Horizontes da Física – Aquecimento Global dominado pelo Homem?

No dia 6 de Março assisti a uma palestra bastante interessante do professor doutor João Corte-Real.
Apesar de não acessível a todos (na parte matemática), o certo é que pessoalmente não só entendi tudo como adorei o tema.

A palestra centrou-se principalmente na questão: será que o aquecimento global é dominado pelo Homem?
E o professor doutor João Corte-Real é uma autoridade neste tema já que investiga há muitos anos estes fenómenos climáticos. Tema interessante e professor credível, é meio caminho andado para o sucesso.

O Aquecimento Global é um facto. O Homem como faz parte da biosfera é obrigado a contribuir para as alterações atmosféricas. Se não fosse assim é que era estranho. Mas será que essa contribuição é tal que domina os outros factores? Será o Homem a principal influencia nas alterações climáticas actuais?

Tanto durante a palestra como na secção de perguntas, fui tirando apontamentos deste tema interessantíssimo.

1 – O mais importante são as moléculas poliatómicas. E o vapor de água é o mais importante (não o carbono).

2 – Por vezes lê-se notícias sensacionalistas nos órgãos de comunicação social, acusando o aquecimento global de efeitos que podem não ter a ver com ele. Exemplo: a poluição leva a haver mais fuligem no gelo; esse gelo passa a receber/absorver mais luz solar; e por isso derrete mais depressa. Daí que algumas imagens de gelo a derreter/partir-se podem ter mais a ver com aumento de poluição e não tanto com a temperatura.

3 – Nos últimos anos não tem havido o aumento de temperatura esperado.

4 – Ao contrário do que se assume, existe uma deterioração da qualidade das observações devido às estações meteorológicas e valores tirados de modelos e não de observações. Além disso, os satélites são menos calibrados que termómetros, por isso a probabilidade de incerteza é maior.

5 – A escala temporal é importante. Existiram períodos mais quentes, por exemplo no período romano, no período medieval, e sobretudo por exemplo durante a altura dos dinossauros (numa época em que também existia mais oxigénio na atmosfera). Existem modelos para trás, mas não se pode ir lá medir.

6 – Noutras eras, existem dados a mostrar que o dióxido de carbono aumentou após um aumento de temperatura.

7 – É necessário que se compreendam melhor as variáveis dos chamados ciclos de Milankovitch.

8 – É também necessário compreender melhor a percentagem de influencia das correntes marítimas na temperatura atmosférica.

9 – Um dos grandes problemas actuais é que muitas vezes não se é suficientemente cauteloso e crítico quando se analisam os dados. Muitas vezes, os modelos e as opiniões estão acima das observações reais.

10 – A influência humana não parece ser dominante. Influencia, mas não é dominante, ao contrário do que popularmente se pensa.

horizontes da física

12 comentários

5 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Olá!
    – Só para entender mais, com o aumento da temperatura dos oceanos, o que aconteceria?

    – E havendo mais CO2, ou oxigênio na atmosfera, seria ruim para nós? Ou seja, as quantidades que hoje existem, são adequadas á propiciar a vida e á mantê-la?
    Mais vapor d’água e CO2 na atmosfera nos matariam rápido? Estamos nesses neveis?

    – A ação do Homem como determinante no aquecimento global não sendo dominante, o que seria então, o metano, vapor d’água, vulcões, ou seria também por causa do Sol, ou os seus ciclos não influenciam assim, por não variarem tanto? Ou ele teria grande influência? Fatores externos?
    – O que o escurecimento da superfície da terra causa?
    – O Sistema Solar influencia também essas alterações aqui?
    – Os ciclos solares podem evoluir ou diminuir de uma forma considerável á ponto de algo extremo para nós?

    1. 1 – Já respondido aqui:
      http://www.astropt.org/2014/08/28/cosmos-decimo-segundo-episodio/comment-page-1/#comment-564328

      2 – A vida (qualquer que ela seja) está habituada à condições em que se desenvolveu/evoluiu.
      Se um Humano se atirar à água (e ficar debaixo dela e não souber nadar), afoga-se. Porque não está habituado a respirar na água.
      Já um peixe não se afoga na água. Mas morre em terra.
      Qualquer que seja a vida, está sempre habituada às condições em que foi evoluindo.

      3 – Se soubessemos a resposta a isso, não existiriam tantos debates sobre este assunto 😉

      4 – Maior absorção de energia, logo, aumento da temperatura.

      5 – O que entende por “sistema solar”?

      6 – O mais extremo que tivemos, que saibamos, foi o chamado Minimo de Maunder:
      http://www.astropt.org/2012/05/21/sol-com-maximos-e-minimos-preocupantes/

      abraços

  2. Lembrei-me também do “famoso” gráfico apresentado pelo Al Gore, no documentário, em que o aumento do dióxido de carbono segue o aumento de temperatura, e não o contrário…

    E que o “buraco” do ozono fecha e não se sabe porquê…
    http://www.astropt.org/2010/09/17/camada-de-ozono-podera-recuperar-ate-2050/

  3. Um outro assunto, vi o seguinte link:
    http://www.sabado.pt/Multimedia/FOTOS/Mundo/Fotogaleria-(931).aspx

    Sabemos do aquecimento global, mas essa matéria seria uma generalização, um aumento do assunto e dos efeitos?
    E se possível isso, há como prever quando isso ocorrerá, várias décadas, centenas de anos?
    Obrigado

    1. Se a Terra aquecer, o gelo derrete, e existe uma subida do nível do mar.
      Logo, as regiões costeiras ficarão debaixo de água.

      É uma coisa gradual e para centenas de anos 😉

  4. Olá, boa noite!
    Gostaria, por gentileza, que me esclareçam algumas dúvidas.

    Em um dos comentários:
    “O interessante será saber qual será o limite de interação da água na atmosfera e que quantidade de CO2 será necessário para atingir esse limite (caso se consiga sobreviver) e suas consequências.”

    1- Isso para daqui há quanto tempo? Tem reversão?

    No comentário do Manel Rosa:
    “E, se se conhecem os ciclos de “forças orbitais” da Terra ( e do Sistema Solar pelo plano da órbita de referência, a de Júpiter) é um facto que alguns dos seus mecanismos apresentam picos que resultam nalguma dificuldade em reconciliar os dados com a Teoria.”

    2- O que isso significa?

    3- Tirando a ação do homem, o que pode influenciar o aquecimento global? Algo externo pode influenciar?
    4- O que causa o escurecimento da superfície da Terra, e o que esse escurecimento pode provocar?
    Obrigado pela atenção

    1. 1 – Não se sabe.

      2 – Que existem factores espaciais que podem influenciar. Exemplo: evolução do Sol.

      3 – Raios cósmicos, por exemplo.

      abraços

    • Rafael Farinaro on 21/03/2013 at 06:15
    • Responder

    Me fez lembrar do Climatologista Ricardo Augusto Felício.

    • Manel Rosa Martins on 19/03/2013 at 15:05
    • Responder

    Esta passagem do Consenso Científico é relevante para o debate:

    2.4 Attribution of climate change

    “Attribution evaluates whether observed changes are quantitatively consistent with the expected response to external forcings (e.g. changes in solar irradiance or anthropogenic GHGs) and inconsistent with alternative physically plausible explanations. {WGI TS.4, SPM}

    Most of the observed increase in global average temperatures since the mid-20th century is very likely due to the observed increase in anthropogenic GHG concentrations.[8] This is an advance since the TAR’s conclusion that “most of the observed warming over the last 50 years is likely to have been due to the increase in GHG concentrations” (Figure 2.5). {WGI 9.4, SPM}

    The observed widespread warming of the atmosphere and ocean, together with ice mass loss, support the conclusion that it is extremely unlikely that global climate change of the past 50 years can be explained without external forcing and very likely that it is not due to known natural causes alone. During this period, the sum of solar and volcanic forcings would likely have produced cooling, not warming. Warming of the climate system has been detected in changes in surface and atmospheric temperatures and in temperatures of the upper several hundred metres of the ocean. The observed pattern of tropospheric warming and stratospheric cooling is very likely due to the combined influences of GHG increases and stratospheric ozone depletion. It is likely that increases in GHG concentrations alone would have caused more warming than observed because volcanic and anthropogenic aerosols have offset some warming that would otherwise have taken place. {WGI 2.9, 3.2, 3.4, 4.8, 5.2, 7.5, 9.4, 9.5, 9.7, TS.4.1, SPM}

    It is likely that there has been significant anthropogenic warming over the past 50 years averaged over each continent (except Antarctica) (Figure 2.5). {WGI 3.2, 9.4, SPM}”

    [Cito Fonte Primária. acedida em 19/03/2013 ]

    http://www.ipcc.ch/publications_and_data/ar4/syr/en/mains2-4.html

    Fim de Citação.

    • Manel Rosa Martins on 19/03/2013 at 14:32
    • Responder

    De acordo com a análise da análise aqui feita, a análise dos dados deve abstrair-se de qualquer outras considerações que não as Científicas.

    Então se atentarmos no consenso científico sobra as alterações climáticas provocadas pela actividade humana, temos que analisamos com muita precisão os dados dos últimos 600 mil anos da temperatura, da composição da atmosfera e dos níveis de CO2 nela contidos ao longo destes períodos.

    O ciclo da água, a que o Professor entende dever-se dar devida atenção e maior ponderação, está entrecruzado pleo ciclo do carbono.

    E, se se conhecem os ciclos de “forças orbitais” da Terra ( e do Sistema Solar pelo plano da órbita de referência, a de Júpiter) é um facto que alguns dos seus mecanismos apresentam picos que resultam nalguma dificuldade em reconciliar os dados com a Teoria.

    O que em nada altera o consenso científico dos Aumentos Globais das Temperaturas entretanto registados.

    Digo no plural porque o consenso indica:

    1) que todos os aumentos de temperatura, tanto do mar a diversas profundidades (até 700 metros) e da atmosfera já pulverizaram as piores estimativas.

    2) Que a situação se aproxima do seu ponto crítico devido à perca dos gelos perenes no Hemisfério Norte.

    3) Que o Hemisfério Sul tem denotado um comportamento radicalizado, com pequenas áreas com baixa de temperatura do ar e com grandes áreas com aumento muito significativo da temperatura do mar.

    É de registar que finalmente se admite que nos círculos mais cépticos que há um aumento de temperaturas um aumento da poluição causada pelo homem, como denoto no detalha, muito subestimado nesta análise, do escurecimento da superfície da Terra.

    Perante as diversas linhas de evidência do aumento de temperaturas (ar e mar) ser provocado, em 96% como factor de ponderação, pelo Homem, essa admissão embora tardia pode ser que venha a produzir, finalmente, propostas exequíveis e “business freindly” (para colocar a ansia desenfreada pela maximização dos lucros do aparelho económico da nossa sociedade a favor de soluções, em vez de ser a favor do problema) de mitigação deste desastre que estamos a provocar a nós mesmos.

    A Terra é grande e tem uma história muito antiga.Tem capacidade mais do que suficiente para nos sobreviver. Nós é que nos estamos a suicidar.

    O consenso científico pode e deve ser consultado sempre que se menciona a Climatologia, como espero ter sido referido na Palestra.

    http://climate.nasa.gov/key_websites

    http://www.ipcc.ch/publications_and_data/ar4/syr/en/main.html

  5. A propósito das moléculas de água… eu escrevi algures (não me recordo onde) que a maior preocupação do aquecimento global seria o aumento da disponibilidade de água na estratosfera e daí as variações bruscas de pressão e temperatura associados aos fenómenos climatéricos nessa camada atmosférica e que têm aumentado nestes últimos anos. O interessante será saber qual será o limite de interação da água na atmosfera e que quantidade de CO2 será necessário para atingir esse limite (caso se consiga sobreviver) e suas consequências.
    O certo é que o aquecimento está, neste momento, a causar estragos a nível mundial (inclusivé à economia de muitos países). Por ventura, outros poderão beneficiar, a curto prazo, com a melhoria climatérica, tornando os seus países em paraísos climatéricos. Mas, a longo prazo, todos devem pensar seriamente o que fazer para proteger o clima e precaver futuras gerações. É um esforço mundial que deveria ser feito, ouvindo claramente quem mais voto tem na matéria: Os Cientistas!

  6. Bom já vi um documentário a algum tempo que me vez repensar totalmente esta questão e chegar a concussão que isto foi basicamente usado para interesses secundários de alguns políticos e também negócios, ou seja exagerou-se nesse assunto e depois manipulavam-se os dados da maneira que lhes dava mais jeito para o negocio ou politica deles… E parece que eu tinha razão quando afirmava isso, já que muitos repetiam a mesma historia da comunicação social infelizmente…
    Eu acho muito mais a grave a poluição em si já que destrói o ambiente directamente e mata a flora e fauna e não a velha historia do aquecimento global que só nos lembra o quão pequenos nos somos neste universo e nesse pequeno planeta. 🙂

  1. […] As únicas discussões existentes são sobre detalhes concretos desse assunto (que explanei aqui e aqui), e que não colocam em causa as conclusões no seu todo. Por exemplo, não se saber o valor exato […]

  2. […] Convenceu-me ao falar da atividade vulcânica, mas não quando falou do Sol. Mas não falou das fracas medições. Pelo contrário, disse que os registos eram fiáveis desde 1880. Não referiu o facto de […]

  3. […] entanto, Tyson não falou das fracas medições. Pelo contrário, disse que os registos eram fiáveis desde […]

  4. […] do dióxido de carbono, sobretudo tendo em conta que outros gases de estufa – como vapor de água e metano – parecem ter um peso maior? – qual a importância de outras causas, externas, como os ciclos […]

  5. […] – Alterações Climáticas (tag): Climategate. Farsa. Degelo na Groenlândia. Palestra. Relatório do IPCC. Concordância. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.