Astrónomo Russo diz “Humanos encontram extraterrestres nos próximos 20 anos” ?

Hoje acordei, passei uns minutos a tentar abrir os olhos, tomei banho, tomei o pequeno-almoço, ainda meio ensonado… ligo o computador para ver se o mundo já acabou, e reparei que tenho uma data de mensagens de pessoas amigas a enviar-me esta notícia.

Por um lado, fico contente. Fico contente por não só os amigos se lembrarem de mim, mas sobretudo porque as pessoas lêem estas notícias e imediatamente pensam em mim. Em termos de literacia funcional, isto é excelente.

Por outro lado, começo a ler esta notícia, e começo a “subir as paredes” com o tipo de jornalismo que estou a ler. É que isto não é jornalismo. Isto são copy-paste e uma total ausência de sentido crítico. O jornalismo deveria ter sempre uma parte cerebral por parte dos jornalistas, em que estes procuram fontes, pesquisam, contactam especialistas, etc… infelizmente também há maus jornalistas, e sobretudo devido à net, o que se vê muito actualmente é simplesmente o uso do copy-paste, sem qualquer pensamento racional por trás, sem sequer pensarem naquilo que estão a divulgar.

Pela imprensa internacional, está a ser divulgado que o astrónomo Russo Andrei Finkelstein disse que nos próximos 20 anos vamos encontrar extraterrestres, e estes serão como os humanos. Podem ler em inglês, por exemplo aqui e aqui.

E como me informaram, os jornais portugueses, como o Expresso, já decidiram fazer copy-paste dessas notícias, traduzidas para português, sem qualquer pensamento crítico por trás.

Segundo o Expresso:

“Quem o garante é um dos mais conceituados astrónomos russos. Andrei Finkelstein disse ontem que “existe vida noutros planetas e vamos descobri-la nos próximos 20 anos”. (…)
Segundo o diretor do Instituto de Astronomia Aplicada da Academia de Ciências Russa, Andrei Finkelstein, “a génese da vida é tão inevitável como a formação de átomos… Existe vida noutros planetas e vamos descobri-la nos próximos 20 anos”.
Segundo a agência noticiosa Interfax, Finkelstein, que falava num fórum internacional dedicado à pesquisa de vida extraterrestre, disse ainda que 10% dos planetas conhecidos da Galáxia, que orbitam à volta de sóis, são semelhantes à Terra.
Se é possível encontrar água, também deverá haver novas formas de vida, afirmou o cientista, assegurando que os extraterrestres deverão ser muito semelhantes aos humanos, com dois braços, duas pernas e uma cabeça.
“A cor da sua pele poderá ser diferente, o que já acontece nos humanos”, acrescentou.
Finkelstein gere um programa, lançado nos anos 60, no auge da Guerra Fria e da corrida ao espaço, para analisar os sinais captados por radiotelescópios. (…)”

Mas o que realmente se passou?

Houve um simpósio do SETI em St. Petersburg chamado “The Search for Extraterrestrial Intelligence”.
Ou seja, para ver se percebem: o simpósio tem por objectivo fazer passar a ideia que existe vida inteligente no Universo, e que essa vida inteligente é como nós: com uma cabeça, com 2 braços, com 2 pernas, que pensam como nós, que têm radio-telescópios como nós, etc.
E estas são precisamente as características que o SETI presume nos ETs. Por isso é que andam a tentar ouvi-los há décadas. E há décadas que andam a dizer o mesmo: vamos encontrá-los nos próximos 20 anos.

Ou seja, isto não é notícia nenhuma. É o mesmo que andam a dizer há décadas. Não dizem nada de novo, mas denotam uma total falta de imaginação quanto às possibilidades da vida.
E curiosamente é o mesmo que SEMPRE se pensou. Quando se pensou em vida na Lua, também era como a nossa. Quando se pensou em vida em Marte no início do século, também era igual a nós. Quando se vê ficção científica (frequentemente má no que toca aos ETs), também normalmente somos nós… etc…
É a mesma falta de imaginação de sempre dos autores… e é a mesma falta de sentido crítico de quem publica estas coisas.

Tendo em conta a existência dos constituintes da vida tal como a conhecemos por todo o Universo, tendo em conta que na Terra a vida existiu desde sempre (mal o planeta se formou, a vida existiu), e tendo em conta que na Terra existe vida em todos os ambientes (mesmo muito quentes, muito frios, sem oxigénio, dentro de rochas, no cimo das nuvens, etc), então é MUITO PROVÁVEL que a vida exista por todo o Universo.
MAS tendo em conta os diferentes tipos de vida existentes na Terra e que os humanos são somente 1 em milhões deles, tendo em conta que os humanos são muito recentes na Terra, tendo em conta que radio-telescópios são ainda mais recentes (50 anos em 4 mil milhões de anos!!!), e tendo em conta que os humanos são muito limitados nos tipos de condições que podem viver, então probabilisticamente falando, é basicamente impossível (no sentido de altamente improvável) encontrar outros humanos no espaço. Os humanos é que vêem muita ficção científica e ficam limitados por essas ideias. Mas a realidade é muito mais fantástica e diversificada que a nossa limitada imaginação.
Os Humanos têm a mania que estão no centro do Universo, que são muitos especiais, e por isso limitam-se a pensar que só eles podem existir no Universo. Enfim… o geocentrismo psicológico persiste nas mentes de muita gente. Tendo em conta todo o conhecimento que já temos no século XXI, só me lembro de uma palavra para classificar estas mentes limitadas: ridículo.

31 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Olá, Carlos
    Tudo bem?

    Gosto e sigo seu blog há um tempo, porém, não costumo postar pois sou leiga em astrofísica, entretanto leio várias postagens e curiosidades. Algum tempo atrás, vi no Youtube um vídeo (não guardei o link), sobre Óreon, mas precisamente sobre uma das estrelas que formam o Cinturão de Órion, cujo apelido aqui no Brasil é “Três Marias”, não me lembro o nome exato dessa estrela, sei que é a do meio. O que despertou minha atenção foi que segundo os observadores, o Cinturão de Órion ou as Três Marias, poderia ser observada por todos os continentes do planeta e essa condição seria uma das pontes de contato com supostos ETs.

    Qual é a sua opinião em relação a esse pensamento? Órion pode ser vista de todos os continentes do planeta Terra? O que dizem os estudos do SETI sobre uma suposta condição de vida extraterrestre na estrela central do Cinturão de Órion? Se um dia os cientistas fizerem um contato inteligente com extraterrestres, como você acha que o governo e a mídia reagiriam?

    Desculpe estar perguntando assim e fique á vontade para responder.

    Obrigada
    Parabéns pelo blog

    1. Olá Simone,

      Constelações não são sistemas físicos: não existem na realidade. São simplesmente desenhos que fazemos no céu para melhor nos situarmos. É até normal que estrelas na mesma constelação estejam tão longe umas das outras que não tenham qualquer ligação entre elas.

      Quanto a Orion… qualquer constelação (e qualquer estrela) que esteja nos céus (perto do zenite) ao nível do equador terrestre pode ser vista quer do Hemisfério Norte quer do Hemisfério Sul. Ou seja, todas as constelações que pertencem ao equador celeste.
      Quer a constelação de Orion quer as suas estrelas são exatamente iguais a todas as outras na mesma latitude (em relação a serem vistas da Terra).
      As constelações que fazem parte do equador celeste são estas:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Celestial_equator
      Todas estas podem ser vistas de qualquer parte 😉

      As 3 Marias são: Mintaka (Delta Orionis) , Alnilam (Epsilon Orionis) , Alnitaka (Zeta Orionis).

      Quanto à estrela do meio, penso que se está a referir a esta:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Alnilan
      É uma estrela supergigante azul-branca que está a 1340 anos-luz de distância da Terra.
      Está demasiado longe da Terra para alguém sequer imaginar vida ET lá. Além disso, é uma estrela supergigante, ou seja, morre demasiado depressa. Falar de vida ET ao redor desta estrela é o mesmo que falar de elefantes em Marte: é “apostar no cavalo completamente errado”.

      abraços!

  2. Uma pergunta: Você acredita que existe/existiu vida inteligente fora da Terra? Sim ou não? E porque? Abs!

    1. É irrelevante o que eu acredito.
      As coisas existem ou não, independentemente se eu acredito nelas.

  3. Carlos, acredito que o caso não é nem de geocentrismo, e sim de antropocentrismo.

    É fácil perceber. A imagem de seres extraterrestres humanos ou humanoides passa a ser ridícula ao se usar um simples teste de reflexão: se aqui na Terra, os animais mais próximos a nós são chimpanzés, que ainda assim são tão diferentes dos humanos, o que dizer de vida exoplanetária que se desenvolveu em um local totalmente diverso do nosso planeta?

    Isso que estou mencionando chimpanzés. Se desconsiderarmos a superfamília Hominoidea, aí sim que praticamente deixamos de ver semelhanças quaisquer dos animais com humanos.

    Talvez a ideia de “humanos espaciais” se dê por três motivos: dificuldade em pensar “fora da caixa”; o fato de acharmos mais belo, agradável e aceitável o que nos parece familiar; a maior facilidade de utilizar personagens extraterrestres humanos ou humanoides nos filmes de ficção.

    1. Totalmente de acordo 😉

  4. Concordo em vários pontos com você. Mas você não concorda que o trabalho do SETI é o melhor que podemos fazer no momento na busca por vida inteligente, e que em questão de tempo que transmitimos e recebemos radiofrequências ainda estamos aprendendo a nos comunicar e que da mesma forma que podemos amanhã receber uma mensagem podemos passar século ou até milênios procurando em vão?

    1. Sim, concordo.

      O problema do SETI é o mesmo da Democracia: é um sistema com inúmeras falhas/limitações, mas é o melhor que temos 😉

      abraços

    • Atamar Chalub on 04/01/2014 at 09:10
    • Responder

    Se tem uma coisa que me tira do sério são esses pessoas de mentes fracas que levadas pela religião ou falta de informação tendem a achar que somos únicos no universo, acho que a vida existe sim em abundância no universo, inteligente ou não e espero dentro da minha passagem de vida ainda que os astrônomos a encontrem, eu faço a minha parte e participo do seti@home, e adoraria ver o geocentrismo ir por ralo a baixo.

  5. caramba, eu ja vi em varios sites de que existe varias especies de alienligena, e deve ser tudo mentira, eu acho que agente nunca deve acreditar em tudo que ler na internet. Mas eu queria muito que os Pleiades existissem.

    1. Não existem.

  6. E verdade que existe extraterrestre semelhante a nòs, aqueles chamados de Pleiades? será possivel fazer telepatia com algum deles?

    1. Não. Isso é totalmente mentira.

      Não, não é possível fazer telepatia com algo que não existe.

    • Marina Frajuca on 29/06/2011 at 22:23
    • Responder

    A propósito da nossa pequenez, e da perspectiva antropocêntrica.
    Este video é delicioso…

    http://www.youtube.com/watch?v=1w6_vXBJYqw

  7. o gajo na fotografia, é o tal de Andrei ou és tu Carlos ?

    😉

    1. LOL 😀

      já sabes que sou eu… quando estou normal, quando não tenho que andar mascarado com a cara que uso no dia-a-dia aqui neste planeta. 😛 eheheheh 😛

    • duarte josé seabra on 29/06/2011 at 17:49
    • Responder

    Brilhante artigo, Carlos.

    Uma vez ,após uma reunião de divulgação do ano astronómico mundial, na Casa da Música do Porto (ou no Porto Capital da Cultura 2001,não me lembro bem…) na qual a Professora Teresa Lago fez uma dissertação sobre a evolução e os temas actuais da Astronomia (o tema dessa palestra, alargado, foi editado em livro pela Gradiva, posteriormente) eu pus duas questões à (creio eu) brilhante astrónoma e criadora do Centro de Astrofísica do Porto, para além (creio eu) de ser uma mulher de grande beleza, (male chauvinist pig strikes again…), a questão era: tendo eu 58 anos de idade, quais as principais descobertas a que eu poderia assistir, assumindo que eu iria (I wish…Knock on wood…) viver mais vinte anos; e, por outro lado, perguntei-lhe qual era, na opinião dela, desde que ela se dedicava à Astronomia, a maior descoberta que ela achava que tinha sido feita;
    A esta última pergunta a Doutora Teresa Lago respondeu de imediato: era o facto de as investigações e observações (porque, disse ela, a astronomia era uma ciência onde a experimentação era difícil, baseando-se essencialmente na observação) de astronomia serem agora feitas em todo o espectro de energia do universo, e não apenas no da luz visível, como se passava no passado.
    Quanto ao futuro, ela mencionou que esperava dados de observação dos futuros satélites (Kobe ?)que poderiam dar novos conhecimentos de cosmologia.

    Eu queria agora pôr a seguinte questão ao Carlos: Se eventualmente no futuro podermos contactar com a vida noutros mundos, e não a reconheçamos como tal ?
    Poderá suceder que exista vida extraterrestre, e que nós, com o nosso aparelho cognitivo, com o nosso sistema conceptual, não nos possamos aperceber de tal…
    Não sei se esta questão faz sentido… Mas,por exemplo, uma formiga, com o seu conceito de mundo, é eficaz no seu mundo, mas a formiga aperceber-se-á da nossa existência ?
    Se nos depararmos com formas de vida tão evoluídas em relação a nós, que não as identifiquemos como tal ?
    Ou se a evolução levou a “vida” para caminhos tão diferentes daqueles que estamos habituados a encontrar, que “passemos ao lado”…

    No fundo esta chachada que o Carlos denuncia no seu blog prova que, muitas vezes, se anda à procura do que já se sabe, que se quer encontrar a imagem em espelho…

    Termino dando de novo parabéns ao pessoal do Blog Astro.pT
    Há uns tempos fui com um grupo de amigos ao parque biológico de Gaia, (“noite dos pirilampos”) observar Saturno, e ouvi outro dos vossos autores do Blog (Prof Luís?) que teve intervenções muito didáticas.

    1. Olá Duarte,

      Deixe-me começar por dizer que eu não defendo “procurar-se por tudo” porque tudo é possível. Isso não é uma forma eficaz de procurar algo. Porque pode haver milhões de possibilidades… e daí que se tem que escolher onde gastar o $$ mais eficazmente. Tem que se procurar obviamente por aquilo que sabemos e nos sítios que pensamos existir. Logo, teremos que procurar por vida tal como a conhecemos, nos sítios que pensamos haver maiores probabilidades ela existir.
      Costumo dar este exemplo aos meus alunos: se perderes a chave de casa no caminho para a escola, o que fazes? Vais tentar encontrar algo parecido com chaves (que já conheces) nos sítios por onde passaste no caminho para a escola. Não vais tentar encontrar sofás (totalmente diferente de chaves) para o Zimbabué (totalmente diferente do caminho para a escola). Porquê? Porque não faria sentido. Claro que a chave pode ter caído e se partido (e por isso já não se parece com a chave), ou pode, com a chuva, ter ido para a rua ao lado em vez da rua por onde passaste. Ou seja, se não encontrares a vida que conheces nos sítios mais prováveis, então vais alargando a busca, não só em termos de como ela se parece, mas também nos sítios que poderá estar.

      Esta é a forma eficaz de se tentar encontrar alguma coisa (seja o que fôr… incluindo chaves perdidas ou vida extraterrestre).

      Mas sim, concordo em tudo o que disse.

      Quanto às formigas, digo exactamente o mesmo em posts anteriores:
      http://www.astropt.org/2010/02/11/formigas-extraterrestres/
      http://www.astropt.org/2010/05/09/formigas-agressivas-piratas-economistas-sociais-femininas-democratas-e-nacionalistas/
      É por isso que acho as ideias religiosas demasiado limitadas e geocentricas:
      http://www.astropt.org/2010/10/13/fe-num-contexto-astronomico/
      (também falo do exemplo das formigas)

      E sim. Também acho que não a vamos reconhecer.
      Ou melhor, eu acho que acabaremos por reconhecer a vida… simples… que será vida como a nossa.
      Mas também penso que haverá muita vida que não é como a nossa, e que por isso nem a reconhecemos nem reconheceremos.
      Na prática é isto que também diz a Academia Nacional de Ciências dos EUA:
      http://www.astropt.org/2007/07/09/vida-estranha/

      Afinal, nós já temos experiência disto. É assim que tem evoluído o nosso conhecimento de extremófilos – vida em condições extremas.
      😉

      Por isso, estou totalmente de acordo com a sua ideia 🙂

      abraços

        • Dinis Ribeiro on 29/06/2011 at 19:59

        Pegando (em parte) nesta ideia de …” escolher onde gastar o $$ mais eficazmente” comento que notei que há quem pense” nesses” aspectos:

        A partir daqui:

        Cost-effective phone calls from ET?
        http://boingboing.net/2010/07/21/cost-effective-phone.html

        Encontrei estas 3 fontes:

        1) Searching for Cost-Optimized Interstellar Beacons
        http://www.liebertonline.com/doi/abs/10.1089/ast.2009.0394

        2) Stingy aliens may call us on cheap rates only
        http://www.newscientist.com/article/dn19206-stingy-aliens-may-call-us-on-cheap-rates-only.html

        3) Messaging with Cost-Optimized Interstellar Beacons
        http://www.liebertonline.com/doi/abs/10.1089/ast.2009.0393

      1. Ideias Interessantes 🙂

        Mas novamente, antropocentricas 😉

        A minha ideia quanto a estes casos, também é de Sagan…

        uma tribo na Nova Guiné que comunica por tambores… pode ter a zona deles cheia de comunicações por telemóveis… e não sabe de nada, porque não têm noção dessas comunicações.
        Da mesma forma, os cães para nós. As nossas comunicações rodeiam os cães, mas eles não têm noção disso.
        Ou a forma que as formigas comunicam… que também não está acessível a nós.

        Ou seja, podemos estar cheios de comunicações de ETs avançados, mas não temos forma, conhecimento, ou sequer inteligência para detectar essas comunicações (como uma formiga não conseguirá comunicar connosco usando telemóveis).

        abraços 😉

  8. A rigor, as chances de estarmos sozinhos no universo são de 50%.

    Nada (mesmo) indica que exista vida lá fora. Ou qualquer coisa que possamos chamar de vida.

    E, inevitavelmente, ainda que se descubra algum sinal de vida ET, esperaremos outras dezenas ou centenas de anos até comprová-la.

    Até lá…

    Viveremos cercados de suposições. Científicas ou não.

    • Agostinho Magalhães on 29/06/2011 at 17:22
    • Responder

    Olá, Carlos!
    Por vezes apetece-me, predispões-me a dizer-te que não tens razão! Que pelo facto de estares sempre contra os UFO,s, ET;s, astroidiotas e sei lá quem mais, me parece que acreditas que não existe mais ninguém no universo para além das nossas digníssimas figuras! Depois páro… um pouquinho… penso e digo: mas não é que o homem até tem razão!
    Basta-me recordar tudo o que tens escrito e a que eu tenho tido acesso, para te conceder uma razão e uma emoção a quase 100%!
    Parabéns e um abraço

    Agostinho

    1. Eu tenho um Princípio que sigo: Princípio da Mediocridade.
      Ou seja, temos a mania que somos importantes, mas não passamos de um um invisível grão de areia no Universo. Tal como disse Carl Sagan na sua mensagem universal 😉
      http://www.astropt.org/2010/01/30/mensagem-de-sagan/
      Sou contra tudo o que vá contra isto, obviamente.
      E, por vezes, as pessoas não entendem que é contra o facto de pensarmos que somos os maiores/melhores que estou contra. É contra essa falta de imaginação.

      No passado, curiosamente numa conferência do SETI, discuti isto precisamente com o conhecido Martin Rees… é que acho que ele também sofre do mesmo… desse geocentrismo de pensar que tudo está feito para nós (algo que as vacas, os insectos, as bactérias poderiam dizer também) – é um geocentrismo psicológico que nasceu com as ideias religiosas de que tudo está feito para nós, que nós somos o mais importante no Universo.

  9. Carlos você já viu esse video?
    Já ouviu falar desse tal ET BILU?
    Sendo verdade (o que duvido) ou não… Eu tô rindo muito disso…

    http://www.youtube.com/watch?v=Wy26JGKzFb0&feature=player_embedded#at=389

    1. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

      vi este vídeo…. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
      http://www.youtube.com/watch?v=G2PMfsV0UBM

      isto é mesmo real? Ou seja, isto passou na TV como se fosse verdade?

      É que isto é tão ridículo (eu próprio tenho máscaras melhores de ETs), que me parece que isto é uma experiência de cépticos de forma a mostrar que as pessoas acreditam em tudo, até em parvoíces totalmente absurdas.

      E há quem pense o mesmo que eu… mesmo os ufólogos pensam assim:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/ET_Bilu#Cr.C3.ADticas

        • Ítalo on 29/06/2011 at 17:26

        Sim, foi transmitido em alguns canais de tv daqui do Brasil seriamente!! Alguns desesperados por audiência…
        Um programa humorístico daqui investigou o ET Bilu, ri muito dessa reportagem:

        http://www.youtube.com/watch?v=Kd3d7N54wCI

        Esse ETzinho é super engraçado… hauha

      1. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

        até estive a ver também a 2ª parte 🙂
        http://www.youtube.com/watch?v=vv2mdBzDNLU

        e neste aparece mesmo ele… sem máscara… é o homem que anda a divulgar estas vigarices.
        LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
        http://www.youtube.com/watch?v=RgHdz-nlsh4

        também me parti a rir quando ele disse “constelação de pegasus”
        é que constelações não são nada físico… são simples convenções humanas, com nada físico a ligá-las… as estrelas das constelações podem estar em locais muito diferentes do Universo… a muitos milhares de anos-luz de distância entre elas.
        Ou seja, nestes casos de UFOs e ETs, em que as pessoas dizem “constelação”, esta é uma forma de perceber imediatamente que se trata de uma fraude… e feita por alguém que nada percebe de astronomia.

        😉

        • Vinicius Alves de Morais on 29/04/2014 at 02:25

        Tenho, na minha opinião, que essa seja umas das piores redes de TV aberta no Brasil, sempre inventando noticias dos mais variados tipos, uma pior que a outra, e infelizmente o povo daqui acredita em qualquer “merda”.

    2. LOLOLOLOL 😀
      Já não me ria tanto desde… bem, desde hoje de manhã, quando vi um vídeo de um criacionista que afirma que ovos de dinossauro fossilizados numa fila direitinha, são a prova de que os dinossauros puseram os ovos enquanto corriam para fugir do dilúvio. They blind me with science!

      Quem tiver curiosidade e quiser rir é este aqui: http://www.youtube.com/watch?v=pzoI0_IBpS4

    3. É interessante que os ETs dão sempre conselhos que se podem encontrar em qualquer livro de auto-ajuda. Nunca explicam nada que os próprios contactados não saibam já. Estou-me a lembrar por exemplo da solução para algum teorema matemático ainda por resolver. Custa assim tanto? Devia ser canja para seres capazes de viagens interestelares…

    4. Coitado do tipo, estava na mata a “arraiar o calhau” e aparece a malta da Record a chatear:
      -ET- Oi aí Cara, trouxe papel higiénico?
      -Record- Então ai ó ET, teve que aterrar cá para largar lastro cara?
      – ET-É que o sanitário da nave atáscou cara, e o Ressôunádô Espácio-Temporal, aquele dispositivo que a gente usa para largar o lastro em outro universo deu bronca!!!
      -Record- Xou bicho feio, vai provocar problemas ambientais prá outro planeta! Xi gente, que sorte malváda né?
      Fim da Macacáda.

  1. […] solução). Sagan. Dentro de Buracos Negros. Buraco Negro de Outro Universo. Luas. Vida em Vénus. Astrónomo Russo. Educação. Documentários (Alien Planet). […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.