Google+

«

»

Jul 21

Asteroide a caminho da Terra com uma pirâmide negra?

822337_1.jpg

No dia 1 de Julho de 2014, um idiota anónimo crente fundamentalista em conspirações resolveu criar um vídeo no Youtube onde inventou que o asteroide 1999 RQ36 (agora chamado 101955 Bennu) tem uma pirâmide negra na sua superfície.

As imagens desse vídeo são feitas em computador com o objetivo de enganar os crédulos em qualquer parvoíce.
Com isso, conseguiu cerca de 500 mil visualizações.

Como se percebe, apostar na ignorância e crendice dos outros, tem vantagens.

piramide-asteroide

Supostamente as imagens foram feitas pelo satélite NEOSSat que pertence à ISRO.
Só que o satélite é Canadiano, e a ISRO é Indiana.
Dizerem que faz tudo parte do mesmo, é a 1ª mentira.

A 2ª mentira é falarem dessas fontes quando indo a essas fontes (qualquer pessoa pode fazer isso), não existe qualquer notícia como a que reportam.
Nem sequer existem quaisquer artigos científicos sobre esta notícia. Como sabem, artigos científicos são as fontes credíveis de notícias astronómicas (e não vídeos de Youtube).
Ou seja, a suposta notícia não existe, é mentira!

A 3ª mentira são as imagens em si próprias.
Não há qualquer satélite que permitisse aquelas imagens do asteroide. Não existem satélites com tamanha resolução.
O asteroide é um objeto pequeno (490 metros) e está a centenas de milhões de quilómetros de distância (na data que o vídeo diz, o asteroide estava a 160 milhões de km de distância). Ainda pior, o NEOSSat é um micro-satélite.

Nem em histórias de cartoon da Disney ligariam estes factos para criar uma imbecilidade.

As imagens que existem são estas, feitas a 23 de Setembro de 1999 pelo Observatório Goldstone, utilizando radar, mais precisamente o efeito Doppler.

asteroid-doppler-goldstone-580x381

Com essas imagens de radar, fez-se uma simulação da topografia do asteroide:

RQ36_topo_576

Notem bem que é uma simulação de computador com base nos dados que temos do asteroide.
Ou seja, esta última imagem não é real (observações), e sendo com base no que sabemos do asteroide, não há qualquer pirâmide.

A 4ª e última mentira é o vídeo dizer que este asteroide (com a suposta montanha piramidal) vai colidir com a Terra.
O asteroide tem 1 probabilidade em 1000 de bater na Terra a 24 de Setembro de 2182. Ou seja, a probabilidade de bater é 0,001 ou 0,1%. Assim, a probabilidade de não bater é 99,9%.
Por isso, descansem… que não bate.

Claro que a probabilidade irá mudar à medida que tivermos mais conhecimentos sobre o asteroide e a sua órbita. Há sempre uma pequena incerteza nos números devido a variáveis que ainda não conseguimos medir totalmente, como as influências gravitacionais de outros corpos no Sistema Solar (ex: a influência exata na órbita de quando o asteroide estiver mais perto da Terra), radiação termal do Sol, etc.
Tendo em conta o que tem sempre acontecido pela história humana da astronomia, então com mais observações, a probabilidade não bater vai passar de 99,9% para 100% de não colisão.

1999_RQ36_101955_Bennu_Pyramid_On_Astero_181043765_thumbnail

Conclusão: a notícia do asteroide com a pirâmide a virem para a Terra para nos exterminar, é totalmente mentira!

Foi uma mentira criada por alguém que pretendia gozar com jornalistas e crentes em parvoíces. E conseguiu! Não só por todas as visualizações que teve, mas porque esta imbecilidade foi notícia em locais como o International Business Times, no Voz da Rússia (um website que tem tantas imbecilidades como o Seu History), e até na credível TSF.

Devido a tantos locais de notícias andarem a cair nesta palhaçada, e devido às inúmeras perguntas que recebemos sobre este assunto, resolvi publicar este artigo para esclarecer esta suposta “notícia”.

Tenham sentido crítico, avaliem as fontes, e não se deixem levar pelas mentiras do Youtube.
O Youtube, obviamente, não é uma fonte credível de notícias.
Pesquisem a fonte original (agência espacial), e vejam se a notícia existe ou não. Neste caso, a “notícia” não existe.

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
É actualmente Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

4 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. jpmeneses

    Obrigado Carlos.
    Já corrigimos a ‘noticia’, esclarecendo os leitores sobre a falsidade das informações e remetendo para o seu blogue.
    ao dispor,
    jpmeneses

    1. Carlos Oliveira

      Obrigado. Excelente! 🙂

  2. Rui Peixoto Junior

    Muito obrigado Carlos Oliveira pelas suas contribuições…

  1. Ética jornalística na TSF

    […] « Asteroide a caminho da Terra com uma pirâmide negra? […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>