O Salto de Felix Baumgartner – Actualização

O austríaco Felix Baumgartner, de 43 anos, irá hoje realizar o salto mais alto que um ser humano alguma vez realizou. Aos 16 anos iniciou-se no skydiving e já fez saltos de 21 quilómetros e a 29,6 km de altitude.

Este domingo irá superar o recorde que tem 52 anos, pertencente ao coronel da Força Aérea dos Estados Unidos da América Joe Kittinger. No dia 16 de Agosto de 1960, Kittinger realizou o salto a 31.333 metros. A queda livre durou 4 minutos e 36 segundos a uma velocidade máxima de 988 km/h. Para saltar de grandes altitudes é necessário um fato espacial para evitar problemas com o  frio, baixas pressões, raios cósmicos e falta de oxigénio. Este será o fato:

O senhor Baumgartner irá saltar de 37 Km. Onde fica isso? É perto da Lua? Não. Mas é alto na mesma. Para termos uma ideia vejamos esta imagem:

Nesta altitude irá enfrentar temperaturas (exteriores ao fato) de entre 0ºC e – 50ºC e com pressões entre 10mb e 1mb (milibares). O salto terá lugar na Estratosfera, onde se situa a camada de ozono.

Podem ver o site oficial aqui. Neste site temos as imagens em directo.

Contagem decrescente!! Aqui,

Reparem, abaixo, onde fica o balão de hélio de Baumgartner:

———————————-

Afinal o salto não foi de 37 mil metros mas de 39 068 metros. Atingiu os 1342 Km/h aos 47 segundos, como se pode ver no vídeo abaixo (a velocidade do som é de 690 mph, ou seja, cerca de 1110 Km/h). Ocorreram, na fase final da subida, uns probleminhas mas nada de mais. A queda-livre durou 4,22 minutos e o tempo total de descida foi de “aproximadamente 15 minutos, sobre o deserto do Novo México, nos EUA”. (Público)

No fim para que foi o salto? Para bater apenas um recorde? Tanto financiamento, uma equipa de cientistas e material caro e sofisticado para, apenas, um homem saltar? Não, o “projecto Red Bull Stratos foi financiado pela marca de bebida energética com o mesmo nome e, além de uma tentativa de bater recordes, tinha como objectivo servir de programa de testes de voo e de contribuir para a investigação em fatos especiais.” (Público)







 

7 comentários

4 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. O salto foi feito acima dos 39km de altura como resferiste, mas enganaste-te nas velociades. Ele atingiu os 1342 km/h (833.9 mph) o que equivale a Mach 1.24. O que apareceu no video foi uma estimativa, Estes foram os valores confirmados asseguir ao salto na conferencia de imprensa.

    Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Red_Bull_Stratos

  2. Sinceramente, não me choca nada ver a Red Bull a patrocinar uma missão destas. Basta ver algumas iniciativas da Red Bull. A Red Bull Air Race não serve apenas para fazer publicidade e para pôr uns “malucos” dos aviões a fazer acrobacias. Não. Serve para testar aviões, testar combustíveis, testar mecanismos de segurança aeronáutica.

  3. Obrigado pelo artigo, e em particular pela imagem do fato!

    Além do sistema GPS, ao peito ele levou uma Inertial Mesurement Unit…

    (re)ver: http://en.wikipedia.org/wiki/Inertial_measurement_unit

  4. Aliás, os Patrocinios de grandes multinacionais, em Missões no Espaço, é algo que no futuro se vai ver mais vezes… Creio que os fatos espaciais ‘branquinhos’ podem ficar mais parecidos com os fatos dos pilotos de Formula 1 !!! Repletos de anuncios !!! Com as dificuldades em encontrar financiamento, acho que até missões como a do Curiosity podiam ter ‘ajudas’ publicitárias!!!

    Abraços

  5. Onde a empresa vai buscar o dinheiro? às vendas. Patrocinar um evento que é uma investigação científica acho perfeitamente legítimo. Não vejo qualquer problema. Vamos centrar no que é útil: os resultados da investigação e a evolução da ciência. O resto é o suporte do avanço científico e é bem-vindo.

    1. Concordo plenamente.

      Aliás, esse tipo de patrocínios pode também para contribuir para diminuir a distância entre o “mundo real” e o “mundo académico”.

      Claro que há que evitar situações de “conflitos de interesse” como ocorreriam se uma bebida qualquer patrocinasse estudos sobre os efeitos dessa mesma bebida. Qual a objectividade? Seja como fôr, neste caso concreto, isso não ocorre.

      Mas por demasiadas vezes “paga o justo pelo pecador”.

      No mundo científico, existem demasiadas ideias pré-concebidas contra as actividades comerciais.

      Há diferenças que podem ser claramente identificadas entre patrocínios perfeitamente legítimos e (minimamente) sóbrios e propaganda “pseudo-cientifica” nítidamente demagógica e populista.

      Sugiro (re)ver estes dois temas:

      1) http://en.wikipedia.org/wiki/Conflict_of_interest
      2) http://en.wikipedia.org/wiki/Propaganda

    • Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernandes on 14/10/2012 at 21:53
    • Responder

    Não sei se foi ou não útil para testar os fatos especiais ou estudar planos de voo. Mas para fazer propaganda de uma bebida que até já esteve fora do mercado por ser prejudicial, acho um horrível disparate. Onde vão eles buscar tanto Dinheiro?!!!!

  1. […] Felix Baumgartner saltou de uma altura de 39 kms. Se pensam que nada sobrevive a esta altura, relembro que já se encontraram microorganismos a 50 kms de altura. […]

  2. […] superou os 1000 km/h (batendo a velocidade do som). Relembrem esse acontecimento nos nossos posts, aqui, aqui e […]

  3. […] Felix Baumgartner saltou da estratosfera, batendo a velocidade do som. […]

  4. […] informamos neste post, o austríaco Felix Baumgartner bateu o recorde de altitude de um salto, ao saltar de uma altura de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.