Google+

Carlos Oliveira

Pormenores do autor(a)

Nome: Carlos Oliveira
Data de registo: 21/03/2007
URL: http://astropt.org/blog/colaboradores/

Biografia

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico. Licenciatura em Gestão de Empresas. Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica. Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas. Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas. Foi Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA. Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

Artigos mais recentes

  1. No Centro da Nebulosa da Lagoa — 21/05/2017
  2. M101 — 20/05/2017
  3. Nebulosa do Esparguete — 18/05/2017
  4. Alimentando uma estrela bebé com um hamburger poeirento — 18/05/2017
  5. Hidras — 18/05/2017

Artigos mais comentados

  1. 2012 – Fim do Mundo — 505 comentários
  2. Asteróide irá acabar com a vida na Terra em 2019 ? — 361 comentários
  3. Asteroide 2016 WF9 vai colidir com a Terra? Não! — 294 comentários
  4. Evoluindo Sempre ? Só se for em burrice… — 274 comentários
  5. Cometa Elenin irá dizimar a Humanidade ? — 261 comentários

Lista de artigos do autor(a)

Mai 21

No Centro da Nebulosa da Lagoa

O centro da Nebulosa da Lagoa (M8) é um espetacular local de formação de estrelas. Esta nebulosa encontra-se a cerca de 5000 anos-luz de distância da Terra, na direção da constelação de Sagitário. Na esquerda vê-se a brilhante estrela Hershel 36. Longos “muros” de poeira escondem estrelas jovens e quentes. Fonte: APOD

Mai 20

M101

Está é a bela galáxia espiral M101, também chamada de Galáxia do Cata-Vento. Como é típico nas galáxias espirais, no seu centro encontram-se estrelas amarelas, mais frias e antigas, enquanto nos seus braços espirais encontram-se jovens estrelas, quentes e azuis. Nos braços espirais também se observam traços escuros de poeira e regiões de formação estelar …

Continue a ler »

Mai 18

Nebulosa do Esparguete

A Nebulosa do Esparguete representa o remanescente da supernova Simeis 147 (também conhecida como Sh2-240, Sharpless 2-240), que tem uma idade estimada de 40 mil anos (a luz da supernova atingiu a Terra há 40 mil anos). No seu centro existe um pulsar, uma estrela de neutrões em rotação, resultado da supernova. A imagem destaca …

Continue a ler »

Mai 18

Alimentando uma estrela bebé com um hamburger poeirento

Esta imagem curiosa pode parecer uma coleção de nós coloridos, mas na realidade trata-se de uma imagem de alta resolução de uma estrela recém nascida envolvida em poeira. Situada a apenas 1300 anos-luz de distância, na constelação de Orion, a estrela HH212 é muito jovem. A vida média de uma estrela de pequena massa como …

Continue a ler »

Mai 18

Hidras

O Céu da Semana traz dicas de observação astronómica para esta semana, e o professor Gustavo Rojas fala sobre as constelações das Hidras.

Mai 17

Grupo de Galáxias Hickson 90

Ao procurarem galáxias nos céus, uma equipa de astrónomos liderada por Paul Hickson identificou cerca de 100 grupos compactos de galáxias, que agora são chamados de Grupos Compactos de Hickson (HCGs). Nesta imagem feita pelo Telescópio Espacial Hubble, vemos um desses grupos de galáxias: HCG 90. Neste grupo, três galáxias estão a interagir fortemente: uma …

Continue a ler »

Mai 17

Os Gémeos: Pollux e Castor

A constelação dos Gémeos tem duas estrelas famosas: Pollux (esquerda) e Castor (direita). Pollux é uma estrela gigante vermelha, duas vezes mais maciça que o Sol, que se encontra a cerca de 33 anos-luz de distância da Terra. Castor é uma estrela azul da sequência principal, quase 3 vezes mais maciça que o Sol, que …

Continue a ler »

Mai 17

Ganimedes

Esta é Ganimedes, lua de Júpiter, numa imagem feita pela sonda Galileo há cerca de 20 anos atrás. É a maior lua do sistema solar, sendo até maior que o planeta Mercúrio. A sua superfície contém jovens crateras brilhantes inseridas numa superfície mais velha e escura. A característica circular no topo direito chama-se Galileo Regio, …

Continue a ler »

Mai 17

Planeta Aurora

Esta imagem feita a partir da Estação Espacial Internacional, mostra-nos o planeta Terra. O planeta parece “meio estranho” em termos de cores, devido à tempestade geomagnética que produziu auroras sobre a Terra (verde a altitudes mais baixas, e vermelha a altitudes mais altas). Fonte: APOD

Mai 14

M13

Este é M13, o belíssimo Aglomerado Globular de Estrelas que se encontra na direção da constelação de Hércules. Ele está a 25 mil anos-luz de distância da Terra. Este aglomerado contém centenas de milhares de estrelas. No seu centro, mais de 100 estrelas estão inseridas num cubo de 3 anos-luz de lado. Ou seja, se …

Continue a ler »

Artigos mais antigos «

Ir buscar mais items