Dez 19

2012: Não Haverá o ‘Fim do Mundo’

Tendo em vista os diversos alertas e notícias falsas sobre tragédias a ocorrer no ano de 2012  alegando o  suposto ‘fim do calendário Maia‘, estamos postando uma série de artigos para desmistificar esses cenários apocalípticos impossíveis. Esse é o quarto artigo que fala sobre o noticiado ‘Fim do Mundo previsto pelos falsos profetas do apocalipse a ocorrer em 21 de dezembro de 2012.

doomsday1

Não haverá o ‘Fim do Mundo’ em 2012!

Aparentemente o mundo terminará em 21 de dezembro de 2012. Sim, você leu certo, de alguma forma ou maneira, a Terra (ou pelo menos uma grande parte dos humanos do planeta) deixarão de existir. Pare já de planejar sua carreira, não se preocupe mais em comprar uma nova casa e assegure-se de que irá passar os últimos anos de sua vida fazendo algo que sempre desejou fazer, mas que nunca teve tempo para se dedicar. Agora, pelo menos, teremos algum tempo, três dias, para desfrutamos nossas vidas por nós mesmos antes… do final fatídico.

Mas o que significa esta conversa maluca? Já temos escutado tantas previsões do ‘fim do mundo‘ antes, e continuamos por aqui, por que afinal é tão importante o tal ano de 2012? Temos ouvido que o calendário Maia terminará no final do ano 2012, desatando todo tipo de razões religiosas, científicas, astrológicas e históricas uma vez que este calendário prevê o final da vida como a conhecemos. A Profecia Maia ganhou força e parece estar preocupando a gente em todas as áreas da sociedade. Esqueça Nostradamus, esqueça o problema do bug do milênio, esqueça a crise financeira global, este evento será descomunal e muitos fiéis crêem que isto vai acontecer de verdade. Pode até ser que o Planeta X esteja vindo por aí…

No entanto, para todos estes seguidores da Profecia Maia de 2012, tenho más notícias. Não haverá o fim do mundo em 2012, e aqui estão as razões…

O calendário Maia

Então o que é o calendário Maia? O calendário foi construído por uma civilização avançada denominada Maia em 250-900 d.C. As ruínas e sítios arqueológicos do império Maia se estendem ao longo da maior parte dos estados sulinos do México, chegando até Guatemala, Belize, El Salvador e parte de Honduras, como podemos ver no mapa abaixo.

A civilização Maia dominou grande parte a América Central pré-colombiana

A civilização Maia dominou grande parte da América Central pré-colombiana

A gente que vivia na sociedade Maia exibia habilidades de escrita muito avançadas e tinham uma surpreendente capacidade para construir cidades e planificação urbana. Os Maias são provavelmente mais famosos por suas pirâmides e outros intrincados e enormes edifícios. Os Maias tiveram um enorme impacto na cultura da América Central, não só dentro de sua civilização, mas também com as outras populações indígenas da região. Ainda vive um significativo número de Maias na atualidade, continuando com suas tradições ancestrais.

Os Maias usaram muitos calendários distintos e viam o tempo como um conjunto de ciclos espirituais. Embora os calendários tivessem usos práticos, tais como em atividades sociais, agricultura, comerciais e administrativas, havia um elemento religioso muito forte. Cada dia teria um espírito patronal, o que significava que cada dia tinha um uso específico. Isto contrasta muito com nosso moderno calendário gregoriano o qual fixa principalmente as datas sociais, econômicas e administrativas.

Atmosfera de Vênus, sofrendo erosão pelo vento Solar

Atmosfera de Vênus, sofrendo erosão pelo vento Solar

A maioria dos calendários Maias era de duração curta. O calendário de Tzolk’in durava 260 dias e o de Haab’ aproximadamente o ano solar de 365 dias. Os Maias então combinaram ambos, Tzolk’in com Haab’ para formar o “Calendário Circular”, um ciclo durava 52 Haab’s (aproximadamente 52 anos, isto é, aproximadamente a duração de uma geração). Dentro do Calendário Circular havia uma trezena (ciclos de 13 dias) e uma vintena (ciclos de 20 dias). Obviamente, este sistema seria só de uso quando se levassem em conta os 18.980 dias únicos ao longo de 52 anos. Em adição a estes sistemas, os Maias também tinham o “Ciclo de Vênus“. Sendo os Maias atentos e precisos astrônomos, eles formaram um calendário baseado na localização de Vênus no céu noturno. Também é possível que tenham feito o mesmo com outros planetas do Sistema Solar.

Usar o Calendário Circular é genial se você só quer lembrar a data de seu adversário, os períodos e datas religiosas significativas, mas, e para registrar a história? Não havia forma de registrar datas mais velhas que 52 anos.

O final da Contagem Longa = o final da Terra?

Os Maias tinham uma solução para isso. Usando um método inovador, foram capazes de estender o Calendário Circular de 52 anos. Até esse ponto, o calendário Maia pode até parecer um pouco arcaico – afinal o mesmo era baseado em crenças religiosas, o ciclo menstrual, cálculos matemáticos usando os números 13 e 20 como unidades base e uma forte mistura de mitologia astrológica. A única correlação principal com o calendário moderno é o Haab’ que se sabe que tinha os 365 dias do ano solar (não está claro se os Maias tinham em conta os anos bissextos). A resposta a um calendário mais longo poderia ser encontrada na “Contagem Longa”, um calendário que durava 5126 anos.

Estou realmente impressionado com este sistema de datação. Para começar, é numericamente previsível e pode marcar com precisão as datas históricas. Todavia, depende de uma unidade base de 20 (os calendários modernos usam a unidade na base 10). Então, como isto funcionava?

O ano base da Contagem Longa Maia começa no “0.0.0.0.0″. Cada zero vai de 0 a 19 e cada um representa uma conta dos dias Maias. Assim, por exemplo, o primeiro dia na Contagem Longa se denota como 0.0.0.0.1. no dia 19 teremos 0.0.0.0.19, no dia 20 subimos um nível e teremos 0.0.0.1.0. A contagem continua até o 0.0.1.0.0 (aproximadamente um ano), 0.1.0.0.0 (aproximadamente 20 anos) e 1.0.0.0.0 (unos 400 anos). Por tanto, se tomamos uma data arbitraria de 2.10.12.7.1, isto representa uma data Maia de aproximadamente 1012 anos, 7 meses e 1 dia.

Ruínas Maias em Palenque

Ruínas Maias em Palenque

Tudo isto é muito interessante, mas o que isso tem que ver com o fim do mundo? A Profecia Maia está completamente baseada na suposição de que algo de mal irá suceder quando o calendário da Contagem Longa Maia se acabe. Os expertos estão divididos sobre quando se acaba a Contagem Longa, mas como os Maias usaram números 13 e 20 como sistemas numéricos, o último dia que poderia ter lugar seria o 13.0.0.0.0. Quando ocorrerá isto? Bem, 13.0.0.0.0 representa 5126 anos e a Contagem Longa começa em 0.0.0.0.0, o qual corresponde à data moderna de 11 de agosto de 3114 a.C. Notou o problema? A Contagem Longa Maia finaliza 5126 anos depois, em 21 de dezembro de 2012.

O “Fim do Mundo”?

Quando alguma coisa termina (até algo tão inocente como um calendário antigo), a gente acaba pensando nas possibilidades mais extremas tal como o fim da nossa civilização. Uma breve varrida pela Internet irá mostrar desde as mais populares até as mais estranhas ou bizarras formas nas quais, com bem pouco pensamento lógico, seremos eliminados da face da Terra. Os arqueólogos e mitólogos, por outro lado, crêem que os Maias previram o início de uma era de iluminação quando chegue o 13.0.0.0.0. Na realidade não há muitas provas que indiquem que chegará o dia do fim do mundo. Se algo foi previsto pelos Maias, foi na verdade algum milagre religioso e não um mau agouro.

Os mitos abundam até alimentam roteiros de filmes. Parece que o tema do filme Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal está baseado no mito Maia de que 13 caveiras de cristal podem salvar a humanidade da condenação. Este mito apregoa que se as 13 antigas caveiras não se reúnem no momento adequado, a Terra seria desviada de seu eixo. Isto poderia ser um grande argumento para filmes de ficção com orçamentos milionários, mas também destaca-se o exagero que desperta, iniciando idéias religiosas, científicas e não científicas de que o mundo está condenado.asteroid_earth_impact1

Algumas das ameaças espaciais mais populares sobre a Terra e a humanidade se concentram nos impactos de meteoritos, buracos negros, o Planeta X destruindo a  maior parte de vida, tempestades solares assassinas, explosões de raios gama de galáxias próximas ou supernovas, uma rápida idade do gelo próxima e uma inversão nos pólos magnéticos da Terra. Há muitos rumores contando que estas coisas irão acontecer em 2012 e é surpreendente quantas conseqüências têm gerado na população. Cada uma das “ameaças” acima citadas necessitaria de um artigo específico para mostrar por que não há provas que as apóiem.

Mas o fato permanece, A Profecia do Dia do Juízo Maia está puramente baseada em um calendário o qual acreditamos que não tenha sido projetado para calcular datas mais além de 2012. Os arqueólogos e astrônomos estudiosos sobre os Maias também têm debatido se a Contagem Longa está desenhada para reiniciar-se a 0.0.0.0.0 depois de 13.0.0.0.0, ou se o calendário simplesmente continua até o 20.0.0.0.0 (aproximadamente 8000 d.C) e logo se reinicia. Como Karl Kruszelnicki escreve brilhantemente:

“…quando um calendário chega ao final de seu ciclo, simplesmente passa para o ciclo seguinte. Em nossa sociedade ocidental cada ano o 31 de dezembro está seguido, não pelo final do mundo, mas pelo dia 1º de Janeiro. Por que o 13.0.0.0.0 no calendário Maia será seguido por o 0.0.0.0.1? – ou pela boa e antiga data de 22 de dezembro de 2012, poucos dias antes do Natal”. – Extrato de “Grandes Momentos da Ciência” do Dr. Karl.

Perguntas e respostas sobre o mito de Nibiru e o fim do mundo em 2012

Leia também em Committee for Skeptical Inquiry (inglês): The Myth of Nibiru and the End of the World in 2012

David Morrison é cientista do Instituto de Astrobiologia da NASA, onde, entre outras responsabilidades, responde as perguntas recebidas via internet “Pergunte a um astrobiólogo“. Morrison é membro do Comitê de Investigação Cética (CSI – Committee for Skeptical Inquiry) e autor de numerosos livros e artigos. Morrison é um dos homenageados com a Medalha Carl Sagan da Sociedade Astronômica Americana por suas contribuições à compreensão pública da ciência.

Fontes e referências:

Universe TodayNo Doomsday in 2012 (2012: Não Haverá o ‘Fim do Mundo‘) por Ian O’Neill 

AstroPT:

Eternos Aprendizes:

astroengine.com: 2012

Universe Today:

Astrogeek: 2012

O Mundo Assombrado pelos Demônios [ A Ciência vista como uma vela no escuro ] (Carl Sagan)

._._.

12 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Nuno José Almeida on 19/12/2012 at 14:16
    • Responder

    “Os expertos estão divididos…”

    Hugo, expertos não se usa, é um false friend de “expert” em português deve-se usar, perito ou especialista.

    1. Expertos se usa sim, está correto no contexto:

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Experto

      • Nuno José Almeida on 19/12/2012 at 15:57
      • Responder

      Só se for no Brasil em Portugal não.

      1. Há uma pitada de ironia aqui, no uso da palavra “experto”. A idéia do uso é provocar.

        Veja: http://www.teclasap.com.br/index.php/2010/01/17/expert-experto-ou-esperto/

        • Nuno José Almeida on 19/12/2012 at 16:16

        Ok entendido, eu pessoalmente acho uma palavra feia em português pois acho-a um bocado peneirenta assim como a expressão “música erudita” mas são opiniões e como dizia o Herman……

      2. Isso mesmo Nuno. Também acho este termo “expertos” horrível. Mas neste caso, como disse, há uma certa dose de pimenta aqui.

        Quanto ao site e a questão da língua portuguesa, lembro que 56% dos leitores do AstroPT residem no Brasil, conforme me informou hoje o Carlos Oliveira.

      3. Informei sim 🙂

        Eu gostava de ter uma “escrita única” aqui no blog.
        Infelizmente, o Brasil e Portugal não se entendem quanto ao acordo ortográfico 😉
        Por isso, para já, a “regra informal” tem sido que os autores escrevem da forma como estão habituados (portuguesa ou brasileira) 😉

        abraços aos dois 🙂

        P.S.: pessoalmente também não gosto do termo “expertos” 😛

    • Bufarinheiro on 19/12/2012 at 18:03
    • Responder

    Não Haverá o ‘Fim do Mundo?
    Ora porra.
    Então o governo que esta trazendo o inferno aos portugueses não cai?

    • Cavalcanti on 20/12/2012 at 17:35
    • Responder

    Não me admiraria se dia 22 determinados pseudos afirmassem que nada aconteceu por causa “das milhares de mentes que impediram a ocorrência de várias catástrofes simultâneas e refreou o planeta Nibiru, numa fantástica rebatida cósmica”.

    Seria cômico se não fosse a quantidade de pessoas assustadas com toda a parvoíce acerca dessa data…

    🙁

  1. No Japão já é 21 de Dezembro

    o GodZilla acordou e matou todos
    Japão foi riscado do mapa!!

    1. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL 😀

      • Alexsandro Santos on 20/12/2012 at 23:57
      • Responder

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  1. […] e Buraco Negro. 2012: Não cometa, Nibiru, Planeta-X, inversão dos pólos ou tempestade solar. Calendário Maia. Tyson. Nibiru: Goebbels, Hitler, fantasia, Elenin, saga, Hercólubus, Astrónomo. Alinhamentos. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.