Humanos em Marte!


A Space Review desta semana traz um artigo de opinião de um senhor chamado Frank Stratford, CEO da MarsDrive sobre a ida de humanos a Marte e os cenários em que isso poderá acontecer. É sem sombra de dúvida um artigo que vale a pena ler! Tal como eu, Frank defende, entre outras coisas, que será necessária a existência de uma conjuntura política semelhante à que ocorreu durante a Guerra Fria para que os Humanos cheguem a Marte!

Há uns anos atrás o Jornal Público publicou um artigo em que apontava duas razões principais para se ir a Marte: “A primeira é que precisamos de acesso a outros recursos naturais, uma vez que os do nosso planeta estão a esgotar-se; a segunda, porque convém encontrarmos um refúgio no caso de um cataclismo destruir a Terra”.

O Carlos Oliveira também há algum tempo atrás escreveu um post no AstroPT sobre a viagem de humanos a Marte que se apontava para 2035.

Tendo em conta que praticamente não há forma de chegarmos ao Espaço neste momento, todas as datas apontadas até agora como sendo o objectivo de chegada a Marte estão em causa (Se é que alguma vez as iríamos cumprir….).

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Quanto a uma data para a primeira missão a Marte, nesta altura do campeonato revejo-me completamente nas palavras de um grande sábio português:

    “Prognósticos ? Só no fim do jogo. “

  2. O moto para ir a Marte sacar recursos “à Lagardére”, deve ser analisado com cuidado, antes que alguém se aleije!
    É qua há lá tentos calhaus para se tropeçar…

    • Dinis Ribeiro on 31/08/2011 at 12:11
    • Responder

    Também penso que uma missão tripulada ás “luas” de Marte terá de ocorrer antes de se tentar “descer” até á superfície de Marte.

    Sou a favor deste tipo de projectos: http://en.wikipedia.org/wiki/Knowledge_ark

    O que colocariam numa “Time Capsule?” http://en.wikipedia.org/wiki/Time_capsule

    As “sementes” do futuro: http://en.wikipedia.org/wiki/Svalbard_Global_Seed_Vault

    Dei uma vista de olhos ao site da Mars Drive e notei que (pelo menos por agora) não há muita informação sobre “Green-houses”, o que me parece uma lacuna importante.

    Os “humanos” fazem parte dum ecossistema, http://en.wikipedia.org/wiki/Ecosystem sem o qual não podem viver, por isso gosto mais de “Humanos & Plantas em Marte!” ou então um título diferente, ligado a parte do meu trabalho de investigação a nível privado:

    “Bioma Marciano Experimental Vive agora em Marte!” ou em Inglês: “E.M.B. Lives!” (Experimental Martian Biome TM http://en.wikipedia.org/wiki/Trademark)

    As “raízes” têm de ser muito profundas e fortes para que coisas como o “settlement” de humanos fora da terra possa ter lugar um dia.

    Quem se lembra deste filme? http://en.wikipedia.org/wiki/Silent_Running

    E da “pequena planta” neste filme?: http://en.wikipedia.org/wiki/WALL-E

    Para gerar os tais fundos segundo a ideia do “private consortium” a produção de plantas “fora da terra” pode até ser o caminho mais “natural” e “ecológico”.

    Quanto ao tal “Human Settlement” de Marte, sugiro uma vista de olhos a estes links:

    1) http://en.wikipedia.org/wiki/Settlement_hierarchy

    2) http://en.wikipedia.org/wiki/Human_settlement

    3) http://en.wikipedia.org/wiki/Colony (Só aqui, já há um “mar” de questões políticas)

    4) http://en.wikipedia.org/wiki/Sedentism#Requirements_for_permanent_settlements

    In evolutionary anthropology and archaeology, sedentism (sometimes denominated sedentariness), is a term applied to the transition from nomadic to permanent, year-round settlement.

    It is difficult to settle down permanently—to become sedentary—in a landscape without on-site agricultural or cattle-breeding resources, since sedentism requires:

    a) sufficient year-round local natural resources;
    b) sufficient easily-accessible local natural resources (several hundred meters distant, at most).

    Sedentism is a consequence of the discovery of agriculture.
    Both situations require good fodd preservation and food storage technologies.

    Gostava de saber onde encontrar mais informação sobre a (pequena?) “experimental greenhouse” que está no “Storage Compartment” ma experiência “Mars 500”

    Quem se lembra deste projecto? http://en.wikipedia.org/wiki/Biosphere_2

    E deste? http://en.wikipedia.org/wiki/BIOS-3

    E para quem vive do artesanato que tal: http://en.wikipedia.org/wiki/Bottle_garden

    Tenho um grande interesse nisto: http://en.wikipedia.org/wiki/Ecosphere_(aquarium)
    A large version of the ecosphere (about 60 ft. in diameter) is featured as a spacecraft in The Fountain, a 2006 science fiction / fantasy film directed by Darren Aronofsky.

    Já visitaram este local? http://en.wikipedia.org/wiki/Eden_Project

    Uma área de investigação que o director geral da ESA referiu publicamente num discurso em Portugal em 2009 foi este: http://en.wikipedia.org/wiki/MELiSSA

    The acronym MELiSSA means ‘Micro-Ecological Life Support System Alternative’ and is a development program of a microbiological and horticultural plant based ecosystem.

    The system is used for regenerative life support systems for long-term space missions to lunar bases or flights to Mars.

    Penso que se devia aumentar muito o número de estufas comerciais com tecnologia Hidropônica: http://pt.wikipedia.org/wiki/Estufa

    Gostava de ver debates técnicos sobre “soluções hidropônicas” http://en.wikipedia.org/wiki/Hydroponics / http://pt.wikipedia.org/wiki/Hidroponia

    Como em Portugal há um grande “peso” da indústria da construção civil e muitas casas desocupadas, e muita gente desempregada, penso que se deveria investir a sério numa área que pode vir a ter um grande futuro, e que se denomina “quintas verticais”

    Ver: http://en.wikipedia.org/wiki/Vertical_farming

    Conheço algumas universidades interessadas em apoiar projectos comerciais nestas áreas e estou disponível para trocar impressões pessoalmente, sobre projectos concretos.

    • Andre Valente on 05/12/2012 at 14:55
    • Responder

    Creio que a maior das barreiras para a viagem espacial é gasto com a partida aqui de Midgard, sera que há algum tipo pesquisa em equipamentos que desafiam a lei da gravidade, algo que não tem haver com a viagem na dobra do tempo, algo mais concreto (com todas estas inovações não duvido que possa ser descoberto) .

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.