplo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_de_Moore

        3) Relativamente ao terceiro ponto, em relação ao artigo em si e á idade dos autores, não tenho nada a criticar. Compreendo agora que li superficialmente e que as “ideias malucas” tinham aspas, e assim retiro toda e qualquer reserva.

        Apenas senti que a associação de ideias devida ao encadeamento das palavras “todas pessoas novas/ideias malucas/divagam/divertirem/perda de tempo” transmitia a ideia (exagerada?) de que estes assuntos são coisas muito superficiias ou de um “excessivo amadorismo, o que poderia (talvez) desvalorizar (em parte) os esforços de uma miríade de pessoas espalhadas por todo o mundo.

        Lembrei-me até dum músico que julgo compreender que nos seus “tempos livres” também era um “astrónomo amador” http://en.wikipedia.org/wiki/William_Herschel

        Na Academia Internacional de Astronáutica, muitos dos que lidam com as questões do SETI são pessoas “de bastante idade”. Embora relativamente ao artigo em questão sejam todos “jovens”, na comunidade de pessoas interessadas por estas questões, eu tenho observado que existem pessoas de quase todas as faixas etárias, apenas quiz salientar esse aspecto.

        O fragmento em questão:

        … “São todos jovens, e por isso têm algumas “ideias malucas” que aplicam nos tempos livres (só para se divertirem). As “ideias malucas” são do género discutirem e até escreverem artigos onde divagam sobre um conjunto de coisas que à primeira vista parece uma perda de tempo”. …

        No meu caso, não é apenas “por mero divertimento” que penso frequentemente sobre estes assuntos, pois como o artigo menciona, alguns destes “casos de planeamento por cenários” têm variadas aplicações práticas concretas noutras disciplinas, noutras actividades e para outros fins.

        Por exemplo: http://en.wikipedia.org/wiki/Cascading_failure

      2. Carlos Oliveira

        Olá,

        1 – O impacto totalmente aparvalhado que o artigo está a ter nos sites de conspirações deve-se realmente a um dos autores trabalhar para a NASA.
        Mas o artigo nada tem a ver com a NASA 😉

        2 – É preciso perceber que especulações científicas não são especulações de pseudos.
        Aristarco há cerca de 2500 anos especulou sobre a Terra orbitar o Sol. Foi pura especulação na altura.
        Em 1800, Laplace especulou sobre buracos negros.
        Estes são 2 exemplos de especulações científicas. Puras especulações na altura, porque não se podiam provar ou sequer testar. Mas eram baseados em lógica racional e nas evidências da altura.
        Completamente diferentes são os milhões de especulações todos os anos que são feitos por pseudos e que invariavelmente são totalmente erradas e mentirosas.

        3 – Eu divirto-me a pensar nestes cenários, e no entanto é a minha área 😉
        É puro divertimento, e não pretendo que me levem a sério no cenário A ou B que é totalmente especulativo. 😉

        abraço!

  7. Carlos Oliveira

    Coloquei este post, aqui:
    http://domelhor.net/story.php?id=80869

  8. Carlos Oliveira

    Sem qualquer vergonha e com o único objectivo de enganarem a população, os pseudos continuam a difundir esta história dos ETs do planeta Zeeba como se fosse verdade:
    http://stop-nwo.com/2011/10/05/confirmado-3-naves-extraterrestres-se-dirigen-a-la-tierra/

    Enfim…

    Ao mesmo tempo que demonstram a sua total falta de inteligência, estes vigaristas continuam a mentir para venderem o medo do fim-do-mundo.

  9. cesar

    como que eu sei que a nasa falou isso ou aquilo,sem provas? então eu coloco o que eu quero na internet e vc acredita em tudo deduso por especulação de terceiros e fica tudo certo!!! eu queria pelomenos uma esposta em relação a isso, pois eu quero acreditar .

    1. Carlos Oliveira

      Eu não sei de que está a falar. A ciência e o conhecimento não se faz de acreditar, mas sim de saber!

      No caso deste artigo científico, eu conheço pessoalmente um dos autores (desde que o conheci numa conferencia internacional), por isso falei com ele.

      Depois, o jornal Weekly World News é um jornal que se orgulha e tem sucesso a inventar estórias humorísticas… como o G17, por exemplo. Toda a gente sabe isso.
      Se o Cesar não sabe, sugiro que pesquise. Vá lá ao site que eles dizem isso. Não tem nada a ver com acreditar, mas sim com saber.

      abraços!

  1. Encontrada Múmia Extraterrestre « MATÉRIA PÚBLICA

    […] Já falei nesse jornal, quer numa notícia sobre uma Nuvem do Caos que vinha dissolver a Terra em 2014, quer numa notícia sobre um suposto Ataque Extraterrestre. […]

  2. Invasão extraterrestre

    […] sobre uma Nuvem do Caos que vinha dissolver a Terra em 2014, quer numa notícia sobre um suposto Ataque Extraterrestre, quer numa notícia sobre uma suposta Múmia […]

  3. Esferas de Klerksdorp

    […] spheres”. Este é um jornal do qual já temos falado aqui por várias vezes (aqui, aqui, aqui, e aqui). É um jornal que não engana: serve para descontrair. É um jornal que pega em coisas […]

  4. TOP 100

    […] Invasão de Naves Espaciais. NASA erra contas. Plano de Emergência da NASA. Funcionária da NASA. ETs invadem a Terra. Porno. Luas Sangrentas. CERN e Buraco Negro. Paródia. Instruções. Sondagem. Música. Nibiru: […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>