Ago 26

Ex-engenheiro da NASA escreve artigo devastador

image019

Don A. Nelson, um engenheiro da NASA já reformado, escreveu no dia 21 de Agosto no Chron, um jornal de Houston, um artigo de opinião sobre a política espacial da NASA e o futuro da exploração espacial americana.

Não se poupando a críticas, Don chega mesmo a afirmar que a segurança das tripulações nunca foi uma prioridade para a NASA e que a perda de vidas humanas nos acidentes dos vaivéns espaciais eram perfeitamente evitáveis, se as tripulações tivessem cápsulas de fuga tal como as que são propostas pela Agência Espacial Europeia para o seu veículo Hermes. A certa altura afirma: “A incapacidade da NASA para cumprir a programação, controlo de custos e evitar o cancelamento de projetos é causada pela falta de vontade para resolver os seus problemas internos.”

Nelson acredita que o programa espacial chinês demonstra ser um programa à altura do século XXI ao apostar num veículo espacial reutilizável que poderá trazer para a Terra recursos do espaço. Afirma ainda que a China, com veículos reutilizáveis e infraestruturas espaciais, tornar-se-à a líder do clube espacial.

Don A. Nelson que trabalha agora como consultor espacial, reformou-se da NASA em 1999, depois de 36 anos de serviço. Ele participou em projectos-chave da história da agência: Gemini, Apollo, Skylab e o Space Shuttle. Fez parte da equipa de apoio para o primeiro “rendez-vous” espacial, para a primeira missão tripulada à Lua e para o primeiro voo do Space Shuttle. É autor do livro “NASA: new millennium Problems and Solutions”.

Podem ler o artigo completo aqui e um resumo do livro de Nelson aqui.

18 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Matheus Henrique da Silva on 26/08/2013 at 17:34
    • Responder

    Noss, imagina se fosse no Brasil…

      • Atamar Chalub on 27/08/2013 at 06:18
      • Responder

      se fosse no brasil eles iam roubar tanto tanto que ninguem morreria, cancelariam tudo por falta de verba, fariam uma cpi pra saber onde foi o dinheiro do projeto e acabaria em pizza……..lamentavel.

        • Douglas Miranda Heman on 25/11/2013 at 02:24

        Para começo de conversa, não tem nem como “ser no Brasil”, pois nossas pesquisas espaciais são sabotadas pelas super potências, a fim de desmoralizar a ciência brasileira e evitar assim que o Brasil se torne uma ameaça nesse campo. Pesquise mais, antes de vir com esse discurso “vira-latista” ultra manjado, de pizza, política e roubo.

        • Gabriela on 22/12/2014 at 21:30

        Realmente concordo com você, Atamar Chalub, não indiscritívelmente, do gênero “é isso”, mas recentemente teve muito problema com políticos, acho que o país vai de mal à mau, talvez deveríamos nos mudar para Portugal e ficarmos juntinhos com o Carlos Oliveira e outros portugueses.

  1. Acidentes aconteceram com astronautas da apollo dentro de simulador. Todos morreram por que nao conseguiram abrir a porta. A chanlleger ainda na basse, podia se ver no vídeo que algo vazava, mesmo assim continuaram o lançamento.

    1. Boa noite Braulio.

      Não percebi muito bem o seu comentário: os astronautas morreram no simulador? Os simuladores existem para treinar astronautas e pilotos de aviões de como devem reagir quando ocorrem falhas. E por vezes nestes treinos “morrem” várias vezes, mas sem qualquer tipo de perigo.

      Houve de facto bastantes acidentes que originaram mortes ao longo da história da exploração espacial. Se eram evitáveis ou não? Bom… creio que se as falhas fossem detectadas a tempo, teriam cancelado os voos. Tal como já fizeram inúmeras vezes. A história da Humanidade está repleta de acidentes, que infelizmente custaram vidas.

      Obrigada pelo seu comentário e espero que continue a seguir o Astropt : )
      VG

        • Rômulo Engelhardt on 26/08/2013 at 23:10

        Acho que, o que ele quis dizer foi que: Mesmo no simulador, houveram muitos fracassos, missões simuladas em que, na simulação todos morreriam.

        Mesmo assim, resolveram fazer na vida real e tudo se repetiu.

      1. Como é que se repetiu na “vida real” ?

        Qual das missões no espaço, o interior ardeu devido a um curto-circuito?

        • Mario Sampaio on 27/08/2013 at 00:15

        Acho que ele se refere ao projeto Gemmini, em que os astronauta faleceram em um simulador da capsula em terra

      2. Ele refere-se à Apollo 1, em que o problema não se repetiu mais.

        • Gabriela on 22/12/2014 at 21:39

        Espero que um dia o teletransporte, ou teleporte, seja o jeito de transporte para ir ao espaço, não o espaço certinho, mas para ir em naves fora da Terra, assim as naves não seriam exageradamente grandes porque não teriam que enfrentar a gravidade e a atmosfera, que nem no Star Trek que tem aquela (gigantesca) base espacial, onde USS Enterprise NCC-1701 e outras naves poderiam entrar e reabastecer, seria um mundo dos sonhos!!!

  2. Quem trabalha com projetos sabe: cronograma é o inimigo da segurança e da qualidade…simples assim…

    • Guilherme Araujo on 26/08/2013 at 21:47
    • Responder

    Eu diria como sendo apenas.. esclarecedor.

  3. Muito boa essa notícia! Geralmente, são os reformados que falam coisas que a NASA não gostaria que fosse divulgado. Boa!

    • Pedro Moraes on 26/08/2013 at 22:54
    • Responder

    O fato que Bráulio se refere deve ser o acidente da Apolo 1. Porém, não era um simulador e sim uma simulação na espaçonave real. Um curto-circuito produziu um incêndio e não houve tempo dos astronautas abrirem a escotilha para saírem. Mas foi algo muito rápido. Um ambiente pressurizado com oxigênio puro. Tudo foi consumido em apenas 15 segundos.

    • Samuel Junior on 27/08/2013 at 02:16
    • Responder

    A questão não é ele não falar coisas que a NASA não gostaria que fossem divulgadas, mas é preciso analisar tb que há uma pressão das empresas privadas norte americanas para encolher ao máximo a NASA para elas explorarem o espaço. Pelo menos no meu caso, eu acho totalmente viável este cara ter sido comprado para falar coisas do tipo. Já aconteceu tantas vezes na história, pq ele não poderia?

    1. Os orçamentos para exploraçao espacial estao em muito relacionados com a vontade politica de fazer mas também na vontade da sociedade civil. De facto, nos ultimos anos, os orçamentos da NASA têm sido reduzidos, em parte porque numa situaçao de crise torna-se muito dificil aumentar o orçamento da NASA sem que haja uma “revolta” da opiniao publica.

      Os EUA apostaram nos ultimos anos em apoiar as empresas privadas a investirem no espaço e em transferir tecnologia da NASA para os privados. Isto aconteceu como forma de incentivar o desenvolvimento tecnologico, a criaçao de emprego e reduzir o investimento público nesta área.

      A UE optou por investir mais dinheiro nos próximos sete anos nesta area precisamente como forma de incentivar a industria espacial europeia a crescer e a ser um motor da retoma económica.

      Obviamente, há assuntos que nao podem ser discutidos em publico enquanto as pessoas estao ao serviços das organizaçoes: sejam elas privadas ou publicas, sobe pena de violarem o seu contrato d etrabalho e serem, por exemplo, despedidas. Contudo, nao deixa de ser bastante revelador que depois de reformados, e quando as sançoes nem o deve de sigilo se aplicam, estas pessoas venham a publico falar sobre as contingências e problemas que ocorrem nas organizaçoes. A NASA é uma enooorme organizaçao, certamente dificil de gerir, e uma maquina burocratica gigante. E isto origina, obviamente, problemas.

  4. Ele falou o que todos deveriam imaginar. Com os próprio fatos históricos ocorridos pode-se perceber isso.
    Triste caso! ):

  1. […] Outras personalidades ligadas ao espaço criticaram nas últimas semanas a NASA, tal como podem ler aqui e aqui. […]

  2. […] – Plano Espacial: relatório final, missões à Lua canceladas, plano, aprovado. Don Nelson. Robot. Visão. Missão a Asteróides: Plymouth Rock. Planetary Resources. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.