comentários no astroPT

Eu tenho dificuldade em compreender como é que as pessoas entram em sítios científicos, cheios de certezas nas suas concepções, e com arrogância dizem X e Y, que se prova ser completamente falso.
Alguém acha correcto entrar-se por um hospital dentro, a afirmar que o sangue é verde e que os médicos não sabem o que dizem? Claro que não.
Então porque há quem entre no astroPT com a prepotência que sabe mais que os especialistas?

É que é constante a entrada de comentadores “caídos de pára-quedas”, a só dizerem disparates, a assumirem arrogantemente que sabem mais que os especialistas, e ainda a nos chamarem a nós de arrogantes porque temos mais conhecimento que eles e decidimos partilhar esse conhecimento.
É uma atitude que denota intolerância para com os factos, prepotência, arrogância, e incapacidade de aprender.
É uma atitude fundamentalista de quem quer continuar a acreditar em disparates.
É, decididamente, uma atitude irracional de quem está contra o conhecimento!
Não é, decididamente, uma atitude de quem queira aprender seja o que fôr.

Eu não entro por um hospital assumindo que sei mais de medicina que um médico. Seria um erro e uma parvoíce.
Daí que quando quero saber alguma coisa sobre assuntos que não são os meus, pergunto a quem sabe mais.

Numa aula de física, um aluno decide afirmar que ele é que sabe, que a gravidade não existe, e as pessoas podem voar livremente pelos céus.
O professor diz-lhe que isso não é verdade e que a gravidade está mais do que provada. Mas o aluno continua a fazer birra que ele é que sabe e o professor nada sabe.
Mas afinal quem sabe mais? O professor ou o aluno?
Será que o aluno está nessa aula para aprender? Não. Está lá só para dizer disparates e destabilizar a aula.

E quem diz médicos ou professores, diz outro qualquer conhecimento de diferentes especialistas.
Eu não percebo nada de agricultura. Será que faz sentido eu ir até a um campo, estarem plantadas umas couves quaisquer, e eu virar-me para o agricultor e dizer-lhe que as couves apareceram devido a energias místicas ou a ter-se posto no solo um corno de touro? O agricultor ria-se, certamente! Porque eu estava a dizer disparates. E fazia algum sentido eu a seguir chamar o agricultor de arrogante só porque ele até sabe plantar couves e eu não??
Se eu quisesse aprender, então o que eu deveria ter feito era perguntar ao agricultor como ele plantou as couves. Se eu não quero aprender, mas somente fazer figuras tristes, então a minha estratégia é assumir que sei mais que os especialistas, apesar de só dizer disparates.

Não se espera que as pessoas saibam tudo. Ninguém sabe tudo!
Espera-se sim é que quem sabe menos se tente informar com quem sabe mais, em vez de arrogantemente achar que sabe tanto como os especialistas.

Já disse neste post, que o astroPT serve para quem quer aprender.
Quem não quer aprender e simplesmente quer de forma fundamentalista continuar parvamente a acreditar em mentiras, então o astroPT não é para eles.

O que se espera dos comentadores é que: façam perguntas, aprendam, digam piadas, divirtam-se, façam comentários inteligentes, comentem de forma positiva para complementar o post, parabenizem o autor, façam críticas baseados no conhecimento, contribuam para o aumento de conhecimento divulgado, etc.

No entanto, o que se vê de vez em quando é insultos gratuitos aos autores, como aqui (fora as dezenas de comentários insultuosos que nem deixo passar), ou fazerem afirmações completamente disparatadas, como tive de responder aqui (e que existem às centenas pelo blog).

O astroPT é constituído por uma equipa diversificada, cada um deles com uma especialidade bastante aparente nos seus artigos.
Exemplo: informações sobre exoplanetas normalmente são dadas pelo Luís Lopes. Porquê? Será, por exemplo, porque eu nada sei sobre eles? Não. Mas porque ele sabe mais dessas notícias que eu. Logo, é da mais elementar inteligência que eu não vou andar a discutir com ele como se soubesse tanto ou mais que ele sobre esse assunto. Nada aprendia se o fizesse.
Outro exemplo: o Manel Rosa Martins está a fazer doutoramento em Física de Partículas. Obviamente que sabe mais que eu sobre essa área. Sem dúvida. Não quer isso dizer que não se pode enganar (pode! Toda a gente se pode enganar!), mas obviamente que tenho que considerar que ele sabe mais do que eu e não começar a disparatar com ele – ou seja, eu que pouco sei sobre isso, não vou começar a dizer disparates só porque arrogantemente vou assumir que sei tanto como ele.
Saber identificar os especialistas é uma característica básica da Literacia Funcional – um neurocirurgião pode-se enganar por vezes, mas tenho a certeza que entre um trolha que diz que o sangue é verde e que vos tira um tumor no cérebro à martelada ou um neurocirurgião que é especialista em operações ao cérebro para retirar tumores, tenho a certeza que vocês não pensariam 2 vezes sobre se preferiam o especialista!

Deixem-me repetir: o astroPT não é constituído por trolhas que querem curar tumores à martelada, nem por “pessoas que leram uns livros sobre algumas coisas e resolveram criar um blog”. Eu estudo, trabalho, e sou avaliado há muitos anos nas matérias em que me posso classificar especialista. Não digo as coisas “só por dizer”, mas sim porque é conhecimento.

Cada um dos autores do astroPT tem o seu próprio trabalho. Cada um escreve no astroPT porque quer e gosta de divulgar conhecimento gratuito, mas nenhum de nós faz disto a sua vida. Isto não é uma obrigação nossa.
E por mim falo, sem o astroPT eu vou continuar a ter acesso a notícias de astronomia, como já tinha antes do astroPT. Não perderei esse conhecimento, porque trabalho nesta área.
E a verdade é que nenhum de nós faz isto para estar a receber insultos gratuitos, nem para estarmos a aturar pessoas que só afirmam disparates (em vez de perguntarem sobre os temas).

É frustrante estar a transmitir conhecimento de graça, e no entanto estar constantemente a apagar comentários insultuosos.
E começo a ficar cansado de andar sempre a dizer as mesmas coisas, sempre como resposta a disparates anti-conhecimento feitos sobre factos científicos ou sobre o processo e a natureza da ciência.

Eu sei que a maioria dos nossos comentadores não se revêem naquilo que eu disse. E têm razão. E peço desculpa por vos estar a chatear com este texto.
Mas espero que entendam a minha frustração. E espero que entendam o porquê de eu equacionar se faz algum sentido existir um astroPT.
Como não somos masoquistas, então a minha pergunta é: para que serve ter um astroPT, se estamos constantemente a ser insultados e desconsiderados no nosso conhecimento?

58 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Relacionado com o conteúdo do post… e para todas aquelas pessoas que entram em sítios científicos, cheios de certezas nas suas concepções, e com arrogância dizem X e Y, que se prova ser completamente falso… deixo este vídeo que se aplica perfeitamente como resposta a essas pessoas:
    http://www.youtube.com/watch?v=H9kpTvm6CYA
    😀

  2. Carlos, força. Sem nacionalismos, acho que tinha mais sucesso num site para outro público (internacional). É que…neste país, que me perdoem os nacionalistas de meia tigela, a ignorância não só é aplaudida, como é incentivada. O chico-esperto é o aplaudido. Mesmo que acerte só uma x em 100, isso é visto como símbolo de esperteza e não da lei das probabilidades. As pessoas que são boas, são. O problema é que dois terços da nossa massa humana não entra nesta equação, porque está fora. Sou derrotista? Não. Perco tempo com quem quer aprender e com quem eu posso aprender. Coisas mal feitas e idiotas com a sabedoria estelar da Wikipédia, sem sentido crítico e 0 no relacionamento de conceitos, é o que Portugal tem muito. Infelizmente, a iliteracia só se resolve com muita leitura, coisa que só alguns apostam. Portugal vai melhorar, vai. Os bons fazem disto a “primária” e assim que possam, adeus. Os burros, vão mesmo ficar mais burros ainda.

    1. Obrigado pelas palavras, António.

      Infelizmente, a mentalidade que aplaude a ignorância não é restrita a Portugal. Internacionalmente, vê-se muito da mesma coisa 🙁

      abraços

  1. […] Temos uma posição clara em face aos comentários: promovemos a moderação de comentários. Tentamos responder a todos os comentários aprovados e agradecemos todos os comentários positivos […]

  2. […] seguimento do meu post anterior, uma das parvoíces mais divulgadas pelos pseudos nos comentários é que a ciência farta-se de […]

  3. […] Temos uma posição clara em face aos comentários: promovemos a moderação de comentários. Tentamos responder a todos os comentários aprovados e agradecemos todos os comentários positivos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.